Há alguns meses a arroba mais influente do Twitter, como Rafinha Bastos gosta de ser chamado, foi duramente criticado por fazer uma piada sobre estupro dizendo que “mulher feia quando é estuprada deveria agradecer”. Além dos ataques no Twitter, o Ministério Público decidiu investigá-lo por conta da piadinha desrespeitosa e de péssimo gosto. Nada mais justo. Estupro ou qualquer outro tipo de abuso sexual é algo nojento e criminoso. Além disso, uma “piada” como essa fere a dignidade de quem já passou por essa situação e dos seus familiares. Eu tenho um caso de estupro na família e me sinto ofendido quando vejo alguém banalizando algo tão grave.

Paralelo a tudo isso, a nova sensação do sempre engraçadíssimo e inovador Zorra Total [/ironia] conta da história de uma transexual e sua amiga feia que andam em um metrô lotado e suas desventuras cotidianas. Tudo isso em meio a um bordão que se popularizou rapidamente: Ai, como eu tô bandida!

O roteiro do quadro não muda: Janete encontra Valéria, elas comentam sobre a cirurgia de mudança de sexo de Valéria, fazem uma brincadeira de “você gosta?” – “gosto” até o infinito que irrita o telespectador e a personagem, Valéria dá meia dúzia de patadas e apelidos em Janete e, por fim, alguém abusa sexualmente de Janete no vagão lotado. Neste momento Valéria, muito debochada, diz pra amiga aproveitar o momento porque não é sempre que uma mulher como ela tem esse tipo de sorte. Ou seja, em meio a todas as claques e clichês que imperam no programa de sábado, ensinamos semanalmente que a mulher não deve reagir ou se ofender caso seja sexualmente abusada, e caso venha a sofrer um estupro, deve se sentir sortuda, pois nenhum homem gostaria de se envolver com uma mulher feia. Percebam que é exatamente a mesma piada que saiu da boca de Rafinha Bastos e foi absurdamente pisoteada. Porém na Globo sua projeção é outra, torna-se benéfico. Ignora-se o fato do desrespeito a dignidade. O pior de tudo: tal quadro alcança hoje 25 pontos no Ibope. Todo sábado a noite o mesmo roteiro ensina às mesmas pessoas que estupros e abusos sexuais são bençãos, e não devem ser denunciados.

Fica a pergunta: Qual a diferença do estupro de Rafinha Bastos e do estupro de Valéria e Janete? Nenhuma, salvo o poder de penetração da mensagem. Enquanto Rafinha atende a um público mais “elitizado” socio-culturalmente (afinal, ele é defensor do tal ‘humor inteligente’, apesar dos quilos de preconceito), o Zorra Total vai de encontro com um povo que provavelmente não teve acesso a informação e que utiliza na maioria das vezes a televisão como seu quadro negro involuntário. Os quadros subsequentes colocam a mulher como unicamente uma fêmea, um objeto sexual, ridicularizam o fato Presidência do Brasil estar nas mãos de uma mulher e passam uma hora semanal fazendo o retrógrado humor da mulher de pouca roupa, erotizando o telespectador. Esse é o mesmo programa que ensina que estupro é o novo ‘casar e ter filhos’. É um humor machista e misógino. Eu sinceramente não acho a menor graça dessa bandidagem da Valéria.

Aos que não sabem: hoje no Brasil, 43% das mulheres brasileiras sofrem violência doméstica; uma mulher é violentada a cada 12 segundos; a cada duas horas uma mulher é assassinada. E você vai continuar rindo disso?

Anúncios

Comentários em: "Não é estupro se for na Globo" (497)

  1. clap clap clap. Muito bom. Confesso que ainda não tinha parado pra pensar nisso at all.

    • aline disse:

      confesso que também nao havia pensado nisso.. dou parabens ao Joao porque eh um assunto realmente sério.. e mesmo quem passa por nojentos desse tipo em meios publicos, nunca mais ira dar risada da janete.

      parabens joao..

      • Manoel disse:

        Nada haver o que vc está dizendo, nada haver. Isso é apenas uma piada e não nenhum ensinamento. Qual demente vai levar as piadas do zorra total a serio? Gente quando é programa educacional, ele vem intitulado, (Tele curso 2000, Bem está) e por ai vai. As piadas só tem graça quando se utiliza-se do nosso dia a dia, as piadas não estão sendo voltada para minguem e sim para uma atriz que está ganhando muito bem brigado, agora quando se coloca um bando de mulher nua na frente da tv em horário nobre ninguém reclama, Gente vamos nos preocupar com coisas que realmente vale a pena.

        • Melissa disse:

          É exatamente essa mentalidade que a globo contoa, querido. Você realmente acha que só programas educativos é que “ensinam” alguma coisa? TUDO na vida é um ato político. TUDO. E você realmente acha que o fato de a Zorra Total ter um quadro que ridiculariza o ex-presidente e a atual presidenta é de graça? Todo mundo sabe que a Globo é de direita. Você acha gratuito esse tipo de coisa?Acha que eles não querem “ensinar” nada a ninguém?

          Programas como Zorra Total são os que mais influenciam a mente da população brasileira. E você acha que isso não importante? Você acha que não tem problema nenhum um programa de TV que tem 25 pontos de audiência no sábado fazer chacota com o fato de mulheres sofrerem abusos sexuais todos os dias? Isso é uma ofensa a todas as mulheres que têm que andar na rua com medo todos os dias. E a TV está dizendo que isso é NORMAL. Putz, qual problema é mais sério do que isso? #classemédiasofre??????

          Gostei muito do texto.

          • Anderson disse:

            Excelentíssimo texto, porém há uma ressalva: as críticas ao Governo Lula – Dilma não são gratuitas. Isso é teoria de conspiração. Prova cabal de que quando a direita estava no poder, o Casseta e Planeta arrastou-se por 1 década satirizando o Governo, inclusive as constantes viagens do presidente FHC, aclamado pelos “cassetas” como “Viajando Henrique Cardoso” e outras alcunhas.

            A crítica sempre existiu e se elas são aparentemente mais pesadas hoje em dia não se deve exatamente ao vanguardismo de direita da emissora, mas sim ao nível de humor dos espectadores.

            • Bruno disse:

              Fato. Me irrita ver os esquerdistas tachando tudo de conspiração. Falam que a veja só critica o Lula, mas a mesma veja criticava a direita no poder. A Globo é a mesma coisa, o problema é que o Lula sempre quis se fazer de coitadinho e de vítima das emissoras grandes, daí os defensores da esquerda acataram esse tipo de pensamento.
              Sobre a piada do estupro, não acho válido esse tipo de humor na televisão, uma coisa é o humor ácido que o rafinha bastos faz (não estou defendendo, não gosto dele) e outra coisa é esse quadro horrível da zorra total que é veiculado por uma grande mídia de comunicação de massa, como é a globo.

            • Priscilla Andrade disse:

              Maravilhosa ressalva caro Anderson, este foi o ponto com o qual também descordei. Quanto a todas as demais palavras do texto, achei tudo muito bem colocado. Está de parabéns João Márcio.

          • Letícia disse:

            pessoal, o assunto pricipal é violência À mulher. gostaria de parabenizar a quem escreveu o texto e queria ver o q podemos fazer para mudarmos os índices de violência à mulher no país e como exigir que retirem esse quadro do zorra total.

            acreditem o povo PODE MUITO, basta querermos e fazermos. afinal ñ foi o povo que trouxe de volta a democracia?!
            pensemos bem e vamos AGIR pelo que temos como certo neste país!

          • Juarez disse:

            Melissa, tbm adorei seu posicionamento quanto ao comentário.
            também acho tamanha ignorância do ser humano estar vivo até hoje e não perceber as influências que a mídia tem trazido para a população de maneira tão sutil e engraçadinha….
            na verdade é questão de empatia, se colocar no lugar dos outros que já sofreram abusos sexuais e se contar uma piadinha…com certeza não é nada fácil e aquele velho filme vim a tona…..nem gostaria de imaginar isso acontecesse com minha filha. Enfim, estamos numa “era” que as mulheres estão ganhando tantos privilégios jurídicos, busca do conhecimento(faculdade),empreendedorismo e muitas outras coisas, pq nosso lesgislador não dar um basta nissso?será que os rastros da DITADURA ainda existe na mídia?a quem interessa a Lei Maria da Penha que só serve pra prender em flagrante e depois é liberado?a quem interessa isso tudo?

        • Rodrigo disse:

          Nota-se que você não consegue sequer imaginar o poder de penetração da televisão no imaginário popular…

        • Diego Costa Cardoso disse:

          Fã de Zorra Total detectado! xD

          “Gente vamos nos preocupar com coisas que realmente vale a pena.”

          Ja parou pra pensar que o que vale a pena pra vc pode não valer pra outro? E se vc preocupa tanto com isso, pq não vai fazer a SUA parte e fazer valer a pena seus focos?

          Hipocrisia e burrice crônica TB detectadas! xD

        • Amanda disse:

          1 aprende a escrever direito, seu boçal. 2 não é questão de levar as piadas do zorra total à sério. O texto vai além, comparando as duas formas de humor [negro]. 3 se for pensar o quão educacional ou não um programa é, deve-se levar em consideração que a Globo é a MAIOR rede de televisão do Brasil e, consequentemente (e infelizmente), também é formadora de opinião, exercendo uma grande influência no padrão comportamental dos brasileiros. 4 bom, o resto do que você falou eu não entendi, mas o que realmente vale a pena pra você? Ah, bem vi, é homem, não entendeu a mensagem e, provavelmente, é machista.

          • SIMONE FIUZA disse:

            Pois vamos fazer piadas utilizando MONTESQUIEU, ROUSSEAU.
            DEIXA DE SER IMBECIL. SÃO PIADAS E COM RELAÇÃO A SER OU NÃO INTELIGENTE, NÃO SE MEDE OLHANDO UM PROGRAMA DE TV E SEMPRE ESTAR RESSALTANDO E ANALISANDO CADA PALAVRA PRA VER O LADO INTELECTUAL NÃO. EXISTEM COISAS FORA DO CONTEXTO DO INTELECTUALISMO. ATÉ NO TEMPO DO RENASCIMENTO CULTURAL NÃO SE VIVIA 24HORAS BUSCANDO O LADO FILOSÓFICO DAS COISAS NÃO.
            DESOPILA A GLOBO TÁ MOSTRANDO O QUE ACONTECE NO DIA A DIA

            • Yasmine disse:

              Cara Simone,
              A Globo não está MOSTRANDO o que acontece no cotidiano das pessoas, elas está NATURALIZANDO a violência contra a mulher e você como mulher deveria se ofender também.

        • Artur disse:

          Meu amigo, pessoas pouco estudadas levam sim em conta o que vêem na televisão, e digo mais, as mensagens deixadas por esses programas e suas piadas de mal gosto, começam a virar piadas no meio de jovens.
          E mais, quando tu diz que as piadas só tem graça quando se utiliza de coisas do nosso dia a dia, agora eu te pergunto, tu acha normal uma mulher ser abusada dentro de um ônibus ou metrô? Já pensou se tua mulher, mãe ou tua filha passar por isso? Tu vai virar pra elas e dizer que isso faz parte do cotidiano? Não irás te indignar? Reflita com tuas palavras!

          • SIMONE FIUZA disse:

            Mas também sabem identificar quando se trata de uma piada e quando se trata de conhecimento que precisa ser absolvido.

            • Priscilla disse:

              “conhecimento que precisa ser absolvido”. Coitado do conhecimento, o que ele fez pra ser absolvido ou condenado? caramba… isso aí é coisa de quem assiste a REDE GROBO. cambada de teleguiados.

        • Sabugo do Nozor disse:

          Nada haver? Nada haver????

          Cara… Por favor… Sério mesmo??

          Nada A VER. Nada A VER.

          Nuóóósss… Afff…

        • Paulo disse:

          Vc perdeu o foco da discussão… até ai eu tb concordo que piada é piada e não devemos nos matar por isso. Mas o problema não o fato de que a TV “prega” valores e “ensina” sim, principalmente aqueles menos preparados para distinguir as coisas e formar opinião própria. O problema que estão discutindo é o fato de grande parte da opinião pública, inclusive diversos globais terem repudiado a fala do Rafael enquanto, segundos depois, sua própria emissora emitia A MESMA piada, sem qualquer rechaço ou repercussão.

          • Achei o texto muito apelativo. Esse quadro do Zorra não dá ênfase ao estupro e sim mostra o que acontece nos transportes coletivos que o brasileiro é obrigado a utilizar todos os dias. Mostra também o linguajar “pobre” que está agradando uma galerinha específica e lançando moda. rsrsrs. Esse ator que faz a Valéria, também faz o “Ardimilso” e ela a “Crarete”, e mostram o mesmo tipo de personagem que está aparecendo, atualmente, pelas ruas e “bailes” do Rio.

            • diego disse:

              concordo com você. Também achei que o texto está descaradamente pendendo para o lado do Rafa Bastos (apesar de eu também gostar do trabalho dele).

              O responsável pela coluna, em alguns pontos está correto, como “a rede Globo é formadora de opinião”, porém qual é o verdadeiro significado de televisão? distração!

              é para isso que ela serve. e é isso que o povo quer!

              Porém não concordo com a colocação de que as pessoas de menor instrução é que assistem ao programa. Aí você, meu amigo escritor, está banalizando, está sendo preconceituoso. percebi que vc não gosta da globo. Cara, na boa, se não gosta, não assita!

            • Angela disse:

              O Zorra Total, realmente faz uma crítica de um dos meios de transporte utilizado pelo povo. Como a globo é um comitê do PSDB, tem fixação em derrubar o governo federal, e tenta atrelar o metro, que é de responsabilidade dos governos estaduais, ao governo federal, e estigmatiza tipificando os usuários como pessoas pobres e “sem educação”, porque essa é a visão do PSDB. Por que a globo não satiriza o governo estadual, e o municipal de S.P.,que teve aumento de R$10.000,00?

              • Lauren disse:

                Legítimo discurso de esquerdista noiada!! Como já citaram aí em cima, os humoristas da Globo SEMPRE pegaram no pé de presidentes, independente de partido. Mas petistas fanáticos tem memória seletiva e vivem com suas teorias da conspiração. Como tudo o que já aconteceu envolvendo o partido, ainda se recusam a abrir os olhos e ver que PT é partido como qualquer outro. Político é tudo farinha do mesmo saco, só pensam no próprio umbigo, ou melhor, no próprio bolso.

        • É esse tipo de hipnose que essa “bobeira” faz.

        • Nana disse:

          eu poderia dizer que só por assistir zorra total há chances do cara ser um idiota, logo…
          entratanto, coisas muito séria acontecem na nossa sociedade e muitas delas são aprendidas sem precisar cair na prova. uma delas é o machismo que reflete o fato de 10 mulheres por dias serem assassinadas no brasil e a cada 12 segundos uma mulher ser estuprada ( fora o que nao é contabilizado) .e esse tipo de piadinha acontecer. as brincadeira tratadas de forma consensual se internalizam na mente das pessoas. será então que devemos aceitar piadas racistas, piadas com assedio sexual?? bota a cabeça pra funcionar e pare de engolir tudo que passa na TV

        • Veronica disse:

          O publico do zorra total indiretamente leva a serio. Hj em dia td mundo quer se mostrar “politicamente correto”, mas passa um troço desse na tv e n inguem fala nada.

        • Vanessa disse:

          Prezado Manoel, com certeza você nunca sofreu abuso sexual e com certeza nunca comeram o seu cú contra a sua vontade! Então sugiro que você faça isso e veja se é legal mesmo rir desse tipo de piada!

          • dost disse:

            já fizeram isso com vc?
            leve em consideração o que a Sandy falou… é possível ter prazer anal…

          • Lauren disse:

            Vanessa, nem é preciso tanto. Ah se todos os homens pudessem passar uma semana vivendo e sentindo na pele o que as mulheres passam, talvez vivessemos em um mundo melhor.
            Não temos liberdade pra nada. Em pelo século XXI não podemos andar sozinhas na rua.
            O homem (masculino mesmo) é um ser doentio, atrasado, que não sabe e não consegue (e muitas vezes nem quer) respeitar uma mulher. TODOS (sem exceções mesmo) enxergam a mulher como um simples pedaço de carne, algo que tem a obrigação de satisfazer os desejos deles. Simplesmente desprezível.

            • Daniel Rodrigues disse:

              Todos, Lauren?

              Inclusive o autor do artigo deste tópico?

              Você conhece a opinião de “todos” os homens a repeito das mulheres? Leu algum artigo científico estatístico que dissesse isso?

              Cuidado com as generalizações indevidas e falsas. Perde credibilidade no discurso com isso e se acaba se colocando com uma femista ao invés de uma feminista.

            • Camila disse:

              Não se pode dizer todos. Infelizmente sabemos que o mmachismo ainda é presente na sociedade (inclusive entre mulheres), mas não seria correto dizer que todos os homens agem assim.

        • Discordo de você Manoel…
          É exatamente isso, e muita gente daqui nem havia pensando na besteira pela qual estava rindo..
          É IGUAL o que Rafinha Bastos falou, com a diferença de que está na televisão.

          Concordo plenamente com o autor do texto !
          Parabéns

        • Carina disse:

          Manoel, vc é um tremendo babaca! Violência contra a mulher é um assunto muito grave, principalmente o estupro.
          Mentalidades como a sua, fazem com que aconteçam essas coisas.

        • Ana Beatriz disse:

          VAMOS RIR UM POUCO, TEM COISA MUITO MAIS SÉRIA ACONTECENDO E VCS QUEREM TIRAR AS POUCAS COISAS QUE NOS FAZEM RIR. ISSO É FALTA DE PIROCA!!!!

          • Bruno disse:

            Desculpa, Ana Beatriz, mas se você ri de Zorra Total, você é uma belíssima boçal.

          • Sim vamos rir, mais com coisas inteligentes e não com coisas que de gradão a dignidade do ser humano.
            Há muitas coisas mais importantes para nos preocuparmos, más porque não começarmos pelas pequenas coisas das quais podemos mudar.
            É por essas e outras que deixamos passar, coisas que a principio parecem inocentes e sem importância e por isso acabam tomando proporções bem maiores. Ai de um estupido programa de “comédia” passa para o noticiário das 8h.

          • lafa disse:

            se isso te faz rir velho, se interna entao pq vc tem algum retardo mental

            • RENATA disse:

              DEMENTE É VOCÊ. RETARDADO. NÃO RESPEITA NEM OS OUTROS, O GOSTO DE CADA UM.

          • Caio disse:

            Acho que é excesso de piroca. Da sua parte.

          • Eu não sou nenhuma boçal e acho o quadro muito engraçado. A alusão a violencia sexual, que nem é forçada e sim, mostra o que acontece nos transportes coletivos que somos obrigados a utilizar todos os dias e que muitos dos que estão condenando o quadro até podem praticar, pois os humanos são hipócritas, não tem nada a ver com “formação de opiniões”. É um humor ingênuo, querendo mostrar, isso sim, o tipo de assunto que habita a mente de pessoas “baixo nível” representado pela “Valéria”, que se aproveita da simplicidade e ingenuidade da “Janete”. Pra mim o quadro mostra como certas pessoas aceitam “amizades” que as humilham…, e que deve servir como um alerta.

            • Isabel. Entendi o que você quer dizer. Você tá falando do quadro em si e não da piada do abuso isoladamente. Que você não ache ofensivo, isso é simples de entender. Isso não quer dizer que não seja para uma parte relevante de mulheres e homens.

              Não creio que haja uma má intenção dos autores, na certa eles estão raciocinando nesta linha que você apresentou.

              Eu particulamente, das primeiras vezes que assisti, não levei a sério está parte do quadro. Li ele nesta linha de raciocínio que tu esboçou.

              Só que depois, lendo um texto deste blog e de outro, percebi o quanto ele podia ser ofensivo para outras pessoas e não pra mim.

              Percebi também que aquela piada não surtiu efeito em mim, por que para mim parecia uma coisa normal. Nunca abusei de uma mulher em nenhuma situação, mas aquilo não me pareceu algo grave.

              E isso é grave. Aquela situação é para ser lida como algo grave. Não importa se isso faz parte do cotidiano.

              Alguém comentando em outro blog até comentou assim: “se pelo menos, no final ela fizesse alguma coisa para barrar com o abuso, seria algo positivo.”

              Entenda, pode-se inclusive fazer referência a está temática no humor sem ser complacente com o abuso. Não creio que as pessoas estão criticando o quadro por preconceito de classe com as personagens, é muito mais o quadro qu é profundamente preconceituoso com elas.

              Agora, acho fundamental diferente este quadro do do Rafinha Bastos: Ele sabia que a piada era extremamente ofensiva, e não receiou em fazê-la.

              O do Zorra Total, creio que estão envolvidos por esse
              envoltório de “não tem nada demais”.

            • Vívian disse:

              Querida Isabel, pirocas a parte, o fato de voc{e ter uma interpretacao do quadro, nao significa que seja a única. Com piroca ou sem piroca, com realidade do transporte coletivo ou nao, a verdade é que há uma cena de abuso sexual mostrada como se fosse um favor feito a mulher.
              Tudo o que assistimos, ouvimos, lemos, nos faz construir nossa opiniao, seja essa construcao feita de forma consciente ou inconsciente (como você acha que tudo que está dentro da sua cabeca chegou lá?)
              Pode ser que o quadro foi escrito com ingenuidade, que o escritor nao se deu conta de que estava dando margem a este tipo de interpretacao. Mas agora, com a repercussao, ele já sabe e poderia tirá-lo do ar, nao acha?

        • Sérgio Prucoli disse:

          Estupro é piada?! A Manoel… vai pro… vai pro céu…

        • Amaral disse:

          Meu Deus: haver no lugar de a ver. Isso é “estrupo” da língua portuguesa. Fora o “brigado” e “minguem”. Mas perto do seu comentário esses erros de português não são nada.
          Fica claro que o problema do país sou eu. Isso, eu sou o problema, porque leio um comentário desses e não consigo respeitar a opnião que ele trás. No mínimo você, Manoel, entre outros tanto que escrevem aqui, não teve nenhum caso de estupro na família e então banaliza o que foi dito pelo autor. Eu confesso que também não tenho nenhum caso de estupro na família, não que eu saiba, mas dou total apoio a quem de alguma forma quer inibir esse tipo de ato até dos programas de “humor” ou “humoristas”. Digo pelo lado do Rafinha Bastos, porque pra mim esse programa Zorra Total mostra o declínio não só da televisão brasileira, mas principalmente do povo que assiste porcarias como essa e ainda imitam coisas imbecis que aparecem no programa.
          Eu tenho orgulho de dizer que não tenho a mínima idéia do que passa num programa desse e não quero saber, prefiro ficar uma hora olhando a obra que fiz no banheiro dentro da privada e no final dar descarga do que ver uma porcaria dessas, creio que aprendo mais com meu “passado digerido”.

        • Bruno disse:

          Me desculpa… mas você realmente não entendeu o foco do texto.
          O que está se discutindo é que a mesma piada (por sinal de mau gosto) tem duas medidas completamente diferentes: Enquanto que estão condenando o Rafael Bastos, estão achando o quadro do Zorra Total o máximo e os dois contaram a mesma piada. Isso é justo? Atenção quando for comentar.

        • Camila disse:

          A Globo parou de criar um mundo fora da realidade e agora cria a realidade. Eu não sei pq ainda fico surpresa com o fato das pessoas nao perceberem que são manipuladas pela midia, ainda mais a Globo. Gente, a Globo teve participação ativa na instauração da ditadura militar no Brasil! Sou historiadora e professora, dou aula para alunos de series iniciais até ensino médio. Meus alunos de 6 anos olham todos os programas da Globo, e me desculpem a palavra, mas os alunos estão cada vez mais “retardados” por causa desta emissora e de algumas outras também. Daí me vem a pergunta: pq os “programas educativos” da Globo não são exibidos em um horário que os estudantes possam assisti-los?

        • monique disse:

          O pior são os comentários…pessoas dizendo que ninguém copia o programa ou que as idéias vendidas pela mídia não pegam, ou que ninguém segue, porque o programa não é educativo… é por vocês pensarem assim, por acharem que não é nada demais… piada de estupro não é nada demais, cena de violência não é nada demais, preconceito explícito não é nada demais… que os padrões comportamentais vão se modificando, as pessoas se acostumando com comportamentos bizarros e copiando.. porque sim, as pessoas copiam as modinhas…boas ou ruins…

        • hum… boa teoria Manoel… seguindo por esse pensamento então poderíamos fazer um programa onde a piada fosse sobre crianças de 8 anos fazendo sexo, fumando e bebendo… afinal de contas é só humor!!

      • jacir disse:

        eu me preocupo muito com o que minhas crianças assistem na tv
        tanto na globo quanto em qualquer outro canal não sei os criterios que são usados pela sensura. mas ,se no inicio de qualquer programa dis que é senssurado pra menores de 14 anos meus filhos que são menores de 11 não assistem! eu sou contra qualquer tipo de violencia contra as pessoas sejam elas
        quais forem. quanto a questão da educação de alunos me desculpem os profissionais serios que que educam mas,tem muitos que ja não amam a profissão como antes na escola onde estudam 3 sobrinhos meus numa sala com mais de 30 malunos so 4 passaram e em todas outras salas foram usado o conselho de classe!!! onde esta o erro ? meus filhos usam o pc somente nos finais de semana, eo play a mesma coisa! quanto a conspiração mencionada eu sinceramente …não sei o que dizer mas se ha uma deve ser la em Brasilia, mas ai os eleitores tem culpa no cartorio pois ao votar em um candidato ele não se preocupa com que esta elegendo votam em um presidente de um partido,e no senador de outro e deputados tambem !cansei de escrever affff!!!

    • Rafaela Ramos disse:

      Tava pensando sobre isso, não querendo defender mas ate então isso é um programa humoristico (de pessima qualidade ou nao) uma ficção, não é um comentario de um cara Bonito, apresentador de TV que julgamos ser uma pessoa inteligente! pensem nisso!

      • Emmanuele disse:

        Mas pode ter certeza que essa massa brasileira, que não teve acesso a educação que você e o bonitão a quem você se refere tiveram e deixou você uma pessoa tão esperta assim, vai ser muito mais influenciada por esse discurso cruel e machista disfarçado de programinha inofensivo. Absurdo e contraditório ouvir de alguém que se considera superior intelectualmente ao público que assiste Zorra Total que todos os estereótipos, preconceitos e afins difundidos em um quadro como esse são mera ficção. Pense nisso 😉

        • jacir disse:

          parabens emmanuele!!!!!!
          se pensarmos que a televisão dita a moda ,um corte de cabelo uma roupa legal,
          um linguajar diferente até para a classe media alta que tem a informação a mão
          imagine pras pessoa que não tem acesso a informação alguma, somente a televisão…..

  2. caio disse:

    viajou na maionese… são contextos diferentes.

    • Rodrigo disse:

      Contexto diferente pq? Pq o estupro não vitimou uma heterossexual, e sim um gay? Não entendi a diferença de “contextos”…

      • O cara já acha que é homofobia. Virou moda agora, né?

        • Eu já to preparando meu carro voador pq to sentindo que vem mais uma marcha pra destruir o sistema de engenharia de tráfego da cidade (que já dá pau normalmente). Por que as pessoas não podem ser o que são no seu canto??? Marcha do Orgulho Hétero… vou lutar pra criar o Dia do Orgulho Albino e o Dia do Orgulho dos Feios (pq esses dois grupos sofrem mais preconceito do que qualquer outro)…
          #cincohorasprachegaremcasaemdiademarchaéfichinha

        • O fato da população se atentar a um fato secular e criminoso não significa que é “moda”. Você faz jus ao nome, Porta.

    • Jan JS disse:

      Como assim viajou na maionese???? É exatamente a mesma coisa, vc deve estar viajado na programação da “PLATINADA” que já programou você também. Parabéns João Márcio. E não só esta impunidade que existe a favor da Tv Globo.

      • Parabens ao João e gente, a Globo é uma emissora satanica, eles fazem tudo pra influenciar o podo de maneira errada. O mundo esta perdido e a tendencia é só piorar. Deus tenha misericordia dos justos.

        • O problema não é a Globo, nem a Record, nem porcaria nenhuma de canal. O problema está na cabeça de cada um que não sabe usar o próprio bom senso, e dão audiencia para programas absurdos, supostos ‘humoristas’ que só sabem enfatizar o preconceito – inclui nessa leva o preconceituoso e metido a besta rafinha bastos.
          A única diferença entre o Zorra total e Rafinha bastos é que o Zorra nunca se colocou como humor inteligente. Sempre foi e sempre vai ser a porcaria que foi. E Rafinha bastos, que se diz fazer humor inteligente só sabe fazer piada preconceituosa.

          Então até entendo quando o colega ali em cima diz que são situações diferentes. essa é a explicação. Um sabe que é uma bosta, e o outro se acha o maioral e é uma porcaria até pior que o primeiro.

        • Marcos disse:

          kkkkkkkkkkkkkkkk tava demorando para aparecer um profeta.

        • A Globo é uma emissora satanica!
          Só a Record salva!
          hauhuauha qual é!!!

          É a mesma piada, só foi colocada de forma diferente.
          Mas como é a Globo ninguém esquenta!

        • deus? hm ..

      • Luciano Pires disse:

        Jan JS, permita-me utilizar na íntegra sua resposta porque ela é a mais perfeita verdade.
        “Como assim viajou na maionese???? É exatamente a mesma coisa, vc deve estar viajado na programação da “PLATINADA” que já programou você também. Parabéns João Márcio. E não só esta impunidade que existe a favor da Tv Globo.”

        Parabéns ao Maurício e à você pela clareza e pontualidade na resposta.

    • Mari disse:

      Adorei o argumento: viajou na maionese.

  3. Parabéns João Márcio, é necessário acabar com as “piadinhas” machistas e agressivas, seja com mulheres, homens ou como o cidadão quiser se definir sexualmente. Ótimo trabalho.

  4. mas voce vai me falar que o zorra total não é o programa que mais ofende tambem aos homossexuais?!? vejo com muita frequencia homossexuais reclamando que as pessoas acham que por que uma pessoa é homossexual, não é visto como uma pessoa comum… mas programas como o tal zorra total são os que mais propagam essa imagem! muito provavelmente deve ter pelo menos um esteriótipo “bixa afetada” em cada sketch! não sei como a galera não protesta contra isso…

  5. Suellen disse:

    Não sou dada ao politicamente correto, muito pelo contrário, gosto mesmo de um mal feito, mas cara, tem coisas com as quais não se brinca, ainda mais em rede nacional, ainda mais para pessoas que são facilmente iludidas. E estupro é uma dessas, não dá pra fazer piada disso, não dá pra achar que qualquer crítica é coisa de gente sensível demais. Palmas pelo texto.

  6. paulocesarcCesar disse:

    Concordo contigo no texto mas acho que são contextos bem diferente (Rafinha e Valéria). O tal humor inteligente que é pregado não é tão inteligente assim, já o humor escrachado e “da laje” que é o caso da Valéria é colocado muito coerentemente dentro do quadro. Tudo é uma questão de contexto, dependendo do olhar tudo vira algo muito maior do que é. Quando dois amigos se chamam de viados no meio da rua pode ser uma brincadeira mas quando um homem fala isso para um outro homem em tom de agressividade é sim um ato homofóbico e o termo se torna perjorativo, novamente o contexto se faz presente. Reforçando, achei seu texto super bom mas com muitas falhas no que diz respeito a contexto/argumentação critíca.

    Abraço. =)

    • Cleyton disse:

      Eu não saio brincando de estuprar.

      Brincar de chamar de viado e brincar de estuprar, pra você, estão no mesmo contexo? Onde estão as falhas de argumentação?

    • Daniel disse:

      Ao Paulo Cesar,

      Gostaria de saber o que ele entender por “contexto”. Afinal de contas, não se tratam de “piadas” particulares. Não são dois amigos na rua se chamando de “viado” (lembrando que isso também é baseado na cultura homofóbica vigente, embora não esteja sendo direcionado a ninguém especificamente). Tanto Rafael bastos quanto Valéria são elementos de ampla divulgação sem contexto especificado que visa atingir o máximo de pessoas possível. Não vejo como relativizar a questão e dizer que a apologia à violência via piada do Zorra Total e Rafael Bastos não se equivalem e não são graves. Dá para esclarecer o que seria um “contexto/argumentação critíca” correto?

    • Estela disse:

      Concordo plenamente com Cesar. Para mim o texto parece muito mais uma argumentação anti-globo do que realmente uma preocupação social. Os dois casos são completamente diferentes. Cleyton, você não deve ter entendido o que o Cesar disse, nem deve ter tentado entender!

      • Estella e César, eu não tenho absolutamente nada contra a Globo. Ela tem a liberdade de criar o que quiser, o telespectador de ver o que quiser e eu de discordar do que quiser. Eu assisto a Globo e seus canais relacionados com frequência, já fiz trabalhos para a Globo, mas acredito que numa democracia tenho plenos poderes para falar de algo que me desagrada, seja na Globo, SBT, Record, Band ou qualquer outro veículo. Eu sou noveleiro assumido, não seria coerente eu fazer uma campanhazinha extremista.

  7. yohanandrade disse:

    Já escrevi sobre isso, já li sobre isso e acho que quanto mais barulho, melhor. No blog da Lola (http://escrevalolaescreva.blogspot.com/2011/07/o-humor-em-cima-das-eternas-tragedias.html), deixaram esse comentário, que achei bastante útil: Ética Na TV: http://www.eticanatv.org.br/index.php?sec=3&cat=7&pg=5

    Eu denunciei. Quem sabe não dá resultado?

    🙂

  8. Esse programa é o cúmulo do ridículo. E a Globo faz exatamente o que o governo quer, ocupar o povão com assunto que eles gostam: sacanagem.

    E cada vez mais agora, com mais uma novela na programação pra ALIENAR a mente dos desavisados e influenciados, ao invés de fazê-los pensar e refletir sobre a situação e o atraso cultural do país.

    Brasil: política do pão-e-circo.

    • Luciano Gonçalves disse:

      Eu tenho o costume de ler todos os comentários antes de comentar algo, mas aqui tudo que eu tinha pra dizer já foi dito.
      Só gostaria de acrescentar ao seu comentário o fato de que no Brasil é mais fácil lotar as ruas quando o assunto é carnaval do que quando é o aumento absurdo nos salários dos nossos “tão estimados” políticos.
      Parabéns pelo texto a ao Diego Bueno pelo comentário.

  9. MEU CARO, DESCULPA A FRANQUEZA, MAS O QUE MUDA ENTRE OS DOIS É O HUMOR E A FORMA QUE ESTAS PALAVRAS SAÍRAM DA BOCA DE CADA QUAL. NO ZORRA, A JANETE NÃO É ESTUPRADA, JÁ NO CASO DO RAFINHA ELE AFIRMOU SEM NENHUM REPÚDIO QUE MULHER FEIA TINHA QUE AGRADECER CASO FOSSE ESTUPRADA, ISSO É TUDO MUITO NÍTIDO. DEIXO BEM CLARO QUE NÃO APOIO NENHUM DOS DOIS, MAS A FORMA QUE O ZORRA MOSTRA O FATO É COMPLETAMENTE DIFERENTE.

    • adrianoseikyAdriano disse:

      Me desculpe a franqueza! Mas vamos detalhar então! Quantos estupros ocorrem no Brasil e quantas dessas mãos bobas acontecem no metro/ônibus! sim são piadas diferentes! mas em tese, ambas afetam as pessoas que já sofreram esse tipo de abuso! Não gosto muito do Rafinha Bastos por apelar para esse tipo de piada(mas quando ele não fala sobre, é muito engraçado). Pelo o que entendi do texto, as piadas podem ser diferentes, com tons diferentes porém afetam igualmente! Pensando friamente o peso da Globo é pior, o Rafinha disse alto e a Rede Globo por baixo dos panos!

      • Bem sábado passado deu para entender que o homem que ficou atrás da Janete estava com o pênis duro, porque nas falas dela deu para entender isso, de qualquer forma é um abuso.

        • Eu assisto o quadro e gosto da Janete, mas não tinha parado para pensar nisso, ela sempre é abusada pelos homens e embora o quadro leve como um humor é um assunto muito sério, nenhuma mulher deve ser estuprada ou abusada, independentemente de ser feia ou não, é uma mulher e merece respeito. O texto está maravilhoso.

    • Douglas Paulino disse:

      Muito estranho ler alguns comentários que afirmam não ver nada de mal no quadro do dito programa.
      Infelizmente, as piadinhas servem para divulgar e fortalecer ideologias, como a de que uma “mão boba” não é um abuso sexual e que “piadinhas” não podem ser levadas a sério.

      O quadro do Zorra Total é uma apologia descarada ao estupro, ao abuso sexual e ao desrespeito ao corpo da mulher. Afinal, a mulher deve ser respeitada, sendo belíssima ou horrorosa. E sinceramente, ESTUPRO NÃO TEM GRAÇA NENHUMA. A inda mais se tratando de um país com altos índices de violência contra mulheres.

      NÃO AO ASSÉDIO MORAL CONTRA AS MULHERES!!!!!!
      NÃO AO ASSÉDIO SEXUAL CONTRA AS MULHERES!!!!!

    • O dia que encoxarem sua mãe num trem ou metrô, você vai mudar de idéia, caro. São duas formas de abuso e são abusos da mesma maneira.

  10. luana disse:

    A diferença é enorme, santa ignorância ou recalque encubado se vc não entende.

  11. Angelo disse:

    Fode -se !
    Valeria bandida é ótima!

    • Isso aê!

    • Stupid detector disse:

      ^^ “Missing brain” detected!

      • Se você precisa ofender a criatura que tem uma opinião diferente da sua, então sinceramente você não é muito diferente do que acabou de dizer.
        Eu concordo com cada vírgula do texto, sem toda a teoria da conspiração que muitos comentários acima têm – principalmente os mais extremistas sobre a crítica ao governo atual -, mas daí sair falando assim, pra mim, vc perdeu a moral

  12. Não acho que seja a mesma coisa… o contexto da piada e da graça no quadro é que está explicitamente colocado como um esquete de humor, com personagem se auto-satirizando. Não há incentivo à prática nem desdenham de quem passou por isso.

    A “piada” do Rafinha seria diferente se ELE se colocasse como um estuprado e que agradeceu ao bandido por ter feito o que fez, por ter feito esse “favor”, como ele mesmo usou. Estaria se usando como escada para isso e não as demais. Nem iria atingir pessoas que passaram por essa situação.

    A forma como ele colocou e como o esquete do Zorra coloca são totalmente diferentes.

    Uma coisa é um humorista usar outros como escada e tirar proveito de uma situação humilhante, dolorosa e vexatória, sem discernimento e sem qualquer limite para fazer rir. A outra é você se utilizar de um expediente como o do Zorra nesse caso: duas personagens fictícias conversando em uma situação fictícia, onde ninguém estará sendo humilhado por ter visto aquilo.

    Não creio que mulheres que sejam assediadas em metrôs, por exemplo, se incomodem com esse esquete, já que ele não coloca que essas mulheres são feias, vagabundas e devam agradecer o cara que está “bolinando”. Tampouco vejo mulheres que foram estupradas se sentindo rebaixadas por causa da situação vivida pelas personagens.

    Todo humor tem de ter limites e o limite é a forma como você trata a dor do outro. Mussum vivia fazendo piada com sua situação de cachaçeiro e nenhum AA o criticou. Costinha adorava imitar trejeitos de “bicha”, mas nunca vi um homossexual se ofender com aquilo.

    Não é o que se fala e sim COMO se fala…

    O tal “aproveita que tu não tá podendo escolher” que a Valéria fala pra Janete ao ver que a mesma está sendo “bolinada” não é um incentivo, nem uma depreciação. É uma zueira que uma amiga faz com a outra…

    Não dá pra comparar as piadas porque realmente estão em contextos diferentes, com intenções diferentes.

    • Felipe, meu medo com esse quadro é a banalização de algo tão podre quanto o abuso sexual. O que o quadro ensina é a sua banalização, a falta de importância. Não podemos perder nossa habilidade de nos chocar.

      • Tenho um blog onde recebo relatos de pessoas que foram molestadas, estupradas, violentadas… e vejo em quase toda maioria que o que mais incomoda não é a piada do Zorra e sim a piada do Bastos. A primeira não faz apologia nem banaliza a situação. A segunda refere-se a um comportamento padrão na sociedade: de que a mulher provocou, de que o cara “agiu como homem” e que foi até “um favor”. A primeira está fora do contexto da segunda.

        Veja alguns dos casos no blog e vai entender o que realmente incomoda, atrapalha e até incentiva esse tipo de comportamento:
        http://queridoogro.blogspot.com/search/label/viol%C3%AAncia

        O homem que estupra, que molesta, que abusa, verá o Zorra até como uma ofensa a ela, já que em dado momento, a Janete se vira contra o cara, impondo respeito. Mas esse mesmo cara encontrará respaldo nas declarações do Rafinha. Percebe a diferença?

        • Vitória disse:

          João, muito boa a sua intenção (estamos no mesmo barco), mas concordo com os comentários do Felipe. Acho até que poderia rolar uma “campanha” (se assim a Globo o quisesse) de conscientização dentro desse esquete da Valéria – o que jamais poderia ocorrer depois da piadinha do Rafinha no CQC. Como bem lembrou o Felipe, sempre no final do quadro, “a Janete se vira contra o cara, impondo respeito”. É mais grave o caso do CQC, justamente por se tratar de um humor que se diz “inteligente”, muitas vezes tendo até servido como um programa de denúncia e de crítica em assuntos sérios.

        • Hiro disse:

          acho que quem possui mais direito para responder se é abuso ou não, o quadro do zorra, são as mulheres,…

          e concordo com o João de que o quadro banaliza sim este tipo de atitude,
          bem, é a minha posição, sou mulher e quem é da Capital de SP sabe como é uma tortura ter que pegar metrô em horário de pico, já dei muitas cutuveladas em barrigas de caras que vinham encoxando ( pq realmente tem como vc ficar em uma vagão cheio de forma civilizada) .

          acho que a questão é de que maneira o cara que molesta desta forma sofre com as consequências?

        • De pleno acordo com Felipe Voigt. Não acho que não se possa fazer comédia de assuntos delicados, mas tem que saber fazer. Uma ofende, demonstra descaso, e até insentiva o crime. A outra te faz rir, bem diferentes!

          • Bem, eu não consigo rir com absolutamente nada do Zorra Total, acho um humor pobre em tudo. Eu defendo apenas que tal quadro banaliza algo muito grave. Acho um desrespeito a mulher. Concordo que não se pode ficar com medo de fazer humor e que muitas vezes o politicamente correto predomina no senso comum, estragando muita coisa. Tenho bastante medo desse levante conservador que se abate no Brasil, que censura filmes como “A Serbian Film” a pedido de um partido político de extrema-direita. Porém acredito que a falta de tato em alguns assuntos gera tal desconforto. Diariamente milhares de mulheres passam pela situação da personagem e temo que elas “aprendam a se calar”.

            • Vitória disse:

              João, gosto é gosto. Nunca gostei de Zorra Total, mas confesso que achei este quadro divertido. E continuo sem ver essa gravidade toda, como disse, até porque a Janete não permite que o “bulinador” continue com o ato grosseiro e grita com ele. De repente, em vez de denunciar, poderíamos sugerir à Globo usar justamente este quadro para alertar para a situação tão comum que é esta “bulinada” nos metrôs da vida. Sei que a Globo tá longe de ser “boazinha”, mas né, não custa nada tentar… seria uma boa forma de usarem a piada para conscientizar.

      • E seu medo é muito coerente se for ver os comentários ofensivos feitos aqui. Elas não se chocam com mais nada, nem se dão ao trabalho de ler e tentar debater sobre um assunto como o Felipe fez.

        Como não ter medo de que pessoas assim ajam da forma como os “humoristas” representam? Por mais que tenham contextos diferentes, não deixa de ser banalização de uma coisa muito séria.

        • Exato, Fabiana. E eu que estou errado em me preocupar com isso. O errado na história sou eu.

          • Acho válida a discussão… ainda mais quando se tenta acertar ao defender um grupo de uma situação vexatória, humilhante e discriminatória. Em nenhum momento estamos rebaixando as mulheres ao debater o assunto, pelo contrário: busca-se uma forma de entender quais elementos podem ou não prejudica-las no dia a dia. Seja com uma piada sobre estupro, seja com uma piada sobre encoxada, seja com uma declaração ignorante de pessoas ignorantes que xingam ao invés de debater.
            Tudo é uma questão de aprender com os conceitos alheios. Isso ajuda pra caralho na compreensão do ser humano e no nosso amadurecimento.

          • Você não está errado em se preocupar, você está mais do que certo. Parabéns pelo texto.

      • Meu caro, se você busca algum programa de TV para se educar ou aprender alguma coisa, o problema não está no programa, está em você.

        TV não tem nada que educar ninguém, muito menos programa de humor ruim.Tem que divertir, respeitando a Lei e mais nada. Se de vez em quando educa ou passa algo útil, tudo bem, mas isto não é regra nem norma a ser seguida.

        Vê bem que o problema pode não ser o remetente ou a mensagem, mas o destinatário.

      • Eu não conhecia o quadro, só o bordão da personagem que diz “Ai, como eu tô bandida!” que eu até acho graça, sem conhecer o contexto. Vou assistir, procurar no YouTube, pra depois vir comentar aqui com conhecimento de causa.
        A princípio, me fiando no que você viu e escreveu aqui, não há diferença entre as duas ‘piadas’.
        Eu já passei por isso algumas vezes, acho que todas as mulheres que pegam transporte coletivo já passaram por isso, e não é nada agradável. É humilhante, dá vontade de chorar (e às vezes a gente chora – mas às vezes a gente grita também), não tem graça nenhuma. Nem numa piada.
        Vou assistir e depois volto!

        Beijo!

    • Daniel disse:

      Intenções diferentes? Parece bem claro que a intenção de ambos é fazer rir com base na desgraça alheia. Não faz diferença qual personagem o autor de uma “piada” incorpore – o estuprador ou a estuprada – ou se a protagonista é fictícia se no final das contas tenta-se banalizar o estupro como algo corriqueiro e aceitável. Não existe isso de que só a forma importa pois a informação é a soma da forma e do conteúdo.

  13. Excelente texto! Não Assisto Programas desse Tipo… Só Fui descobrir porque uma amigo me passou o link no Youtube. u.u’

  14. bnmbnbn disse:

    você é doente,viajando

  15. @jdneto disse:

    eufemismo ftw.

  16. Excelente o seu texto, sempre pensei isso também. Vou divulgar!

  17. Thiago Véras disse:

    Acredito que a mídia apela demais, e precisamos ter o bom senso, porém o que li agora, foi algo muito radical. Sobre o que o Rafinha falou, realmente foi repugnante, porém o quadro do Zorra Total, não incentiva a ninguém a deixar ser tocada inapropriadamente por outros homens. Em cada pessoa existe o bom senso ( ou na grande maioria das pessoas ) e cabe a cada pessoa deixar o que os outros querem que façam com o corpo. A globo com esse seu novo quadro não está fazendo uma apologia a nada. Acho que é preciso parar de olhar muito crítico pra Deus e para o mundo e começar a se criticar mais, dono da verdade ninguém é, muito menos quando vem com alienações. Do mesmo jeito que eu desejo que as pessoas tenham bom senso no que se assiste na televisão, espero que tenham bom senso com as críticas forçadas.

    • Maria Angelica disse:

      Acho que a questão não é incentivar as pessoas a deixarem a ser tocadas, mas sim criar uma ideia em quem toca de que isso é comum e totalmente aceitável violar o corpo de uma pessoa.

  18. Gostei muito da materia, mais pura realidade

  19. Obrigada, João.

    As pessoas tem que aprender que algumas coisas não são brincadeira, principalmente se o público não consegue criar um limite entre “piada” e “ação”.

  20. Fernando Firmino disse:

    Claro que não tem graça nenhuma saber que quase metade das mulheres brasileiras sofrem violência doméstica. Estupro e abuso sexual, muito menos. Porém, acho exagerado o comentário sobre o quadro do Zorra Total (do qual eu NÃO sou fã). Creio que esse exagero seja consequência do que chamamos de “politicamente correto”. A obrigação do politicamente correto está tão presente no inconsciente coletivo, que não se pode fazer mais piada sobre nada. Imagine, por exemplo, os trapalhões nos dias de hoje: mussum tomando sua “cachassis”; didi duvidando da masculinidade do Dedé, num programa dirigido às crianças;… seria um absurdo, né? Uma afronta aos direitos humanos! Não se pode mais fazer aquele humor despretensioso, sem demagogia de antigamente, infelizmente! O humor salva as pessoas do seu dia a dia sofrido e tedioso e talvez a “Valéria Bandida” seja a única opção de diversão de muita gente que não se enquadra na definição de público “elitizado” socio-culturalmente. Vamos repensar? Sem exageros…

    • Luanna disse:

      Concordo com vc! O ploticamente correto estragou tudo!

    • Daniel disse:

      Não existiria “Os Trapalhões” hoje? Que bom então!!!

      Acho engraçado como colocam o fato de um programa incentivar – via piada – o preconceito e a ignorância EM CRIANÇAS como algo positivo! Não existiria politicamente correto se as pessoas tivessem o mínimo de bom senso e não fizessem tanta questão de serem politicamente escrotas em relação às demais pessoas.

  21. Ai vai caçar o que fazer……. lavar uma louça
    claro comparar o Extrupo com a bolinação que é um trem lotado tem tudo a ver neh affff … emnte pequena

    • Que nojo do seu comentário. Nojo.

      • Estamos discutindo, DJ, a forma como foram abordados os temas e não se é ou não é violência. Uma “bolinada” é considerada uma violência sexual, sim. É invasiva, não é permissiva, degrada, ofende… É um estupro moral.

        É o mesmo que chamar de “atentado ao pudor” um estupro cometido via anal. Muda-se apenas a forma, mas é estupro sim.

        Típico comentário que nada acrescenta, DJ…

        • Dsutil disse:

          Lembrando que em muitas cidades brasileiras foram criados vagões exclusivos para mulheres no metrô e trens, exatamente devido essa “bolinagem” tão “inocente” que alguns homens praticam. Espero que vc não se enquadre nesse perfil “bolinador” DJ!.

    • MEU DEUS DO CÉU! Tipo…como assim?
      Abuso sexual é bolinar no metrô sim!! Claro!!

    • Nem sei o que falar para esse camarada. O que eu queria saber é se pessoas ” bolinassem ” a mãe ou irmã dessa criatura ou mesmo a filha dele ( apesar de que com um comentário desses acho que o perigo mora em casa ) essa pessoa teria o mesmo ponto de vista. Olha se o fim do mundo existe eu não sei, mas que as pessoas estão se superando a cada dia isso com certeza estão. Muito bom o texto são coisas inteligentes assim escritas que nos fazem parar para pensar. Parabéns.

    • Bruno disse:

      Aprenda a escrever, senhor DJ boçal. Em primeiro lugar, você tem irmã? Namorada? Bom, mãe é certeza que tem. Me diga, meu querido, você acharia normal ver um babaca tarado passando a mão na bunda da sua mãe? Pois é.
      Eu acho isso NOJENTO é coisa de gente problemática, sinceramente. Não gosto que minha namorada pegue ônibus sozinha por conta disso. Se precisar pegar, prefiro eu estar junto, assim intimida pelo menos um pouco esse tipo de gente.

      Ps. Você deve gostar de ser bolinado num trem lotado, né?

  22. Fernando disse:

    n defendendo a emissora acho muita falta de culta essas porcarias …
    mas n acho que eh um caso de estupro esses dias de piadas! estupro ate onde enrendo eh quando vc eh pego a forca e n eh isso que esta mostrando em rede nascional!
    nem na Globo ou qual quer outra, piadinhas assim tem em varios canais.
    acho q o q esta abordando eh brincadeiras entre amigos(as) cata q vc n tah podendo escolher! mais sei la … formas de pensar diferentes (tenho caso de estupro na minha familia tbem e nao me senti constrangido quando vi a Tal Valeria que quase tds comentas mas enfim formas de pensar diferentes!

  23. Bianca disse:

    Para de levar a vida a ferro e a fogo…Não curte? Desliga a TV e lê um livro!

    • Bianca nunca teve o desprazer de ser ‘encoxada’ num coletivo, pelo visto. Fico feliz por ela! Espero que não precise passar por isso pra entender o quão humilhante, violento e nojento é.

  24. Sérgio disse:

    Hoje em dia estão todos muito preocupados com o “politicamente correto”. Gente, humor é humor, não é para ser levado a sério!!! Senão daqui há pouco não vai mais ser permitido fazer piada nenhuma… qual o problema de fazer piada com mulher feia, com homossexuais, homem careca, menina gordinha, português, político, etc. Agora tudo é preconceito, tudo é racismo, tudo é homofobia… levem o humor um pouco menos a sério e se permitam rir do politicamente incorreto. Sou gaúcho e todos os humoristas fazem piadas de gaúchos.. vou fazer o quê? Processar os humoristas porque me senti ofendido? Ah, façam-me o favor! Não gosto e não assisto Zorra Total, mas acho que um exagero se preocupar com essas coisas, com tanta coisa importante para se preocupar. Tem gente roubando em tudo que é setor da política e o pessoal preocupado com o tema da piada do Zorra Total!!! Francamente…

    • TormenT disse:

      Mandou bem man…. faço das suas palavras as minhas…
      enfim eu assisto esse quadro e nao vejo nada relacionado a estupro…

    • Concordo. Não tem nada a ver com estupro. Aliás, o mais evidente é o linguajar (da Valéria) muito semelhante a uma galerinha específica que anda por aí e que está lançando moda rsrsrs. Será que eles se vêem nesse quadro? Será que “esses” conseguem ver o quão ridículo é esse jeito “pobre” de falar? Esse ator consegue fazer no outro quadro do Zorra, com o personagem “Ardimilso” a mesma crítica ao jeito de falar dessa galerinha. Eles são muito bons!

  25. Felipe disse:

    Não concordo em nada dessa babozeira toda! “Nada a vê isso que tu falÔ”

  26. eita.reita disse:

    Sem chance, esse mundo ta muito chato! ninguém mais pode falar nada que ta errado, FDP de quem não sabe diferenciar humor da realidade.

  27. Pois é gente, isso é BRASIL.

  28. nossa, falaram muita bobagem sobre contexto

    o humor é a ferramenta utilizada dentro e fora da mídia para fazer uma idéia ser aceita, independente da classe social ou grau de instrução de quem recebe a mensagem

    • Lilian disse:

      Sil, vc disse tudo com esta frase!

      Qtos de nós já não usamos um tom de brincadeira pra falar algo a um pessoa e a nossa idéia ser aceita, né?É a coisa mais comum no nosso cotidiano.

  29. Hiro disse:

    a mídia sempre “brincou” com estereotipos, tipos e preconceitos,
    e a imagem de mulher objeto se extende por todos os canais, sem falar nas propagandas!!
    o que deveria ter um cunho de responsabilidade enorme, uma vez que o conteúdo é veiculado à toda população, eles tratam como se fosse algo efêmero e acabam produzindo programas vazios de conteúdo mais cheios/lotados de preconceitos.

    e infelizmente, é esse tipo de material que agrada a maior parte da população, uma vez que estes acabam tendo na tv uma forma de “compensação” após um dia cheio de trabalho

  30. Everson Barboza disse:

    Ai gente, quanto barulho por nada… Tem coisas mais importantes para vcs se preocuparem.

    • H.C.T.T. disse:

      Ah claro… como tem “outras coisas mais importantes” pra ligarem então ninguém pode debater outros assuntos. Brilhante, champs. Ah, bolinação também “não é nada”. Você tem taras com gente tocando alguma mulher que seja próxima a você (mãe, esposa, filha, irmã, melhor amiga)? Só isso explicaria, pq né…

  31. Juliana disse:

    Engraçado que tem gente que que acha ruim que critique ainda. Alem do programa não acrescentar nada, ainda banaliza um assunto desses.
    Não importa qual dos dois foi o pior, todo mundo entendeu o que se quis dizer!
    Brasileiro sempre deixando pra lá…

  32. Naiara disse:

    Eu também não sou daquelas que defende sempre o politicamente correto, rio sim de algumas piadas que não são exatamente certas mas concordo em genero numero e grau. Nunca vi o quadro em questão, confesso. Zorra Total se tornou um programa intragavel ao meu ponto de vista, há muitos anos… Seus quadros tem ficado cada vez mais repetitivo e com piadas mais ignorantes… Então não sei se posso falar algo sobre o quadro, mas concordo quando diz que a globo é cheia de piadas machistas. A maior parte das pessoas, ao ler isso, vai dizer que sou feminista e coisa do tipo, mas não sou! Convivo com diversas coisas que são consideradas machistas e não dou a mínima para a maior parte delas… Mas essa piada sobre o estupro é totalmente ridícula. Banalizar uma coisa dessas, que fere de forma tão profunda a pessoa – e a família da pessoa – que passou por isso… é inaceitável!!! Sem contar, como alguém já comentou ali em cima, as piadas com o homossexualismo, bissexualismo, transexualismo… A cada dia vemos mais e mais organizações para a “aceitação” do homo/trans/bissexual… e vem a globo e taxa tds eles como pessoas afeminadas, que usam roupas de mulher – ou de homem, no caso das mulheres homossexuais – que são sempre subjulgados nos quadros e cada vez mais humilhados???
    convenhamos, Rede Globo… vc decai cada dia mais.

  33. Ótimo post, de fato n tem nenhuma diferença. Ingênuo é aquel@ que acha que no humor pode tudo, inclusive discriminar dessa forma gratuita. Digo gratuita porque existem comediantes que conseguem ironizar e com isso criticar, mas infelizmente conheço bem poucos. A piada do Bastos, como 100% dos programas de humor da globo são gratuitos, não questionam o status quo, apenas reproduzem o machismo e homofobia (e transfobia nesse caso), e isso tem uma grande influência sim nas pessoas, porque essa ideologia de que mulher ‘quis’ ser estuprada/assediada pq era ‘sem vergonha’ ou ‘feia’ e tem que ‘aproveitar’ esta aí na boca de muitos políticos, inclusive. E da onde veio isso? desses discursos, veiculados pelos canais de mídia.
    A Lola postou algo sobre esse programa do Zorra tb, quer quiser ler é bem legal:
    http://escrevalolaescreva.blogspot.com/2011/07/o-humor-em-cima-das-eternas-tragedias.html

  34. Joao Limes disse:

    Tenta fazer polêmica nãao, vc ta viajando grande.

  35. Tássia disse:

    Oi João, muito bom ler esse tipo de matéria hoje em dia, principalmente quando é um homem que escreve. A televisão instiga o preconceito com pessoas pobres, negras, homossexuais e mulheres. A mídia acaba se tornando porta-voz das opressões que presenciamos no nosso dia-a-dia. Temos que combater essas opressões.
    As praças árabes e os indignados da Europa estão transformando nossa vontade de mudar.
    A marcha do orgulho gay em SP foi um sucesso, nas marchas da liberdade vimos a pauta da opressão muito presente e as marchas das vadias tocaram exatamente no ponto da sociedade e mídia.
    A partir destas iniciativas podemos construir um futuro diferente, matérias como essa somente inspiram nossas ações por liberdade!
    Parabéns

  36. Tem que acabar com esses fascistas que vivem falando “tem que acabar com piada disso ou daquilo”.
    Nazistinhas do caraio sô!

  37. Marcio Eduardo disse:

    Concordo que é piada é mto infeliz realmente, mas logo tdo será errado, proibir tdo um dia vai acabar a piada e ai teremos um mundo sem graça. Isso é tema mto polemico. Será q queremos nos transformar como o frios europeus, não acham graça de nada, povo que não sabe que é sorrir!

    • vc prefere um mundo ‘sem graça’, ou sem estupros, violência doméstica, espancamentos de homossexuais, assassinatos de travestis… eu acho que prefiro a 2ª opção sabe…

      • Lia Requião disse:

        ele nao ta ”defendendo” estupros, ta defendendo a liberdade de expressao, e de humor.

        • Liam, eu defendo a liberdade de expressão, mas não se pode ofender a dignidade do ser humano ou fazer alusão a crimes em nome dessa liberdade. Acho que ninguém gostaria de ser ofendido gratuitamente e ter como justificativa para tal a liberdade de expressão. O problema dos defensores da liberdade de expressão depois de fazer uma cagada, como Rafinha Bastos, é justamente não se colocar no lugar do outro.

          • Mari disse:

            Olha, essa discussão é completamente jurídica. Para facilitar a vida de vocês é o seguinte: dignidade da pessoa humana e liberdade de expressão são dois direitos fundamentais. Não tem um mais importante que outro. Cada caso concreto deve ser analisado. Em se tratando desse quadro do Zorra, não há dúvidas de que a liberdade de expressão fala mais alto. Isso porque é um quadro de humor e também por não haver ofensa direta. Por exemplo, eu posso falar: “odeio os homossexuais”, mas não posso dizer “Fulano, você é um imbecil por ser homossexual”, pois nesse caso existe uma ofensa direcionada, caracterizando o crime.

            • Daniel disse:

              Mari,
              Completamente equivocada.

              Dignidade da pessoa humana e liberdade de expressão são direitos fundamentais sim. PORÉM a dignidade da pessoa humana NÃO TEM LIMITES e a LIBERDADE DE EXPRESSÃO TEM. Não existe liberdade absoluta. Não se pode evocar a liberdade de expressão para se atentar contra a dignidade da pessoa humana. E os exemplos foram péssimos. Você não falou de ofensa direta e indireta, mas sim de ofensa pessoal e coletiva. A ofensa do Zorra Total é coletiva.

            • Evelyn disse:

              Liberdade de expressão é bem jurídico mais tutelado que dignidade humana? HAHAHAHAHAHAHAHA. Lá na USP não é isso que ensinam pra gente não, viu.

  38. Bah cara, concordo plenamente contigo. Eu jamais notaria porque esse programa já me dava nojo de tão ruim o humor deles e ainda tem essa… ridiculo mesmo.

  39. Camila disse:

    É exatamente o mesmo “propósito” abordado de maneiras diferentes. O ponto é o mesmo, a ideia é a mesma, um é “pseudo-humor” para as massas e o outro é para as supostas elites. É a velha Naturalização do Discurso (amplamente usada nas ditaduras da América Latina): torna-se algo banal, mesmo sendo tão cruel quanto o estupro, para que assim não possa ser combatido. Humor não é isso, não é essa mania de humilhar propagando o preconceito e a discriminação. Adorei a matéria, parabéns!

  40. Felipe Nunes disse:

    Falso moralismo! O cabeçalho do seu site ofende uma pessoa ou até mesmo uma classe e você dar lição de moral? Me abana.

  41. Eu fico chocada em ver como as pessoas são intolerantes hoje em dia! Gostou do texto, ótimo, comenta. Não gostou do texto, não comenta ou comenta dizendo que não gostou, pois toda discussão é válida. Mas daí xingar o autor? Pelo amor de Deus, gente!!

  42. Diego disse:

    Podre, e feio.

  43. “ensinam”

  44. Jhon-Jhon disse:

    Infelizmente éh disso que o povão brasileiro gosta! To mentindo?? Num tô!!!! Aliás o Brasileiro éh Hipocrita!!! Mais do que qualquer outro na face da terra!! Enquanto os acomodados continuam sentados vendo reprises da tv plinplin! A minoria continua a levar na cara por sua coragem, determinação e vontade de viver!
    Como dizem: Viver a vida do fulano éh fácil! Dificil mesmo éh cuidadar da propria vida!
    Entao Gentchinhaaa vams cada um cuidar de “nossa vidinha” que já eh bem curta para ficarmos gastando com coisas tão futeis!
    Faça Você a Sua Diferença!!! #Fik@Dik@!!

    • H.C.T.T. disse:

      Se é disso que o “povão brasileiro gosta” está na hora de mudarmos algumas mentalidades. Esses posts podem ajudar, assim como inúmeras manifestações que vemos por aí. O acomodado parece ser você. Você só consegue cuidar muito bem da sua própria vida a partir do momento que luta pelos direitos e melhorias do povo COMO UM TODO. Agora, pode voltar para a sua pokébola, porquê parte da sociedade você não parece ser. Abs!

  45. thamy disse:

    O pessoal do meu trabalho fica sempre falando nesse quadro e por eu nunca achar graça acabo sendo excluida me tratando como se fosse metida a intelectual ou antipatica. Vou mandar pro email de todo mundo seu texto. Nao podemos invisibilizar uma questao tao séria que é o abuso sexual com risos e piadinhas escrotas que só inferiorizam a mulher. Obrigada por essas palavras, Joao. bjos

  46. Nojo de alguns comentários por aqui que enxergam estupro, assédio sexual e bolinação como algo normal, inerente da sociedade e do macho social que se acha no direito de cobrir as fêmeas só porque ela está em seu campo de visão. Nojo do Zorra que perdeu o fio do humor há muito, muito tempo.

    Não interessa onde a piada é feita, nem de que maneira. Estupro é errado, assédio sexual é errado e não importa como a piada é feita. Se o Rafinha Bastos tivesse feito uma piada sobre pedofilia, o mundo inteiro cairia sobre ele, a Polícia Federal entraria na briga. Mas como o estupro é em mulher “feia”, as pessoas aceitam isso como humor.

    O mesmo vale para um vagão de trem onde uma mulher tem que aproveitar o momento de ser encochada pois isso não acontece sempre. Faça-me o favor, bando de machista mal amado com problema com a mãe, que entende isso como atitude de mulher normal. Vão vocês caçar o que fazer, um livro pra ler, ideias para mudar e decência para adquirir pois vocês não têm a menor ideia do que isso seja.

    Ótimo texto e ótima crítica. Abraço!

  47. Renne disse:

    Então quer dizer que as críticas ao Rafinha devem ser amenizadas porque a Globo teve atitude semelhante. Lógica estranha essa. Os dois são infelizes.

  48. Marcelo disse:

    “uma mulher é violentada a cada 12 segundos”, Isso daria 5 mulheres por minuto. 300 por hora, 7200 por dia, mais de 2 milhões por ano. Dois milhões? A fonte da estatística é oficial, policial ou de alguma entidade feminista?

  49. Vi o link pra cá de um retweet, e o texto tá muito legal, só faltou falar que o negócio de piada repetida acontece em TODOS os quadros do programa, desde o começo, e não para…
    Eu achei que o que você falou algo do tipo “É mesmo, não tina notado por esse lado”, e sempre é bom que tenha gente que cause esse tipo de reação nas pessoas, e espero que essa mensagem se espalhe ainda mais.
    Achei muito bom o fato de você não responder algumas respostas, melhor deixar eles no mundinho deles, achando que tá tudo certo.

    • Tenho muita louça pra lavar pra dar importância pra galera que vem pra ofender porque acha o quadro a coisa mais genial desde a invenção da pólvora.

  50. “Qual a diferença do estupro de Rafinha Bastos e do estupro de Valéria e Janete? Nenhuma, salvo o poder de penetração da mensagem” Você fez isso só de sacanagem.

  51. muito bem escrito, apesar de eu nao concordar c o escarceu que fizeram c o que o rafinha bastos falou, nao que eu seja grande fã dele, mas todas as piadas dele são sarcaásticas e nem por isso ele por exemplo, esta incentivando a pedofilia qdo fala sobre algo relativo.
    Igual na mtv que escracharam por causa de um quadro que fizeram no comédia, fizeram um aue. mas concordo com seu ponto de vista no lado que diz respeito que grandes emissoras tem poder pra ser aceita numa boa enqaunto outros são atacados.

  52. Cristenis disse:

    coerente, coeso, bem escrito, bem fundamentado e com um “rodapé” raro nos quadros negros no mundo dos X-man… pq eu sou é multante radical!
    to com o magneto e não abro, meu ser diferente reage contra a opressão!

  53. Isabela disse:

    Meu Deus, pra quê esse drama todo? o Zorra Total é um programa de HUMOR, ou seja, faz piada da vida cotidiana de diferentes pessoas. HUMORISMO é o que acontece no quadro, só e somente isso. Não é caso de estupro ou qualquer outra coisa do gênero! Eu acho que hoje em dia TUDO é motivo pra levantar polêmica. A Globo é um canal aberto, mas lembre-se que ela é dependente dos telespectadores! QUEM se sentir ofendido é só levantar as nádegas do sofá e trocar de canal, ou talvez nem precise de muito, basta acionar o controle remoto. O modo de satirizar não é ofensa, não é abuso e não reprime nenhuma lei federal. Quem se sente incomodado tem todo o direito de desligar a televisão e ler um bom livro.

    • Moara disse:

      ué, digo o mesmo para todos aqueles que acham que acreditam que beijo gay em novela, filme, seriado ou o diabo a quatro é coisa digna de fim dos tempos… levanta o popozinho do sofá e vai ler um bom livro.

  54. Rafael Lessa Bulhões Pedreira disse:

    Cara, peguei essa discussão meio tarde mas devo dizer que tanto o Rafinha Bastos quando os atores e redatores de Zorra Total podem e devem fazer piadas com o que quiserem. E ainda bem que eles podem. Quem não gostar, pode processá-los e tal, mas dizer que este tipo de humor não pode existir é meio perigoso. Esse tipo de patrulha que você está propondo é o mesmo tipo de pensamento que leva ao pensamento de gente como o partido DEM que resolve censurar um filme de terror pq ele tem cenas de estupro de um recém-nascido (um robô) e de abuso de menores (que não foram tocados para que tal cena fosse feita). Liberdade de expressão é um direito que está na Constituição. E de piada, ri quem achar graça.

  55. Tatiene disse:

    Parabéns João Márcio, textos como esse colaboram para deixar a sociedade menos machista e misógina.

  56. Na boa… Desliguem a tevê.

    Por isso que há classificação indicativa. Para informar que há conteúdo depreciativo e com inversão de valores morais, de onde advém o humor do referido programa. Não que eu apoie o programa.

    Há alguns anos, quando o hoje deputado federal “Tiririca” gravou a música “Nega cheirosa”, quiseram-lhe dar conotações de discriminação racial. Enfatizando tratar-se de uma piada, até hoje lembro-me de um comentário do humorista ex-Casseta Hélio de La Peña: “Quem leva a sério o que deveria ser uma piada não passa de um idiota”.

  57. Guilherme Aere disse:

    Não concordo…

    É claro que a piada ou a brincadeira não deve ser feita, porém, é um erro comparar a fala do Rafinha Bastos com a do Zorra Total…

    Antes de explicar a minha visão gostaria de deixar claro que eu odeio Zorra Total e que curto muito as palhaçadas do Rafinha Bastos.

    A brincadeira feita pelo Rafinha não deixa vazão para outros sentidos (independente de sentido correto ou errado). A brincadeira feita pelo Zorra Total não tem exatamente um sentido, cada pessoa associa a fala dos personagens com o que quer.

    Mesmo que isso pareça errado, na minha visão, o grande valor de uma piada é a associação natural das pessoas com situações ou momentos que tenham vivido.

    Dessa forma algumas pessoas se ofendem e outras gostam das piadas… afinal, o sentido não é exato.

    Se o que você fala é verdade boa parte dos humoristas que admiro não existiriam…
    Exemplo:

    Mussum – tirava sarro de um cidadão negro e bêbado.
    Marco Luqui – tira sarro de motoboy (entre outros)

    Bom, dessa vez o Zorra ganhou no quesito “simancol”.

  58. luiz disse:

    meu uma bosta tudo isso .. vai toma no meio do cu !
    hoje em dia qualquer piada é politicamente incorreto …essa revolta sua nao leva a nada tomara que vc seje violentado sexualmente ..duvido que vc nao goste com esse seu jeito de baitola !

    • Espero que sua mãe esteja muito bem. Mesmo. E que você nunca tenha que passar na sua família pelo drama de ter alguém molestado sexualmente. E caso um dia isso aconteça, você vai se lembrar do que escreveu aqui.

    • Dsutil disse:

      Meu caro, primeiro volte para escola! Se você for desses que se masturbam ao ter aulas com uma professora, diria “atraente” para os padrões brasileiros, cometa suicídio! Para ser uma pessoa melhor só nascendo dinovo!!!!!

  59. Francisco disse:

    ha ha ha! tem que apanhar mesmo

  60. Luka disse:

    Não gosto da Globo, e por conta dessa e de outras piadinhas ridículas que o Rafinha tem feito, passei a desgostar dele tbm. Não consigo acreditar muito no bom caráter de alguém que faça piadas desse nível. Além da pessoa que escreveu a nota acima, imagino se alguém que passou por uma situação dessas, e tá procurando continuar vivendo, pensa em assistir televisão… Essa pessoa vai ver seu pesadelo ridiculrarizado na tv!! Isso é o cúmulo. Tenho nojo! Sou totalmente contra a propagação dessa mentalidade pútrida, que prega o NÃO problema, só pq às vezes as coisas não estão de baixo do próprio nariz. Penso nos outros sim, mas penso em mim também, não quero andar de ônibus qualquer dia, e um cara se achar no direito de abusar do meu corpo pq viu na globo que NÃO TEM PROBLEMA, e pensa que eu VOU GOSTAR. Isso é continuar querendo prender a imagem do feminino ao sexismo, à opressão machista que já não bastasse há tanto tempo, matando e violando, agora, na fase em que a humanidade se diz EVOLUÍDA, ridiculariza o corpo e a dignidade do Feminino.

  61. Gostei muito do seu artigo.Pena que as pessoas não consigam compreender como a mídia tem tentado mudar a cabeça delas. E a falta de respeito com as mesmas.Infelizmente a Globo desceu tanto o nível de sua programação que hj fica difícil assistir esse canal.Acredito que os dois casos são exemplos péssimos de hum or.Pq tendo capacidade a mídia não investe em algo cultural em vez de priorizar só baixarias.Não assisto o Zorra, só espero a emissora enverre logo esse programa e coloque no lugar um programa cultural. Quem sabe assim o povinho melhora sua cultura. Mas ninguém está interessado em povo que pensa, é m uito perigoso. Povo bom é aquele pobre, sem cultura para ser enganado.KKKK.Parabéns João!

    • Gostei muito do seu artigo.Pena que as pessoas não consigam compreender como a mídia tem tentado mudar a cabeça delas. E a falta de respeito com as mesmas.Infelizmente a Globo desceu tanto o nível de sua programação que hj fica difícil assistir esse canal.Acredito que os dois casos são exemplos péssimos de hum or.Pq tendo capacidade a mídia não investe em algo cultural em vez de priorizar só baixarias.Não assisto o Zorra, só espero a emissora encerre logo esse programa e coloque no lugar um programa cultural. Quem sabe assim o povinho melhora sua cultura. Mas ninguém está interessado em povo que pensa. É muito perigoso. Povo bom é aquele pobre, sem cultura para ser enganado.KKKK. Parabéns João!

  62. No último sábado resolvi assistir ao Zorra Total pra ver esse tal quadro novo de que todas as minhas amigas estavam falando, achei uma grande PORCARIA assim como todos os outros quadros da atração, mas confesso que não havia pensado por esse ângulo.

  63. não é questão de politicamente correto, é questão de bom senso! quanta criança (tanto de idade fisica qto mental) deve assistir a essa miséria de programa…
    e quanto à mulher objetificada… já notaram a mudança no arquétipo feminino e masculino que se processou nessas últimas décadas? e chegaram a pensar o que isso acarreta e acarretará à sociedade?

  64. Thiago Julião Paiva disse:

    É A COISIFICAÇÃO DA VIDA HUMANA, QUE O QUE DÁ A PESSOA A DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA É SE ELA É BRANCA, LOIRA, OLHOS VERDES, COM SILICONE, BOLSA DA LOUIS VUITTON, MORA EM UM BAIRRO NOBRE, OU SEJA, ENCAIXANDO-SE EM QUALQUER DOS PADRÕES SOCIAIS, DIVERSAS DIMENSÕES, VOCÊ TERÁ DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA…SE NÃO, VOCÊ, PRINCIPALMENTE AS MULHERES, SERÃO APENAS GADO A SEREM ABATIDO, TUDO DENTRO DO DIREITO DO MACHO CAPITALISTA EM ABATÊ-LO E CONSUMI-LO O SEU GADO… EXTREMA DIREITA na figura do PIG e no caso a sua maior representante, a GLOBO.

  65. Thiago Julião Paiva disse:

    O SUJEITO NÃO É SUJEITO POR SER MERAMENTE SER HUMANO, TEM DE PREENCHER AOS PRÉ-REQUISITOS, COMO SER HETEROSSEXUAL, BRANCO, RICO, BONITO…PREENCHENDO-OS VOCÊ TERÁ DIREITOS SÓCIO-POLÍTICOS… COISA DE NEONAZISTA…EUROPA SABE BEM O QUE É ISSO…

  66. Muitos estão falando nos comentários que o contexto é diferente e “blablabla”. Nenhum desses comentários me convenceu tanto quanto o texto.

    Pra mim é tudo muito claro: Rafinha Bastos, Valéria bandida, Globo e quem quer que incite a violência moral contra uma mulher, um homem, um gay, um(a) trans ou a qualquer outro ser humano, tem que ser banido da mídia.

  67. Está faltando mais gente como você no mundo. Parabéns por ser HUMANO!

  68. Lia Requião disse:

    melhor comentário esse aqui de cima, hein , felipe nunes.
    esse cara so ta procurando chifre em cabeça de vaca. juntou que nao gosta da globo, nao riu do quadro, quis defender o rafinha, e adulou os fatos pra se acomodarem melhor no discurso dele.

  69. João Arcanjo disse:

    Graças a Deus que me livrei da manipulação da Globo
    Todos deveriam fazer a mesma coisa . Outra questão: Desde quando o Rafinha Bastos
    é referência no humor??? Até o Sérgio Malandro faz coisa melhor ¬¬

  70. Joyce Santos disse:

    Não vejo nada de mal no quadro do Zorra , mesmo porque a personagem Janete, se manisfesta contrariamente logo após ser bulinada no metrô. A declaração do Rafinha Bastos já é descriminatória .
    Mas vamos lá, será que o autor no texto nunca comprou uma revista de mulher pelada ou assistiu a um filme pornográfico? Porque ai sim é que ocorre a desvalorização da mulher, sem contar nas mulheres frutas e nas ajudantes de palco dos programas que estão quase semi- nuas, e no carnaval? Será que o autor do texto faz um retiro no carnaval e não assite a Tv? Isso sim é desvalorização a mulher!

    • Bem Joyce, se te conforta: não, eu nunca comprei uma revista de mulher nua e nunca fui espectador de filme pornô, principalmente porque sou gay, então esse tipo de pornografia eu não consumo. Quanto ao carnaval, para sua felicidade, eu também não o assisto, geralmente fujo para lugares onde não exista esse movimento, pois não gosto da folia. Agora, por favor, pegue o boleto do IPTU que está aqui em casa e pague-o, já que está tão interessada na minha vida.

    • Há também uma diferença entre uma publicação adulta, de caráter libidinoso, que propõe prazer (não só para o homem, veja bem) e uma programa que desdenha, que denigre a mulher com caricaturas da “feia”, da gostosa, em que o riso seja sempre buscado através da ridicularização de certos papeis. o ridículo, o escárnio, sempre foram recursos do humor e eles têm, por objetivo, rebaixar aquele que é ridicularizado, de quebrar sua força. assim, as piadas com essas mulheres exercem, sim, um poder de desvalorização.
      as publicações e filmes pornográficos, pelo contrário, com muito bons closes e photoshops, exaltam o prazer, a beleza. pena que o sexo feminino seja tão rejeitado hoje em dia, mulher “tem que se resguardar” ou esperar que o macho que lhe agrade a escolha para vítima de estupro.

    • Concordo com a Joyce.

  71. LIANEY disse:

    Você está de parabéns! Sua atitude foi extremamente louvável! Mas infelizmente você já deve ter notado que esse “populacho” brasileiro é ignorante, alienado, covarde e violento. É o mesmo que jogar pérolas aos porcos. Mas nem pense em desanimar… Quem sabe um dia alguém entenda o valor de um ser humano, que se deve ter respeito um pelo outro. Chega dessa palhaçada na televisão brasileira! Infelizmente, esse povo gosta de comer lixo. Há muito que grande parte dessa nação não tem mente, mas um canal programado num cérebro pobre e vazio. É a maneira mais rápida e barata de se emburrecer a população!

  72. É João. Vc mexeu com o quadro que é a nova sensação da galera, com o bordão que tá na boca do povo. E o povo não fica feliz em saber que gosta de algo que provavelmente minimiza a gravidade da tal bolinação no trem cheio. Eu nunca vi o quadro, não sei exatamente o contexto para poder opinar. Li os comentários do Felipe e compreendi bem a posição dele, mas preciso ver o tal quadro pra poder tecer um comentário mais adequado.

    Mas fica aqui a minha indignação com os comentários vazios, de gente que não se dá ao trabalho de debater e questionar aquilo que vê/ouve/lê.

    Beijos. ❤

  73. Achei ridículo o jeito que vc expôs as duas coisas. Principalmente pq parece que vc nunca viu esse quadro inteiro. Eu não tinha visto o quadro até hj. No momento que li o seu post, fui dar um olhada e em TODOS os vídeos que eu vi a mulher que estava sendo abusada se impôs e mandou o cara se afastar e ele o fez. Estou enganada?
    Também acho que um assunto sério desses não deve ser banalizado como o Rafinha Bastos fez, ele sim falou besteira. Estupro é um assunto sério e deve ser tratado com seriedade!
    O que eu vi foi que o Rafinha Bastos por se achar um grande humorista se deu o direito de fazer uma piada ridícula e, espero eu, se arrependeu. Já no quadro de humor vi um homem mexendo com a mulher e ela mandando ele sair de perto e ele fazendo isso.
    E concordo com o Felipe Nunes quando ele fala do cabeçalho do seu site. Antes de jogar a pedra nos outros olha pra vc 1º.
    Não é porque é a Globo, é porque parece que vc quis causar mesmo. 😛

    • Gente? Vamos parar de debater como se estivesse no meio de um barraco?
      Seria legal se eu dissesse algo como:

      “Oi, ai, né que eu também achei ridícula a forma com que você se expressa que, tipo assim, agressiva e alienada? De gente que não captou nem a piada do programa? E acho que é você que tá querendo causar com esses seus oclinhos meia boca…
      E, ah, siga seu próprio conselho antes, fofa.”

      Não, né? Custa um pouco de respeito?

      O fato dela se impor e mandar o cara parar não muda nada, porque a graça tá nela ser bolinada e nas piadas da amiga dela sobre ‘aproveitar’.

      Não é só estupro, Todo Tipo de Agressão Sexual é assunto sério!

      E, não, Rafinha Bastos não se arrependeu. É só checar o twitter dele pra saber disso.

    • “vi a mulher que estava sendo abusada se impôs e mandou o cara se afastar”

      #vergonhaalheia de quem acha normal que um cara fique se esfregando numa mulher e esperando pra ver qual vai ser a reação dela. Muitas ficam paralisadas de medo, sabia? Nem de longe é sinal de que ela tá gostando daquilo. Muitas têm vergonha da violência (e é violência sim) que estão sofrendo…

      Nenhum tipo de abuso sexual tem graça. Nenhum!

  74. Tati disse:

    Quanto drama hein!! Façam me o favor. Claro que sofremos isso, mas o problema n é a piada, mas sim os homens que sem educação agem dessa forma. Valeria é bandida, sim. E é desse tipo de mulher, gay que idiotas assim, fogem.

  75. […] This post was Twitted by justfrika […]

  76. Ína disse:

    A minha única questão aqui é: e se fosse um negro que não resistisse a comentários maldosos feitos contra ele? Será que as pessoas ainda estariam questionando o fato de as piadas serem de mal gosto? Eu não estou colocando negros e mulheres em hierarquis, ok? Dizendo que um é melhor que o outro.. Mas, me chocam as pessoas que não veêm ofensa nesse tipo de coisa. Quem já fui bolinada dessa forma, não acha graça nisso!

  77. aloka disse:

    Acho que você quer ser estuprada também né bicha ridicula? Só gosta de ficar causando, mas aposto que adoraria ser encoxada no metro também kkkkkkkkkkkkkkk

  78. Marco Crepaldi disse:

    Aff… 1000x aff…. tá cheio de gente querendo virar Arnaldo Jabor e o pior que não tem talento nenhum para tal.

    PUTA HIPOCRISIA, de alguém que assina o nome de

    EU, JOÃO M., 25 ANOS, DROGADO E PROSTITUÍDO…

    • Nunca fui tão elogiado na vida. Se tem alguém que desprezo é Arnaldo Jabor. Obrigado pela cordialidade.

      • Marco Crepaldi disse:

        Obrigado pelo texto hipócrita.. JOÃO M., 25 ANOS, DROGADO E PROSTITUÍDO…

  79. déia disse:

    Parabéns pelo o blog, querido! Ele trata de questões muito fortes e verdadeiras dentro da comunicação, você tá de parabéns, continue!!
    Paz :*

  80. Digo disse:

    Gente que se acha inteligente, que não diferencia tolisse de vida real.

  81. Guilherme Vieira disse:

    UM DROGADO E PROSTUIDO PREOCUPADO COM A “PRESIDENCIA DO BRASIL”. ENCONOMIZE SUAS PALAVRAS DESCONEXAS ENTRE DOIS FATOS COMPLETAMENTE DISTINTOS E TRATE DE SE DESINTOXICAR.

  82. Anti-Politicamente Correto disse:

    Já está provado que o humor do Zorra Total é ultrapassado…. Mas ultrapassado também é um textinho como esse, metido à “politicamente correto”… No mínimo você deve ser da “Esquerda Festiva” (Fala aí… PT ou a PSOL/PSTU???? A nova esquerda…. Rsrsrsrs… Ridículo!!!!) com esse papinho intelectualóide…. Porra, cumpadi… Tu deve ter acabado de sair da faculdade, novinho ainda… Esquece essa enganação do grêmio estudantil e do movimento estudantil e vai ver um pouco da vida de verdade e aproveita este espaço aqui para levar ao debate algo que realmente importe, ao invés de ficar expondo uma opinião particular sua, já que você deixou bem claro o desgosto pelo programa (que aliás eu também não gosto…) Dá muita pena ver um desperdício de um ser humano, que me parece bem inteligente, com uma mentalidade dessas….

    • Oh queridão, meu blog, minhas ideias. Aqui é meu “território” para expôr aquilo que EU acho pertinente e minhas opiniões particulares. Há quem concorde e há quem discorde. Vida que segue. Blogs são gratuitos, você pode ter o seu e escrever sobre o que quiser. Forte abraço!

  83. Não é estupro se for na Globo

  84. Paulo disse:

    A narcotilização da TV é isso. Esse país morre de rir com o Zorra Total. Eu morro se assistir aquela bosta. Mas o @rafinhabastos não deveria ser punido por isso. Pois existem coisas muito mais denegríveis, especificando, musicalmente. Ex: “Corre para o banheiro vai tocar uma punhetinha, eu dou pra quem eu quiser que a PORRA da BUCETA é Minha.” (Popozudas, Gaiola das) 2007.
    Brasil, um país democraticamente esculhambado.

    • Paulo, acredite se puder, mas vejo valor em “Vai tocar uma punhetinha, eu dou pra quem quiser que a porra da buceta é minha”. De maneira apolítica, Valesca coloca como dona do seu próprio corpo e ela tem plenos poderes sobre ele. Ela escolhe quando, como e com quem sentirá prazer, não dependendo e se rebaixando a condição de fêmea. A letra não é bonita e nem poética, mas analise pela ótica que coloquei. As autoras não tem escolaridade pra debater isso, provavelmente. Mas acho um enorme grito feminista ela entoar tais versos.

    • Faço minhas as palavras de Valeska: ‘eu dou pra quem eu quiser que a PORRA da BUCETA é Minha.’

      MINHA! EU SOU DONA DO MEU CORPO E NÃO ADMITO QUE NENHUM HOMEM SEQUER ENCOSTE NELE SEM A MINHA AUTORIZAÇÃO!

      As nossas bucetas, xoxotas, vaginas, pererecas, xanas ( o nome que vc achar que deve dar não me importa) são nossas! NOSSAS!!!

      Parece ruim pra você? Sinto muito, mas é isso aí mesmo…

      Chupa essa manga, rapá!

  85. Excelente João! Continue assim. Continue escrevendo e denunciando. Sempre vai ter esse tipo de discussão que choca a gente pelo grau de alienamento das pessoas. Concordo que as duas coisas estão relacionadas e que é muito fácil fazer piada sobre coisas que não se compreende. Pessoas assim me parecem tão desesperadas por atenção que apelam para o mais óbvio e “chocante” para se sentirem amadas. Pura insegurança. E as que concordam simplesmente não pensaram o suficiente sobre o assunto ou deliberadamente decidiram esquecer todo o ensino de História que receberem (ou não). Continue.

  86. que saudade dos tempos q rir de preto era liberado, né? pena q virou crime. agora não posso nem mais rir dos viados. só faltava proibirem o menosprezo pelas mulheres, poxa, é tudo puta! se não é puta, é mal comida ou sapatão! que droga de mundo viu, isso é heterofobia! tudo culpa do feminismo! piada super inofensiva. humor é sem limites!!! deixa de ser implicante, não gostou? desliga a tv e vai ler um livro! isso é censura! #orgulhohetero ~~~~~~~~> engraçado q quem fala isso precisa vir aqui se manifestar. não gostou? fecha o blog e vai ler um livro. gente que reclama do politicamente correto = gente que curte preconceito.

  87. Luana disse:

    Tudo depende de como você ve as coisas…e você viu com olhos de quem quer fazer sensacionalismo. A Globo é uma emissora que por muitas vezes peca, sempre pecou, ao fazer um sensacionalismo babaca e na maioria das vezes mentiroso. Mas usar de um quadro de humor pra demonstrar isso não foi uma idéia feliz, até porque ao relacionarmos com o comentário do Rafinha Bastos, o ‘preconceito’ e o ‘mau uso’ dos termos do quadro da Globo se perde. Ou seja: você usou um quadro de uma tv sensacionalista pra fazer o mesmo…causar o sensacionalismo nas pessoas. É, amigo…FAIL.

  88. A diferença é que o roteiro do Zorra Total atua de forma maquiada, escondida nas entrelinhas, enquanto que a piada do Rafinha Bastos foi feita de maneira direta, nua e crua. Ambas, ao meu ver, com alto teor de mau gosto.
    Texto objetivo e claro. Parabéns.

  89. Ana Clara disse:

    Eu não vejo graça alguma nesse quadro. Piadas sem graça, bordão extremamente vulgar “Ai, como eu tô bandida”, caricatura muita feia dos personagens… Sinceramente, a Globo está banalizando os valores q ainda restaram… Não vejo graça alguma na caricatura da Presidente Dilma… Enfim, o Zorra Total já foi bom, agora é só “treva”.

  90. Meo deos…
    Depois de ler alguns comentários aqui eu vou ter que repensar algumas posições… Estou começando a achar que o quadro do Zorra Total tem consequências piores que a piadinha do Rafinha Bastos…

    Galera acha que é um quadro inofensivo! Isto é, se ignora a transfobia e o machismo.

    Então, tá, piada de estupro não pode, mas piada sobre bolinar e encoxar pode? Sabe, eu não vejo diferença não, colegas, porque nas duas situações a mulher é encarada como um objeto sexual que deve satisfazer o outro. Já teve queixas de estupro no metrô aqui no Brasil. Por quê? Porque continuamos com esta mentalidade imbecil de que mulher é objeto de desejo.

    Todas as agressões sexuais partem de um mesmo mal, e não adianta ficar diferenciando-as entre as menos graves e mais pesadas. Não admitir piada com estupro é Não Admitir Piada com qualquer tipo de Agressão Sexual! Não tem essa de ser mais ou menos objetificada, ser mais ou menos molestada, ser mais ou menos reduzida a um objeto que o outro utiliza para demonstrar superioridade e força.

  91. Ana Paula disse:

    piada repetida deixa de ser piada e passa a ser brainwash. com comercial de sabão em pó no intervalo.

  92. Texto muito bem escrito. Parabéns.
    Triste ver como o humor é usado pra fazer normalização de tanta coisa errada…

    Queria ver se esses comentaristas iam continuar achando graça desse tipo de piada se alguém da família sofresse alguma violência sexual. Pq nem era preciso sentir na pele, bastava ter um pouco de empatia… é preciso transformar a “mulher objeto” em alguém com rosto pra que se crie alguma solidariedade nessas pessoas… uma mãe? uma irmã? uma esposa? Deprimente.

  93. Pablo disse:

    Vai dizer que o nosso País não é uma zorra?A começar sim, por Brasilia DF, pela presidência, a Dilma e sua turma, sem falar em senado, Cãmara de deputados compostas por “ex -jogadores” de futebol e palhaços, como o Tiririca.Bando de ladrões e semi analfabetos que roubam nosso dinheiro. A lei Maria da Penha não funciona, nem mesmo o conselho tutelar tem estrutura.”Valéria Vaskis” é muito engraçado, UM RETRATO DA PIADA QUE É O GOVERNO E O POVO BRASILEIRO, A MAIORIA ADORA PÃO E CIRCO.Tu “Viajou” querer pregar a falsa moral, quer moral?vai fazer algo pela humanidade.Criticar é fácil, está achando ruim : mexa-se , vai arranjar algo de bom p fazer…sou contra qq tipo de abuso às mulheres e ao preconcieto, neste caso, não concordo contigo, como já disseram ali: CONTEXTOS BEM DIFERENTES.tu trabalha na produção do CQC, fala sério…

  94. Eliana disse:

    Tudo é clichê e pobre neste quadro. Estupro dói no corpo e na alma e não pode ser motivo de piada. Parabéns pelo texto, vamos repercutir.

  95. É aquele velho clichê de a Globo manipular a mente da galera. É só isso, a Globo pode tudo! Foda-se a Globo, Zorra Total e Rafinha Bastos!!

  96. Pode até ser verdade mas que é engraçado d+ é! 😉

  97. Bom post! 🙂

  98. Moara disse:

    Olá João!
    Conheci seu blog por acaso… vi que um amigo curtiu este seu post no facebook e a curiosidade me trouxe até aqui, posto que abomino Zorra Total e demais piadistas de plantão (vide Rafinha Bastos, entre outros…).
    E bom, curti muito! Curti sua sinceridade, sua coerência, sua lucidez; curti saber que não estou sozinha ou que não sou a única a pensar de determinada maneira. Isso porquê, pelos comentários, percebi que somos pelo menos alguns a pensar em sincronia. Seus posts anteriores também são ótimos, só não comentei em todos eles porque estaria sendo redundante ;o) Nossos modos de pensar são exatamente os mesmos.
    Valeu pela ousadia, pela iniciativa, pela coragem!
    Um grande abraço,
    Moara – Piracicaba SP.

  99. alan vagner disse:

    concerteza meu amigo são contextos diferentes

    o rafa bastos fez piada com um ato degradante à digunidade humana, o estupro, e o programa de comedia da globo, o zorra total, apenas faz sátiras à feiura q a personagem janette representa ao ser cantada e ainda sim sabendo q carece muito de arrumar namorados reclama não faça sensasionalismo agora a parada do rafinha bastos ta certo mesmo ele vacilou

      • Maria Ângela disse:

        Preconceito/zoação com quem escreve errado pode? Só quem escreve direitinho (ou teve acesso a ensino de qualidade) é digno de comentar e ser levado em conta?

        Ah, então tá.

  100. que lixo. O que a personagem em Zorra Total diz pra aproveitar é como se em uma festa um homem fosse “cutucá-la” tem nada a ver com estupro. Além do mais, SEMPRE FIZERAM PIADAS COM PRESIDENTE, agora que é uma mulher no comando, vêm me dizer que é pq é uma mulher? ahhhhhh vai “estudar, ajudar sua família, sabe?” então…

  101. Deus é mais na sua vida .... disse:

    afff 100% patetico ….. se cada um que perdesse tempo publicando certas coisas ridiculas, fizesse o mesmo em doações ou ajuda ao meio ambiente, por fim fizesse algo realmente em prol ou com uma finalidade coerente o mundo não passaria por tantos absurdo ou abusos ……e seria muuuuito mais mundo….

    acorda p/ vida essa bolha q vc está não existe a muito tempo…..existem momentos e situações …..
    aprenda a entende-las e comparar…..
    ou melhor ainda aprenda a fazer o bom uso da internet não destrua a tecnologia que nos foi dada p/ publicar merda…..
    por fim formas de pensar é algo q não se disculte, cada qual tem sua forma de pensar….
    é fazer o q….

  102. ManoDinis disse:

    Também acho que o problema não é nem rafinha bastos nem globo e sim o público alvo que programas como esse atingem. que é justamente os 82% da população que nao tem ou nao teve acesso a um ensino superior de qualidade, que não tem opinião formada desde o ensino fundamental, ou mesmo a população marginalisada que acaba por conviver com essas barbaridades todos os dias e por ser um fato cotidiano acaba se tornando tudo muito mais natural (apesar de não ser menos injusto). É complicado, pois essas empresas acabam por focar justamente nesses tendões para exercer sua influencia mais negativa. Ainda mascaram tudo com programas como criança esperança… De que adianta auxiliar na educação, alimentação ou cultura de um povo se logo depois for passada uma mensagem controversa como essa?

  103. ticianevitoria disse:

    Adorei a sua abordagem. Colocar humor em uma situação de violência é banalizá-la. As pessoas riem e se esquecem de como pode ser traumatizante uma situação como esta, sem contar que em SP os estupros no metrô e trem tem aumentado. Qual é a graça então? Naturalizar o estupro? Tornar mais uma forma de desrespeito com a mulher algo normal e aceitável? É triste ver a que ponto chegamos. As famílias assistem a isso e mal se questionam de qual mensagem estão passando e hoje é a televisão que educa os jovens, praticamente. Parabéns por não deixar tamanha atrocidade passar despercebida!

  104. Parabéns pelo texto, é de se pensar muito no assunto.
    http://pernadepautupa.wordpress.com

  105. Thaal disse:

    Se você se sente ofendido pelo fato de o estupro ser motivos de piadas e banalização e por ter caso de estupro na familia, eu te digo: Releia seu perfil!
    “Eu, João M., 25 anos, drogado e prostituído”

    Se eu for pela sua logica, vou me sentir ofendido por eu ter caso de droga na familia e por você estar banalizando isso e fazendo piada!

    Pensa nisso, olha primeiro (somente) pra ti, depois vai atras do que fazer!

  106. Anna disse:

    Desisti de ler os comentários na metade da página.

    Eu já sofri assédio em sentada em um ônibus. Estava em um cochilo leve quando o cara sentou do meu lado, com uma imensa mochila, e começou a acariciar minha coxa. Fiquei em choque, porque não era possível que aquilo estivesse acontecendo – estava voltando da faculdade depois de um dia inteiro fora de casa, descabelada e acabada, de camiseta e jeans. Digo isso antes que seja acusada de “facilitar” ou “incentivar” alguma coisa por conta das vestimentas, embora eu acredite que estivesse eu pelada ainda assim não daria a ninguém o direito de me tocar sem meu consentimento. Olhei para a cara do imbecil, que estava fingindo dormir. Então levantei com tudo em uma curva e me joguei com o cotovelo em cima da cara dele; acabei acertando o olho do espertão (que não reclamou) e fui sentar em outro lugar.

    Minha irmã, grávida de 4 meses, sofreu assédio no metrô. Ela é baixinha e tem os seios muito grandes (aumentaram mais com a gravidez). Alguém achou que tinha o direito de tocá-la, sabe-se lá o porquê, e começou a alisar os seios dela. Sorte que ela também reagiu e o cara desceu rapidamente.

    Do que eu me arrependo (e sei que minha irmã também)? De ter ficado tão chocada com aquilo e não ter pensado em chamar a polícia. Mas, novamente, foi uma situação que a gente ouve dizer mas não imagina que vai acontecer com a gente.

    Se eu achei graça? Nem um pouco. Independente do contexto, nada justifica o “humor” nessa situação. Não dá para utilizar um programa de grande alcance para disseminar e justificar essa ação, sob qualquer prisma. Olhem teorias de comunicação e chequem se é errado questionar, como o João fez, o que é veiculado na televisão, se isso afeta ou não o comportamento do telespectador. Uma dica: alguém lembra qual era o acessório mais vendido na época d”O Clone”? E a frase mais falada? E esse bordão humorístico, não foi difundido por aí? Infelizmente televisão aqui serve como formadora de estereótipos (não no sentido pejorativo da palavra, mas naquele em que é necessário ter um modelo generalizado, onde são incluído valores) que são absorvidos e praticados na vida cotidiana.

    Graça, para mim, teria se a tal Janete chamasse um policial, fizesse um B.O. e o “bolinador” fosse preso no final.

  107. Saulo disse:

    A coerência de rafinha bastos e Globo é a mesma do autor do texto que vem comparar estupro e se define no perfil do site como “João drogado e prostituído”. Recalque, não?
    As pessoas não tem essa mente de fazer apologia e banalizar o assédio nas viagens de trem. O negócio é HUMOR, coisas que tá claro que você não tem. Qualquer pessoa lidando com a situação real, repugnaria o desrespeito. Mas no caso de Janete e Valeria, ninguém tem essa ótica. Maldade tá na cabeça de quem tem. Recomendo a você um pouco de humor, é a coisa mais parecida com amor. E os mal amados que se encorajam a escrever uma bobagem dessas.

  108. Nunca vi o programa, nem sabia do fato do rafinha…mas realmente, é nojento.

  109. José Lucena disse:

    João Marcio,

    Concordo com você, mas ao ler uma entrevista de rafinha bastos( letra minúscula de propósito) na RG Vouge vi o quanto esse moço não pensa no que diz, pois ele fez piada de pessoas que sofrem da doença Alzheimer, talvéz ele não saiba o que ter uma pessoa da famlia com essa doença. Ai ele pode dizer “bom agora não posso brincar mais com nada” como já disse, bom espero que o filho dele não tenha que passar por nada de que suas piadas tem deixado indignação nas pessoas. Só lamento que num país como o nosso com tanto sofrimento, esse dito cujo ganhei tanto dinheiro falando e escrevo besteira.

  110. Will disse:

    Vc tá qrendo uma vaga na Record né ?!

  111. Rafaela disse:

    Vou ser sincera, não suporto Zorra total, é um programa que poderia realmente ser retirado da televisão. Mas confesso que o quadro a que se referem é o único um pouco mais original e realmente divertido pelo tema ao qual fazem humor (os trejtios de um transexual e situações vividas especificamente em metrôs). Vi umas três vezes o quadro e em nenhum momento me senti desrespeitada, simplesmente pelo fato do tema que eles estão encenando ser realidade. O feio não é aquela companheira da Valéria não reagir as “bulinadas” e sim o fato delas existirem. O fato de existir a super lotação no sistema ferroviário, dos homens não respeitarem os vagões femininos, das mulheres terem que passar por essa situação desrespeitosa todos os dias e se desgastarem por isso. O humor do quadro satiriza uma situação real, nos fazendo olhar com outra perspectiva sobre uma situação tão incomoda. Nenhuma mulher vai aceitar o estupro porque um programa de humor brincou com isso, a gravidade das coisas não deixam de existir após fazermos uma piada, e tenho certeza de que as pessoas tem bom senso suficiente para saber que aquilo é uma piada. Infelizmente o ser humano não aceita, ainda, tão bem o diferente, sendo assim, milhares de pessoas satirizam internamente milhões de situações diárias só não se manifestam (o que já é bom), então o melhor a se fazer e deixarem de ser hipócritas e olharem um programa de humor como ele realmente é.

    • Bruno disse:

      Concordo com a Rafaela, e acho que o agressão não é aceita pela “amiga feia”.

      Se há uma pitada de preconceito (seguindo a lógica argumentativa da maioria que acha o quadro agressivo) é em relação aos travestis, transgeneros….

      Enfim, discordo do João Márcio, mas acho bom esse debate! Engraçado é como as pessoas são tão agressivas umas com as outras pela internet… Mesmo que isso seja uma piada pior do que uma da zorra total….

      Abç a todos,

      • Também acho o debate interessante. O que me irrita é o fato das pessoas verem agressões,ofensas, em exatamente tudo. Você não pode fazer uma piada,um comentário, sem que alguém encontre um viés preconceituoso ou ofensivo nas suas palavras.

        Como eu disse a uns amigos…Liberdade de expressão é o caramba! Pra mim,é igual ao caviar ‘nunca vi nem comi,eu só ouço falar’.
        Se é pra ver maldade em tudo o que é dito,produzido ou qualquer outro ‘ido’, então o nosso querido blogueiro JOÃO M., também foi infeliz ao dizer ” Zorra Total vai de encontro com um povo que provavelmente não teve acesso a informação e que utiliza na maioria das vezes a televisão como seu quadro negro involuntário. “.

        Eu tenho ensino superior,tenho outras formas de praticar o meu lazer,mas assisto ao quadro,assim como quase todos os meus amigos também assistem.

        Se pro senhor JOÃO MAURÍCIO é deprimente ver um quadro que segundo o senhor,trata com descaso a questão do estupro, para mim é ainda mais deprimente ler uma declaração tão preconceituosa como essa sua.

  112. Realmente não tinha pensado dessa forma em algum minuto, mas uma que eu acho ridículo aquele programa, sei que existe esses ditados HOJE ESTOU BANDIDA, por coisa boa as pessoas não aprendem!

  113. Excelente texto. Ambos os casos são inaceitáveis.
    E é TRISTE ler certos comentários aqui… E ainda dizem por aí que TV não influencia ninguém… Povo ignorante e fácil de serem manipulados… Lamentável essa a falta de educação tão grande… E pior… gostam disso.

  114. Esse post me inspirou a fazer uma musica…

    Liberdade de expressão la la la la – Daniel T.

    “Liberdade de expressão liberdade de expressão

    la la la laaaa laa

    Liberdade de expressão

    O cara não estuprou ninguém

    Mas querem jogar ele na cadeia

    Por ter escrito uma coisa

    Sem causar dano físico a ninguém

    lalalala

    Ditadura

    Ditadura do estado-babá

    Lalalala

    Eu quero fugir deste PAÍS NOJENTO DE MERDA DO CARALHO!!!”

  115. Pedro disse:

    Que pena que você não conseguiu avançar nos estudos, né? Ainda precisa ler um bocadinho pra entender o Zorra Total.

  116. Demóstenes disse:

    Afe maria, tem é imbecil por aqui. João, adorei o texto, parabéns.

  117. Daniel T. disse:

    Mas, sério, todos os argumentos a favor disso estão ERRADOS, porque se você é a favor da censura, você abre mão do direito de retórica, afinal de contas você não quer discutir, quer silenciar todos aqueles que discordam de você.

    Acho que foi o Benjamin Franklin ou o Henry David Thoreau que disse: “LIBERDADE DE EXPRESSÃO É PARA AQUELES DE QUEM DISCORDAMOS.”

    “Ah mas tá banalizando o estupro blá blá blá”

    LIBERDADE DE EXPRESSÃO.

    “Ah mas pode inspirar alguém a blá blá blá”

    LIBERDADE DE EXPRESSÃO.

    O fato de que um monte de gente é estuprada hoje em dia só reflete a incompetência completa da polícia e do sistema judiciário brasileiro em proteger a pessoa de crimes de verdade. Por isso eles ficam nessa palhaçada de “apologia”, porque aí eles não precisam fazer nenhum trabalho de verdade.

  118. Daniel disse:

    É preocupante e deprimente ver homens falando que não se incomodam com a agressão contra mulheres e sua banalização pela mídia “humorística”. Será que se a situação fosse inversa e se referisse a agressões quase que exclusiva contra homens eles iriam pensar da mesma forma? Pimenta nos olhos do outro…

  119. IRISMAR MELO disse:

    Gostei de ver que ainda existem pessoas que defendem a dignidade humana, e indignam-se com banalizações de coisas sérias como essas e outras que nos são enviadas silenciosamente pela mídia, diariamente criando o aceite geral como se fosse normal. Devemos nos indignar e defender valores que acreditamos pois assim seremos capazes de mudar algo nesse mundo. Parabéns ao João, Felipe e outros que defenderam a dignidade humana, sinal que o BRASIL Tem JEITO.

  120. Lucas disse:

    ridícula a matéria…nada haver…

  121. Lucas disse:

    perdi meu tempo lendo…ridículo

  122. Vc quis dizer que o “Zorra” vai ao encontro do gosto da população, e não ‘de encontro a’ (como escreveu). Afinal, pelo que entendi, atende a esse gosto e não é contra ele. Fora isso, achei seu texto muito bem escrito, coerente e pertinente. Parabéns!

  123. Liberdade total ao humor! confesso que não gosto do humor do Rafinha Bastos, mas essa piada a que vc se refere até que é razoável__ vcs conservadores de plantão n conseguem entender o que a piada, sátira, humor negro… Esse assunto todo que voi gerado tomoou um tumo totalmente distorcido__ Um país que tem uma liberdade de imprensa n pode ter liberdade para o humor? Suigro que vc vá a um show de comédia e sair desse tédio conservador e ria um pouco com piadas de salão ou de mau gosto!

    • Ah, meu querido Alex, queria tanto que minha mãe achasse como você que sou conservador… O respeito a mulher e pedir uma sociedade menos machista agora é conservadorismo. O mundo está ao contrário e ninguém reparou, definitivamente.

  124. Concordo muito com o texto, achei ótima a discussão [a parte séria feita por poucos aqui]. É triste ver pessoas defendendo o humor como algo intocável ou incriticável. Eu faço humor há pouco tempo e percebo que é um dos campos em que a opressão às minorias é mais forte, justamente por tudo se justificar como a frase “não liga, é piada”. Enfim, uma honra ler seu texto, João, eu mesma nunca tinha me atentado para isso, notado essa parte do quadro. Beijos!

    • Caronella (que nome diferente! curti), eu gosto muito do debate, gosto muito de quem vem aqui e discorda da minha opinião, coloca a sua e trocamos ideias, multiplicamos as ideias. Gosto de ter a visão do outro quando exponho a minha e respeito quem acha que não é bem assim. O que eu não gosto é gente que vem defender liberdade de expressão, querendo calar a minha boca. Oras, não é a liberdade de expressão de maneira ampla e irrestrita que você está defendendo? Então eu também tenho esse direito, não? O grande problema hoje é que em qualquer caso, não só no humor, o cidadão não se posiciona em como vive e enxerga o outro. Comportamento pequeno, tacanho, mesquinho. O Felipe Voigt passou aqui, colocou a opinião dele, ok, não concordamos, a vida continua, achei inteligente o que ele expressou, quem sabe um dia a gente possa se conhecer, beber uma cerveja, falar sobre isso e outras coisas, sei lá. Mas criar inimizade por conta de uma opinião, vir aqui e desejar que eu seja estuprado (ou melhor, que eu ‘seje estrupado’) porque não se pode discordar de um quadro que faz sucesso, ou ainda, achar que minha opinião é recalque, ah querido, pelo amor de tudo nesse mundo.

  125. Bernard disse:

    Só uma observação. Uma coisa é “sacanear” com um personagem diretamente, outra é você dizer de uma maneira global sobre uma característica de pessoas. Ela está ali se referindo a personagem. A Rede Globo é a lider sim, e se fosse uma Record da vida a líder vcs iriam falar tb…. Se não estão satisfeitos, não vejam, ninguem poe uma arma na cabeca de vcs pra que vejam a Rede Globo. Uma coisa é brincar com uma personagem diretamente num programa de humor. outra coisa é fazer um comentário que no fundo tem um ar de maldade num programa que também fala de coisa séria.

  126. Adriana disse:

    Que bosta de texto, hein! Que cheiro de pensamento torto tem aqui nesse blog!

  127. Júlia disse:

    Quem já andou ou anda em metrôs lotados consegue distinguir a diferença entre as duas piadas…
    Mas nem por isso bato palmas pro Zorra, Rafa Bastos e CQC (apesar de se o programa que mais faz denúncias políticas) e muito menos pro Pânico. A mídia faz parte do programa educacional do brasileiro, infelizmente, por isso acho que todos esses programas humorísticos deveriam ser apresentados fora do horário nobre da tv.
    Mas sinceramente, ao invés de se doerem por causa disso deveriam se doer por causa das novelas da Rede Bobo. O Astro, que coisa patética!!! Propagandas de cigarro foram abolidas da tv no século passado e logo no primeiro capítulo aparece um fumante. Lei seca pegando pesado no país inteiro e personagem dirigindo alcoolizada… Insensato Coração ensina como extorquir, roubar, matar… violência contra homossexuais, mulher interesseira tomando porrada de corrupto, todo mundo mentindo pra todo mundo, palavras de baixo e por aí vai… Será que isso não é infinitamente pior que um programa humorístico? Piadas são falas isoladas, novela é uma “história”, pensem nisso!!!

  128. Bom dia!
    Só faltou o nome desses nobres atores que colaboram, assim como o Rafael Bastos, para que a sociedade continue achando normal repetir preconceitos, fobias, maxismos, sexismo e desrespeitando ao próximo, em nome do humor! Será que vale tudo pelo humor? Ou será que o humor pode evoluir e desamarrar dos preconceitos? Será que eternamente faremos piadas de gays afetados, mulheres burras, negros pobres, judeus safados e árabes sovinas?
    Ou podemos mudar esta ótica e rir de outras questões!?
    Bjo e abç.

  129. Pra mim não tem diferença nenhuma as duas piadas e não é porq é da Globo q eu ainda não falei a respeito, é porque simplesmente não assisto Zorra Total. Não acho graça nenhuma e pra falar a verdade (me desculpe, mas devo ser de outro planeta >.<) nem conhecia essas personagens a q vc se refere…
    Pra mim, esse tipo de humor, inteligente ou não, da Globo ou não, não presta, não dou ibope e não apóio. Boicoto mesmo! E agora q estou sabendo disso, informado por vc, vou boicotar esse programa infeliz tbem.
    Abraços.

  130. Ana Rita disse:

    Vejo como as pessoas gostam de defender a Globo, ou outras midias. Parece que há um encantamento. Não imagino uma forma de diminuir a violência, a visão ingênua que através de maior participação no conhecimento. Não digo escolarização, porque as escolas também estão fingindo ensinar, em muitos casos.

    Ao mesmo tempo que parece ser errado tirar a pessoa de sua tranquilidade, de sua vida simples, erramos ao não promovermos ensino de qualidade, principalmente aos atingidos pelas mídias, pois esta os encontra na ingenuidade e os atravessam, sem encontrar nenhuma resistência.

    O saber em vez de ser usado para a promoção humana é usado para a sua exploração. O poder nas mãos de alguns, para a dominação daquele que só desejaria viver sua vida, simplemente.

    O saber não tem sido sinônimo de sabedoria, e isto confunde a gente.

  131. Wagner disse:

    ” Zorra Total, engracadissimo e inovador..” ? hahaha… isso sim foi um comentario engracadissimo e inovador! Mas nada mais democratico q a televisao, se vc nao gosta… nao assista! Mude canal… se nao tem opcao?… desliga! Agora toda essa polemica q levantam cada vez mais com a tal ” moralizacao” do humor tbem e’ preocupante. Pq hj em dia o Costinha, Ary Toledo, etc.. estariam na cadeia por fazer piada de ” bichinha” e ” negao”. Triste falso moralismo! E todo mundo esquece que humor nao e’ pra educar mesmo, e insistem em cobrar isso. Q ele seja educado, moral… Se o sujeito q ouve a piada e acha certo estupro, o cara ja’ e’ louco antes da piada! Ironia, cinismo… infelizmente nao sao linguagens faceis pra criancas, concordo… (pra isto existe indicacao de horario e faixa etaria), agora q adultos fiquem discutindo q moral tem a zorra total?! Nao inventem funcao social pra Globo, ela nao ta aki pra educar ninguem… quem tem q fazer isso e’ a familia!

  132. Esperar o que de nossa TV aberta, onde prostitutas viram rainhas, putaria fotográfica tem o nome de ensaio, e o Rafinha Bastos e considerado um humorista inteligente.
    Em busca da audiência vale tudo, a tv aberta toma ares de juiz, ditando comportamento e dizendo tudo o q você jamais falaria para seu filho. Acho que a censura e ruim, mas a falta de bom senso é pior, a tv deveria se por no papel de divertir as pessoas sem chocá-las com fatos isolados transformados em exemplos.
    Acho que as questões de comportamentos não deviam ser abordadas pela tv, deveriam dar ênfase maior a cultura e a ciência e as curiosidade e os perigos da vida e não se Pedro transa com João e Maria Transa com Maria, pois isso é um problema só deles e não nos interessa e nem nos cabe julgar.
    Sou o Pirata da Alegria e sempre na minha carreira artística valorizei o ser humano e repudiei a tv aberta por explorar a ignorância e a miséria por trás destas caras bonitinhas existe uma grande máfia voltada somente para a captação de riquezas.
    Bom enfim, tudo que e bom não precisa de propaganda.
    Bjs a todos, e não tenham pena de um mendigo, as vezes ele é mais feliz que você.

  133. Luís Corrêa disse:

    Ai ai ai, tô cansado da quantidade de pseudo-cults que só reclamam dos comediantes pq eles estão em grande evidência ultimamente. Desde quando quem está em evidência é obrigado a apenas transmitir ideias educativas (ou politicamente corretas)? Entretenimento não é educação, existe uma faixa etária recomendada antes do início do programa. Educação deve vir dos pais e da escola, não misturem as coisas. Engraçado é que a sociedade brigou tanto para ter liberdade de expressão e agora vamos regredir? E daí que são piadas com preconceito? O mundo é preconceituoso e vai ser assim pra sempre. É natural do ser humano rir do que é diferente, isso você pode observar até mesmo em uma criança inocente. O que devemos ensinar é o respeito, não culpem a sociedade por meia dúzia de idiotas que agridem e maltratam homossexuais ou prostitutas, loucos sempre irão existir. Educar não é uma missão dos humoristas, nunca foi e espero que nunca venha a ser. Me respondam, como que um caricaturista faz humor? Ele desenha a pessoa ressaltando características diferentes/únicas da mesma, certo? Então, assim é o humor do cotidiano também. Parem de ser malas.

  134. Ah, se fosse o único quadro do programa a por a mulher como subalterna… Ah também, se fosse o único programa da Rede Blobo a também fazer isso.

    O q é realmente engraçado é criticarmos a moral do entretenimento e agir pior no dia-a-dia. Tira-se sarro de negro, empregada, gay, criancinhas, homem corno, mal-comidas, pobre, rico… Particularmente, eu não gosto de ZT, mas este mesmo quadro poderia funcionar como psicologia reversa… Alguém que já se pôs na posição da mulher feia quando viu o programa pode pensar em como reagiria ou aceitar a informação e não reagir. Esta, sim, é a diferença entre os públicos que aceitam o que lhes é entuxado e aqueles que tem pensamento próprio.

  135. carlos souza disse:

    kd toda a luta??? ou nao passava de papagaios repetindo e repetindo???… se liguem!

  136. Bom… não dá para esperar nada de um texto postado no blogue de uma espertalhona e escrito por um cara barabado que fica plagiando para seu nome um título livro de adolescente.

  137. Raphael disse:

    Quanta hipocrisia…Onde e em que tempo vc está vivendo?! Vamos ser realistas, a piada a que se refere é tão velha quanto os seus conceitos. O seu falso moralismo é retrógrado e acéfalo, pois nos dias de hoje, no mundo real, as crianças que recebem uma educação fora dos contos de fadas, baseada em verdade e conhecimento do mundo real desde cedo, tem consciência de fatos e atitudes verídicas, sendo assim, sabem exatamente distinguir piadas de fatos reais. Felizmente ou infelizmente, as crianças hoje deixam de ser crianças muito antes do que nós imaginamos. A pureza fica para os contos de fadas.

  138. soso disse:

    Oi Daniela …gostei da sua colocação…Realmente o que o programa quer passar é a concientização das pessoas p/ problemas que ja se tornaram corriqueiros em nosso país,visto que, bulinações acontecem todos os dias dentro dos vários meios de transportes,sempre lotados do nosso país.

  139. Não conheço o quadro, detesto o programa e se fico em casa no sábado à noite, prefiro ficar cantando “ciranda cirandinha” ou jogando jogo da velha sozinho a assistir tal nogeira! Não tem uma só piada agradável, os artistas que sairam do programa e estão fazendo outros trabalhos na “tal emissora” ou não se sustentam em novas empreitadas ou não mudam o repertório, a interpretação e logo caem no esquecimento. (Não tão rápido quanto se deveria) Aí eu penso… Porque um programa assim continua no ar? Será que só conheço pessoas que têm o gosto como o meu? Porque não aproveitam o horário que é dedicado às pessoas que não têm como sair nesse dia por quaisquer motivos e colocam algo que seja mais “instrutivo”. Povo educado é povo evoluido, quem sabe assistindo a um programa bom a violência não diminui, os pais param de estuprar as filhas, bater nas esposas e esfaquear filhos. Se está na TV, por que não fazer em casa?
    Parabéns pela postagem muito bem colocada

  140. Muito bons os textos desse blog, ao menos os que li, mais recentes, embora não concorde 100% com tudo.
    Parabéns pela repercussão, não se deixe incomodar pelas críticas de baixo nível, rebatê-las fica a seu gosto, se fosse eu apenas ignoraria.
    Da mesma forma que algumas pessoas estão sugerindo levantar e desligar a TV (o que continua sendo uma opção), também poderiam clicar no “x” do navegador. =)

  141. Gostei muito do texto e acho a crítica realmente válida. Sempre é necessário cutucar mitos (e aqui refiro-me a palavra mito em sentido pejorativo) recorrentes como o de que há pessoas que “naturalmente” merecem sofrer violência, seja de qual for o tipo, Atualmente, este mito persiste nas piadas relacionando estupro e feiúra. Do mesmo modo, estas odiosas naturalizações da violência já colocaram em questão etnias e classes sociais.

    Mas, acho que o quadro do Zorra Total, a despeito de ser ou não engraçado, trabalha com o ridículo da condição humana, sem ter como alvo nenhum tipo humano em particular. Tanto que aborda pessoas de diferentes grupos sociais, incluindo a presidente da república, que também é parodiada.

    No caso do Rafinha Bastos, acho que ele foi infeliz no modo como abordou a questão do estupro. O comediante deve ter em mente que o destaque da piada é seu caráter irônico, ou seja, a piada revela a inadequação entre uma determinada “verdade” e o contexto em que ela se enraiza. Portanto, a piada não deve fortalecer preconceitos, mas sim expor suas contradições por meio do espelho do ridículo.

    Concordo com Felipe. Se o Rafinha tivesse se usado como exemplo na piada do estupro, teria sido uma piada, de fato, visto que o estupro, neste caso, seria uma forma de transformar em hipérbole o ditado “Eu não me olho no espelho?”.

    A piada vive no limiar. Alimenta-se do preconceito e da certeza para expor as contradições de ambos. Mas, nesta difícil tarefa acaba, muitas vezes, trocando os pés pelas mãos. Ficam valendo, então, as críticas, como forma de reequilibrar a balança desta forma de expressão.

    Também fiz um texto sobre os limites do exercício da comédia. Está no blog Acedia: http://acediadepegasus.blogspot.com/2011/06/quando-comedia-se-converte-em-censura.html

    Um abraço a todos!

  142. Além disso, não entendo como a Globo aprovou o roteiro de um quadro que se baseia simplesmente em bullying, com o tanto de coisa sobre isso que tem se falado ultimamente.

  143. Deaf Dog disse:

    “Falso moralismo! O cabeçalho do seu site ofende uma pessoa ou até mesmo uma classe e você quer dar lição de moral? Me abana.” ²

  144. Carol disse:

    Nada vê, são coisas totalmente diferentes!!! O zorra total e o Rafinha trabalham com humor, seja ele inteligente ou não! O fato é que piada realmente tem limite, agora se incomodar com o que o Rafinha falou, tudo bem, ele realmente pegou pesado, mas o que acontece no zorra total não tem nada a ver com estupro!!!! As pessoas fazem piadas com mulher pq piada se faz desde sempre, seja com mulher, com gordo, com Português, com loira, com papagaio… sempre foi assim, pessoas ganham a vida fazendo piada!! Agora que resolveram se incomodar, igual com a música baiana, agoooooooora as mulheres, aquelas mesmas que andam na rua se mostrando, que não estão nem aí p/ bom senso e p/ pudor, que fazem questão de dançar iguais umas vadias e quanto mais homem olhando e cantando melhoooooooor, agooora elas estão falando que se ofendem com as letras das músicas!! Ahhh faça-me o favor!! O problema é que as pessoas decidem se incomodar p/ fazer moda e criar caso!! Exemplo tb do bullying nas escolas, quem que nunca sofreu uma zoação na escola e cresceu normal??? Hoje em dia criança zoada na escola sofre bullying e tem problema psicológico!!!! Kit gay p/ acabar com o preconceito gay, eu nunca vi o kit gordo nem o kit negro!!! Todo mundo gosta de criar caso com o que ta na moda, a questão é unica e exclusivamente essa!! Pura HIPOCRISIA!!!!!!

    • Nunca vi tanto equívoco numa frase. Então, pela sua análise, a culpa do estupro é da mulher que se veste de maneira insinuante, daí o pobre homem, coitado dele, não tem como controlar seus impulsos e ataca aquela vadia que usa roupa curta, porque afinal, o Brasil é um país de costumes. É isso aí, tem que passar o rodo nessa piranhada toda e todo mundo ficar quieto. Muitíssimo obrigado, você acaba de exemplificar exatamente aquilo que eu falei no texto.

  145. aloka disse:

    Tem bee ´por aí querendo ser contratada pelo R7 kkkkkkkkkkk #alocka

  146. Kssia disse:

    Li, li novamente e … acho absurdo como o “povo brasileiro” se dá ao lastimável trabalho de defender a tal Valéria (que com certeza não pega onibus cheio e nao tem que aturar mão boba ou engraçadinhos se aproveitando) com argumentos tão ricos como : “fode-se isso é recalque.”. O que está sendo veiculado aos sábados à noite é sim uma agressão a pessoas que foram violentadas e também as pessoas que passam por isso no dia-a-dia, mas a nossa sociedade tem uma mente tão atrofiada que com certeza não percebem que isso faz parte do dia-a-dia de muita gente, e as vezes até de quem está assistindo e rindo. Acontece que o fato de ser A GLOBO, traz uma aceitação maior. Pois bem, só me resta dizer… podem rir, e continuem rindo do modo como “os mais influentes” fazem da vida de todos nós uma piada. Já é bastante ruim saber que temos que passar pelo sufoco de pegar trens, metros e onibus lotados todos os dias, justamente por estarmos sendo tratamos como piada! E para finalizar, segundo o Pedro você precisa estudar .”Que pena que você não conseguiu avançar nos estudos, né? Ainda precisa ler um bocadinho pra entender o Zorra Total.” Melhor ler isso, do que ser cega!

  147. Ahhh para com isso, o maior preconceito é o de quem escreveu isso, por achar que as pessoas que assistem o Zorro total, só por serem em sua maioria de uma classe social mais baixa, vão acreditar que isso é normal e vão ter isso como ensinamento e caso aconteça com eles ou elas, achem que tem que aceitar tudo! Tanto a piada do rafinha, quanto essa é de mal gosto, isso não se discute, mas vamos parar de achar que o povo é bobo, todo mundo entende e sabe que é piada, assim como quando fazem com loiras e dizem que todas são burras etc Abraço a todos!

  148. Joao Marcio. Parabens. Muito bom sem texto.

  149. Luan disse:

    Acho que existe muita diferença sim. Primeiro que o cara abusar da mulher no meio do metro não é exatamente estupro, né ? Zorra total é um lixo, sem dúvida, a piada é idiota também mas não é sobre estupro. Ou passar a mão em 1 mulher agora é estupro ? Na minha opinião é errado ( dã.. obvio) mas não dá pra classificar igual.

    O Rafinha bastos fez uma piada que fere, diretamente, muita gente e que no mínimo é reprovavel, ok. O problema é quando um cara como ele perde a noção e vem fazendo coisa semelhante cotidianamente. É basicamente o que acontece com comendiantes que eu vejo. Eles precisam de piadas fortes o suficiente pra se manter no falatório, ai escutamos basicamente piadas que são ofensivas para pequenos grupos…. ai os grupos ficam rindo uns dos outros. Piadas de gordos, de velho, de gay, de machista, de loira, de careca, de alejado, de estupro, e ai vamos ficando com piadas que são macabras ou ofendem de verdade.

    O zorra total fez a piada parecida, mas a diferença é que não foi com estupro. Acho que eles nunca fariam uma piada com uma mulher sendo violentada. VocÊ está forçando um pouco a barra, mas seu ponto faz sentido. Sem dúvida os 2 brincam com coisas que não deveriam.. o resultado é a banalização geral de temas como roubo, estupro, assassinato, etc

    • Qualquer tipo de agressão a integridade da mulher, seja estupro, abuso, bolinadinha ou afins, é constrangedor e traumatizante. Se uma mulher se cala face a um abuso sexual “leve” como uma encoxada, facilmente se calará em outras situações como agressão física ou estupro. O problema é banalizar o crime. Hoje pouca gente se choca ao ver uma criança na rua mendigando. Isso foi banalizado e não deveria ser. Temo o mesmo para outros problemas da nossa sociedade.

  150. Marcellus disse:

    Parabéns pelo texto João. A Globo tem esse poder mesmo. Um programa de humor é só um programa de humor, mas por fazer parte da mídia, tem que ter MUITO cuidado com a forma que abordagem dos assuntos. Mas só um detalhe, pras pessoas que pensam que todas as pessoas tem bom senso pra diferenciar ficção de realidade, engana-se redondamente, não tem noção da realidade intelectual de milhões de brasileiros (falo por experiencia própria com o público que trabalho). Em um programa para “povão”, tem que ser feitas brincadeiras com assuntos do cotidiano. Mas com esse assunto em questão acho que não se deve brincar nem numa conversa de boteco. Pessoas que já passaram por isso sabem que não tem graça nenhuma. É fácil fazer piada com realidades e traumas não vividos por quem as escrevem. Andei e ando de metrô até hoje e sinceramente não acho graça nenhuma daquela bagunça, desconforto e calor lá de dentro.

  151. drio disse:

    Joao, tu és o cara!!

  152. bruna disse:

    Não sei se me sinto constrangida com o quadro, mas acho ele desnecessário, não acho graça, porém, o primeiro que me “encoxar” no metrô e mandar um “bandida”, não tem tempo bom, é porrada na certa!!
    achava legal, já que o quadro é assistido e dá audiencia no fim do quadro a Globo por uma chamada incentivando a mulherada a não se calar.

  153. anonimo disse:

    A questão não é levar as piadas do Zorra Total a sério mais sim perceber que ali existe o mesmo preconceito, sabendo que ambos falam das mesmas coisas, todo mundo so enxerga um mais o outro não, ou seja do Rafinha todo mundo critica mais do Zorra nao fala nada e ainda acha engraçado sabendo que de engraçado não tem nada. Por isso prestem atenção em que vocês assistem, no que vocês dão risada pois as vezes a gnr fere pessoas sem saber como exemplo dando risada de um gordinho sabendo que seu melhor amigo póde ser um tbm.

    Para e reflita

  154. “Todo sábado a noite o mesmo roteiro ensina às mesmas pessoas que estupros e abusos sexuais são bençãos, e não devem ser denunciados.” ENSINA.
    Por favor, né. Sério que você perdeu o seu tempo se dedicando a criticar Zorra Total e Rafinha Bastos?

    Um comediante e um programa de comédia completamente duvidosos. É a mesma coisa que você criticar Dedé e o Comando Maluco.

    Seu texto é extremamente desnecessário e sensacionalista. A Globo, desde antes de você nascer, já cansou de manipular a população em diversos meios. Desde apoiando a ditadura até ajudar a eleger presidentes.

    Nada que você falou aí é novo, muito pelo contrário.

    Olha, não existe ninguém no mundo que deteste mais esses falsos comediantes, como o Rafinha Bastos, do que eu, mas, em hipótese alguma, eles estão apoiando o estupro e a depreciação da mulher.

    Você, amigo João M., Drogado e Prostituído, precisa aprender a diferenciar humor(por mais ruim e sem graça que seja) de manipulação e suporte.

    Se você quiser conhecer o trabalho de comediantes BONS, procure pelo gênio Louis C.K., que faz um humor negro, sim, mas um humor negro de qualidade.

    Abraços.

    • Kainã, péssimas notícias: eu conheço muita gente boa de humor. Sei do histórico da Globo. E meu texto não é desnecessário.

      Se eu vejo necessidade de me expressar, assim o farei, nem o objetivo de agredir, obviamente. Meu questionamento a determinado quadro não anula o passado da instituição e vice-versa. Não estou aqui para inventar a pólvora, só quero me expressar, bem como você tem o direito de discordar de mim, se expressar e nunca mais lembrar da minha existência. Você se incomodou com meu texto, eu me incomodei com o quadro e nada vai mudar. Opiniões foram dadas e fim. Um forte abraço e até a próxima, amiguinhos.

  155. Krishina disse:

    Sensacional! Sem mais, não há o que dizer o texto é excelente!

  156. Débora disse:

    Um amigo foi compartilhando o seu artigo até chegar em mim. e eu novamente compartilhei também para os meus, é importante que as pessoas tenham um senso critico em relação ao que assistem na TV. Sempre ouvia alguns comentários a respeito do quadro da globo, ate que um dia eu assisti, também tive esse sentimento, o quadro é regado de piadinhas em cima da amiga, denegrindo a sua imagem e debochando das características físicas, não tem graça.

  157. ixi véio isso é assunto polemico hein….humor e preconceitos andam juntos e são inseparavéis….censurar é besteira, é podar a arte…é semelhante a dona lá que quis cortar partes dos texto de monteiro lobato pq tinha teor de prconceito contra negros.

    • E realmente tinha. Inclusive, depois dê uma busca nas cartas de Monteiro Lobato onde ele apoia os movimentos extremistas como a KKK.

  158. Raphael disse:

    ó, mundo, o que seria de você sem nossos pensadores comentaristas de blogs 🙂

  159. Realmente também acho que um programa de humor tem todo o direito de brincar e satirizar, porém intendo o receio aqui citado, uma situação tão chocante ser banalizada como foi, e se fomos olhar um programa de humor como ele realmente é, vamos ver que ele está fazendo com que algo tão serio vire piada. Tenho certeza que se fizer piada com alguém que já passou por isso, ela não iria achar graça. o ser humano não é hipócrita, mais esta ficando desnecessariamente frio. Fica aqui meu ponto de vista. =)

  160. dock disse:

    Isso é pura hipocrisia, humor é humor, tem biada de estupro, gay, pessoas com cancer, negros, portugueses…
    Vc se preocupa com o lado que acha melhor, mas é hipocrisia falta do que fazer, se vc tivesse um travesti na familia ia estar reclamando do uso do personagem homosexual…
    Já pensou se todo grupo fizesse isso?

  161. Guilherme disse:

    aff achei nada a ver… afinal de contas a decisão de deixar o cara bulinar ou não é da Janete… o cara que escreveu isso tá fazendo tempestade em copo da água pq já teve caso de estupro na família.

  162. Natália disse:

    Sinceramente, nunca assisti a esse quadro, mas cheguei a essa matéria através do FB, e como estudo gênero e violência contra a mulher, achei extremamente importante seu artigo! Devemos todos compartilhar nas mídias sociais e conversar sobre isso, quem sabe não chega até os grandes da Globo, não é mesmo?

  163. vitor91 disse:

    Perfeito texto! Muito bom mesmo!

    Continue assim! 😉

    Abraço!

  164. O assustador entre alguns comentários é ver gente que acha que estupro e assédio são coisas tidas como normais e passíveis de se fazer piada.

  165. Anônimo disse:

    Texto “pseudo-cult”…… Opinião não fundamentada. Leia mais, muito mais, antes de escrever um blog……

  166. Beth disse:

    Não li os comentários acima… o que normalmente faço, mas hoje estou mesmo sem tempo e achei o tema muito importante! Só quem foi violentado, estuprado e abusado… sabe as consequências e sequelas que deixa! Concordo com todos os seus argumentos e gostaria de ver os roteiristas e o Sr. Arroba sei lá o que passar por isto! É uma vergonha que precisemos estar aqui sequer discutindo isto! Depois vão dizer, os “humoristas” ,que o politicamente correto não deixa margem para o humor! será?

  167. Diogo disse:

    A separar:
    1) Concordo que a globo é um lixo e manipuladora de opinião.
    2) Discordo com a crítica a piadas, de qualquer tipo que for, a final pra mim tudo não passa de falsidade das pessoas que criticam uma piada do outro. Rafinha Bastos simplesmente é um piadista e como tal explora o que achar melhor, ou senão que atire a primeira pedra a pessoa que nunca soltou uma pérola da mau gosto no ponto de vista de outras pessoas. Liberdade de expressão, sempre.

  168. Pillar. disse:

    A reação das pessoas para com programas humorísticos é exagerada. Assim como Rafinha Bastos foi injustiçado, você também está injustiçando o programa. Não que seja certo, mas não é como se eles estivessem banalizando um assunto sério, eles estão fazendo piada, esse é o conceito de “programa humorístico”: fazer piada de qualquer coisa. Se for assim, vamos colocar na justiça também o Pânico na TV, o CQC, e todos os artistas de Stand Up, e fazer as piadas “politicamente corretas”.
    Como mulher, não me sinto ofendida, pura e simplesmente porque sei que essa não é a intenção, e sim tentar “suavizar” as coisas. Não a ponto de tornar banal, mas sim, de completar o objetivo do programa que é identificar as pessoas com piadas do dia-a-dia, e fazê-las rir de alguma forma.
    Novamente, não estou dizendo que é certo, mas também não estou dizendo que é errado. Cada um ri do que acha graça, cada um faz piada, do que acha que deve fazer, tendo a consciência de que é um programa humorístico, com classificação indicativa, e em TV aberta. E aí? Só porque é em TV aberta, e o público não é de “elite”, que não pode fazer piadas irônicas, nem de humor negro? Mesmo que a pessoa não tenha o nível de informação tão “brilhante” quanto da tal elite, todo ser humano tem consciência de seus atos, e brincadeiras. A idéia do programa é brincar, não banalizar. Tem uma certa diferença. A ofensa vem a partir do momento que a pessoa interpreta aquilo como pessoal, ou como algo sério. Se sente-se ofendido, tem todo direito, mas eles também têm direito – tanto Rafinha, quanto a Globo – de fazer piada. Direitos iguais. Liberdade de expressão. E todo aquele clichêzinho.

  169. Soraya disse:

    Concordo com você. Adorei o c post. Pena que não ouvimos queixas ou reclamações quando somos obrigados(as) a ver mulheres seminuas na tevê e em outros meios. Para mim é tratar também a mulher como um o objeto sexual. Simplesmente um pedaço de carne!

  170. Beti Timm disse:

    Vi, pq vejo tudo, e depois dou uma peneirada e tiro os podres e esse quadro se aprimora no humor sem graça e rasteiro. Mas o que dói mais é que tem gente que acha graça em tamanha aberração e afronta aos direitos humanos mais básicos. E os estrupadores seguem pensando: Pq não estrupar, se vira até quadro e piada de humor? Mais uma forma de impunidade, neste país que não pensa, apenas faz! Me resta apenas ter pena e lamentar!

  171. John_Cabrito disse:

    Que hype desnecessário…

    Minha mãe morreu de enfisema pulmonar por conta de fumo excessivo e nem por isso me sinto ofendido quando fazem piadas de humor negro com relação ao fumo ou doenças relacionadas ao fumo, na verdade eu até acho legal, botar a DOR num lado mais esportivo e engraçado pra mim alivia o sentimento negativo.

    Não consigo entender quem vê brincadeiras sobre coisas horriveis e se sente ofendido, lógico que falo daqueles brincadeiras sadias que a pessoa faz pra ser engraçado e não pra ofender diretamente alguém.

    Aquele abraço.

  172. Bruno Altoé disse:

    mt bom post, mas todos sabemos que a globo no brasil é tmt inatingível.
    eu acredito que no caso da globo é ainda mais nocivo, pois como você mesmo disse, o público alvo desses programas são menos instruídos, e levam o que veem na TV para a sua vida ”real”, ao passo que o público do comediante sabe destinguir a realidade de uma piada de humor negro.

    ps: correndo o risco de parecer arrogante, mas con único intuito de contribuir para posts futuros, não se usa ”vai ao encontro” conforme usado no penúltimo parágrafo, a expressão geralmente relaciona duas idéias, não uma idéia e um objeto (no caso, público alvo). e deveria ter usado crase na parte: ” acesso a informação”

  173. Ricardo Teixeira que o diga.
    Crimes em geral, no Brasil, só preocupam o infrator se sair na Globo. O problema é que todo mundo assiste, a melhor forma de quebrar a influência dos interesses, excusos, da emissora é não assistí-la.

  174. Cada um tem a sua opinião, e todas devem ser respeitadas, mas acho o quadro da Valéria e Janete o melhor do programa, mas não porque fala sobre mulher feia estar no lucro por estar sendo molestada sexualmente, mas pela maneira e forma como é feito e dita, é bizarro engraçado, é feito por pessoas q tem muito talento p fazer todos nós morrer de rir, e é por este lado que as pessoas veem este quadro, e do jeito q nossa vida anda corrida e cheia de ladrões impunes neste Brasil a fora, é natural todos acharem engraçado este quadro e realmente é, só o q se houve rua a fora e pessoas comentando o quanto gostam do quadro da valéria e janete, Dou os parabéns e tiro meu chapéu p eles, e o bordão já esta na boca do brasil,, independe de ter estudo ou não, ” HOJE EU TO BANDIDA”..kkkk

  175. […] Recomendo a leitura de um belíssimo e muito inteligente texto publicado neste blog. […]

  176. Juliano disse:

    Esse tipo de atrito faz parte do humor. Bem ou mal toda piada é agressiva e atinge um determinado público, que pode ofender-se ou não. Parece que a (pseudo)intelectualidade só aceita o humor político, qualquer crítica/sátira comportamental é um plano maquiavélico da mídia para banalizar e difundir o mal entre o povo. É lógico que a apologia aos comportamentos sociais inaceitáveis é indesejada, mas essas manifestações são resultado da visão de uma parcela da sociedade que existe e não pode ser rejeitada e nem inferiorizada, cabe a nós o bom senso de selecionar e debater o que a mídia nos proporciona.

    abraços

  177. Matheus F. disse:

    “Eu, João M., 25 anos, drogado e prostituído”

    Você fala da banalização do estupro, mas você mesmo banaliza a prostituição e os viciados em droga. Da mesma que o Rafinha Bastos, você tá brincando com coisas sérias.

  178. Marcelo Ferreira disse:

    Só pra constar o quadro Janete e Valéria faz parte de um Stand- up chamado Os Suburbanos que a Globo comprou, cujo objetivo é justamente denunciar no teatro por meio de piadas, ler-se :sim isso realmente é possível, justamente a vida dura que nós brasileiros cotidianamente sofremos seja morando na favela , pegando ônibus , metrô, taxi ou bicicleta porque não. Falso moralismo conservador num programa que coloca todo os sábados uma transgênero escrachando na cara de todos os brasileiros que tem o direito de ser mulher? Isso é preconceito? A mesma tira onda o tempo todo com as pessoas que estão ao seu redor e é voz ativa e não subalterna entre aqueles que andam de trem. Janete não é tão passiva quanto a mulheres deste blog aqui reverberam, ela sabe sim muito bem se defender mesmo que seja no seu parco inglês, que para as pessoas que não entendem a piada parece ser russo mesmo. Mas pasmem, ela ta denunciando justamente essa mulheres que são vitimas de preconceito e que não aceitam isso: levando alfinêtes , algulhas de tricô ou mesmo fazendo escânda-o por mais que não seja em inglês, Minha gente antes de falar determinadas coisas vamos ler um pouquinho de teorias feministas, teoria Queer e observar que esse mundo ta mudando e os discursos subalternos estão aos poucos se tornando discursos de poder ,e agente fica querendo retroceder em um conservadorismo e fundamentalismo que não leva a nada. Vamos rever nosso querido Pierre Bourdier:” A opinião pessoal é um luxo”.

    Marcelo Ferreira

  179. Desculpa, não concordo com o texto. Deve ser sua opiniao, espero. Eu particularmente nao acredito que um pai de família, 50ão que descansa seus ossos em frente a TV num sabado a noite e sintoniza sua TV no lixo da Globo pra ver o lixo da Zorra Total simplesmente pq é humor barato e de fácil digestão vá de repente virar um maníaco sexual e sair encoxando a mulherada no metrô. E se ele de repente passar a fazer isso, é pq ele é doente e qqr coisa o influenciaria a agir assim… até vendo dois cachorros grudados na rua, ou duas moscas. É que nem a polêmica sobre games violentos ou sobre “o que faz um sujeito gay?”. Minha opiniao é essa: A gente é altamente influenciável pelo ambiente em que vive, então tome cuidado até com o que você come.

    • Biali, em momento algum eu falei que a TV transformaria homens em maniacos sexuais ou crianças pobres em bicicletas. O que temo, o tempo todo e volto a reforçar, é a banalização de algo tão grave quanto o abuso sexual. Não acredito que a TV “ensine” alguém a ser assassino, ou estuprador, ou homossexual (não que uma sexualidade sadia se compare a crimes hediondos como estupro e homicídio). O que me preocupa e exponho no texto é que tal “brincadeira”, como muitos aqui defendem, façam que um abuso sexual seja algo tolerável, da mesma forma que por anos a homofobia e o racismo foram completamente aceitáveis e patrocinadas de alguma forma por essas brincadeiras para os senhores cinquentões relaxarem seus ossos num sábado a noite, e hoje temos que criar mecanismos legais e aparamentemente controversos para bani-los a longo prazo, afinal, não foi criando-se uma lei que acabamos com o racismo, porém, abrimos o debate a respeito e vamos, diariamente, conscientizando sobre o quão terrível sua prática é. Compreendo quem observa de forma diferente e louvo quem está aberto a um diálogo como você, mas ainda assim, reafirmo sobre como a mulher é tratada como um mero buraco para a satisfação da libido do macho.

  180. Rafaela werdan disse:

    Lindo Camila!

  181. Beti Timm disse:

    Vi, pq vejo tudo, e depois dou uma peneirada e tiro os podres e esse quadro se aprimora no humor sem graça e rasteiro. Mas o que dói mais é que tem gente que acha graça em tamanha aberração e afronta aos direitos humanos mais básicos. E os estupradores seguem pensando: Pq não estuprar, se vira até quadro e piada de humor? Mais uma forma de impunidade, neste país que não pensa, apenas faz! Me resta apenas ter pena e lamentar!

  182. Priscilla Cordeiro Cruz de Barros disse:

    Eita arrasou! Muito boa a repercussão sobre este programinha – Zorra Total – que presta um imenso desfavor aos direitos das mulheres e não considera a coisificação da sexualidade feminina. Afinal, é só uma “brincadeira”, e assim vai se perpetuando as formas de opressão e exclusão das mulheres.
    Gostei do blog! Visitarei sempre!

  183. Dee Gee disse:

    Alguém já fez ou riu de piada de Português, terrorista ou preto? Se não, jogue a pedra, do contrário, calem a boca e vão trabalhar!

  184. Raiissa disse:

    Muito bom, você colocou exatamente o que eu penso. A maioria dos programas de humor tratam a mulher como objeto e graças a isso e a quadros como esses todos os dias as mulheres sofrem agressões, desde os pequenos desrespeitos no cotiano até serem estupradas e por vezes levarem a culpa de estarem “provocando” os agressores.
    A imagem que esses programas passam “ensina” e muito até, só que a maioria não percebe isso.

  185. Olha respeito o sofrimento da sua familiar que foi vítima de estupro, mas aprenda que não é o que se diz e sim o jeito que se diz.

    Eu não vi nenhum dos dois fatos ocorridos tanto o do RAfinha como o do zorra total, mas o pessoal do de um programa de comédia, aonde voce já vai preparado mentalmente para ver o programa diferente de um CQC não é o mesmo, o pessoal do CQC fala sério em tom de ironia quase sempre, já os do zorra e o personagem são brindadeira e comédia mesmo sendo de baixo nível ou criatividade.

    A mesma coisa quando vão julgar um caso de assassinato, voce não pode só julgar o caso de assassinato em sim o que motivou a praticar aquele ato, se foi com um segundo objetivo(premeditado), ou se foi por legítima defesa, existe uma diferença enorme e se trata de assassinato.

    Acredite que os caras estão certos, a diferença entre o jeito que o Rafinha Falou, porque conheço o jeito deles, e o do programa é bem diferente.

    Detalhe que só assisto a globo quando é jogo de futebol do meu time e nada mais.

  186. gfhfghfg disse:

    e vc , autor , acha graça de ser drogado e prostituído ??

    se não é, pq raios se classifica desta forma aí na bio ?? não seria uma ironização semelhante ??

    a mídia não ensina que é normal e bom ser estuprada, como vc colocou. ali a gente ri, mas mesmo as pessoas que têm pouca instrução sabem que é um problema sério. mas o povo é assim, só acha graça quando não é com ele

    • leitura recomendada a todos que não entendem o “drogado e prostituido”: leiam o livro ‘Eu, Christiane F., 13 anos, Drogada e Prostituída’. Forte abraço.

  187. Amanda Aguilera disse:

    Uma boa reflexão. Infelizmente, ao tema realmente não é dada a devida importância! É sempre bom ver um homem se preocupar com ele…não é tão comum.

  188. ô frescura

  189. Roberta disse:

    Falaram um bocado né. Bem.. eu já sofri estupro e quando mais nova com uniforme da escola cansei de ser ‘encoxada’ em ônibus com todo mundo vendo e ninguém fazia nada. Não conseguia reagir nessa época. Hoje só sinto raiva desse tipo de coisa. Não acho que a tv cria esse comportamento mas o normatiza sob a capa da piada que o deixa intocável. Não vejo a menor graça mas sou suspeita pra falar.
    O número de mulheres que sofreram violência sexual é muito grande, muitas para se ofenderem. Mas pra que levar a nossa opinião em conta né, isso fere a liberdade de quem quer falar de um tudo sem ser criticado por isso. Os outros podem fazer o que querem, nós é que temos que nos calar e aturar, rir junto quem sabe. Respeito não é necessário, é uma bobagem afinal, quem precisa disso? Tudo em nome do entretenimento.
    É pessimo ver assunto tão sério, ver aquilo que te destruiu por dentro virar piadinha. Mas é isso aí.. Liberdade para uns, desrespeito para outros, mas pelo que eu pude perceber nesses anos todos a maioria simplesmente não se importa, e pra que né, perder tempo pensando na dor alheia quando se pode só rir dela, muito mais fácil.

  190. Olá, João. Como tantos outros, cheguei aqui através de um ‘like’ do facebook. Não li seus outros posts (o que pretendo fazer), portanto não conheço o conteúdo do seu blog. Baseio, então, minha opinião apenas nos ‘dados’ desta página.
    Gostei muito do seu texto, do convite implícito (?) ao debate, embora não concorde totalmente.
    Uma amiga me apresentou, semana passada, ao referido quadro e não consegui achar graça em momento algum. Mesmo que não houvesse a, agora polêmica, bolinada continuaria sem graça para mim. Não gosto do programa e (felizmente) minha atual tv por assinatura não tem Globo, canal que não simpatizo. No entanto, não vejo em tal quadro o mesmo peso da declaração (que eu, alienadamente, também desconhecia) do Rafinha Bastos.
    Explico. Caso o infeliz comediante tivesse dito algo como “se EU fosse estuprado, agradeceria, afinal feio como sou seria lucro” entenderia como humor semelhante ao dos personagens do Zorra Total. Alguém poderia até achar engraçadinho. Já o comentário que fez não deixa espaço para graça alguma e, mesmo que algum doente consiga rir, também chocou-se a priori.
    O quadro do ZT é, como o programa inteiro, pobre de roteiro e de humor. As falas das personagens não são agressivas, portanto não têm peso igual. Veja bem, refiro-me ao peso direto da fala, não do valor (ou falta de) agregado.
    Quanto à gravidade, aí sim, é o oposto. A fala do Rafinha não passa batida, dói aos ouvidos. Já a gracinha do programa pode não ser percebida conscientemente, o que a torna mais perigosa. Facilita a banalização de algo grave.
    Sou radicalmente contra a censura, mas acho a discussão mais do que válida. E, por isto, parabenizo-o!
    Por outro lado, acho um pouco contraditória sua revolta com conteúdos humorísticos deste tipo uma vez que seu blog carrega um humor preconceituoso no título e faz referência a crime e vício no ‘quem sou eu’ (mesmo que seja baseado no título de um livro). Como disse antes, não conheço seu blog, então esta é minha opinião superficial.
    De qualquer forma, contrariando opiniões aqui expostas, achei seu post muito pertinente. Bom, se não fosse não teria rendido mais de 200 comentários.
    Abçs.

  191. Jéssica disse:

    O que mais me deixa decepcionada é ver como até mesmo as mulheres fazem descaso de um assunto tão sério. É EVIDENTE que a piada do Rafinha Bastos e o quadro do zorra total tem absolutamente o mesmo tema.

    As piadas do Rafinha Bastos são dedicadas a um público mais instruído que pode muito bem entender o sentido da piada e não achar graça nenhuma, já o zorra total é do povão que na maior parte das vezes não sabe interpretar o que lhes é exposto. Se existe humor inteligente o zorra total faz uso do humor burro todos os sábados, em todos os quadros.

    Li um comentário meio por cima de alguém que falou: com tantos políticos roubando blábláblá vocês vão se preocupar com isso? POR FAVOR! Então quer dizer que o tema discutido é menos importante do que outros crimes que acontecem por ai? Ou os crimes só merecem destaque quando VOCÊ ou alguém da sua família for vítima?

  192. dead poet disse:

    Caro João,
    também descobri o seu blog via amigos inflamados compartilhando pelo Facebook, e gostei muito de conhecê-lo. Devo confessar que discordo de vcê em vários pontos do texto, mas seu raciocínio e habilidade no modo de colocar seus pensamentos em prosa me agradou muito. Lendo diversos comentários aleatoriamente, me vi /tão extremamente/ incomodada com certas posturas que resolvi comentar tbém. Acabei esquecendo muito do que gostaria de escrever aqui conforme lia mais comentários e outros pensamentos substituíam aqueles anteriores. Memória de curta duração, me exalto com facilidade, nem tudo é perfeito, e, né. Mas, essencialmente, minha opinião jaz no raciocínio de que quando se trata de humor, deve-se levar em conta tbém a intenção do locutor. Não conheço o suficiente do trabalho do “Zorra Total” ou do comediante “Rafinha” para afirmar, bem, porra alguma sobre suas intenções. Mas não vejo realmente por que alguma emissora ou pessoa incentivaria o abuso sexual em seu próprio país. No caso do programa, entendo que sua preocupação seja com a influência que tal “mensagem subliminar” (que seja) ~possa~ em algum momento ter sobre nossa sociedade. Mas se fosse aberto espaço para especulações com base em tal verbo (“poder”, passando um sentido de acaso), o comediante mencionado tbém ~poderia~ ter escolhido representar uma persona para fazer tais piadas preconceituosas, já que parece ter encontrado público para tal. E, apesar de tbém não conseguir encontrar a tal graça de ambas as formas de humor, não desmereço nenhum dos dois trabalhos. Gosto não se discute, já afirmava o grande pensador Jimmy Neutron. Porém, caso alguma pessoa se sinta ofendida de alguma maneira, obviamente deve contatar a fonte de tal ofensa e tomar as decisões que sua liberdade e seus direitos lhe permitem. Bom senso é sempre bem-vindo: não vou processar um determinado cidadão presunçoso carioca por fazer piadinhas asqueirosamente preconceituosas sobre a minha cidade natal (São Paulo) porque não julgo prioritário, mas poderia (*deveria) se me sentisse ofendida de alguma forma mais séria (e aqui cabem outros motivos, como opção sexual, pigmentação da pele e tbém, certamente, abuso sexual).
    Acho que já “causei” o suficiente para me fazer entender e para dar trabalho a qualquer infeliz ser humano que se decidir por ler este post até o fim.
    Não posso deixar de comentar, rapidamente, uma das atitudes que mais me fazem mal e, sim, me assustam, facilmente encontrada em incontáveis comentários anteriores: a cegueira diante da própria hipocrisia. Quase como uma hipocrisia inconsciente. Tanta gente usando às avessas o argumento da liberdade de expressão com intuito de reprimir outras opiniões; acusando deliberadamente canais de grande influência de serem manipuladores e revelando logo em seguida que o modo certo de todos pensarem seria o seu próprio/que o povo deveria ser condicionado a “pensar e refletir sobre a situação e o atraso cultural do país”. Se vcês tivessem a influência de uma Rede Bobo, fariam uso desta para passar suas próprias idéias, seus próprios interesses? Ou simplesmente qualquer opinião expressa por qualquer pessoa ou persona pode influenciar aqueles que não estão acostumados a formar suas próprias posições? Dissertar sobre isso a fundo faz necessário muito mais do que o espaço de um comment, minha opinião leiga e do que a paciência que me foi dada. E me falta coragem visto que isso possa chegar a uma conclusão não exatamente ortodoxa (ditadura? determinismo? eu sou neurótica?).
    Chega: parabéns ao autor pela habilidade na escrita e pelo blog interessantíssimo. De alguma forma, encontro alívio em sua preocupação. Ótima é tbém a oportunidade de se ouvir opiniões tão distintas em relação a um assunto tão penoso.
    Giovanna,
    16 anos.
    (só aqui revelo minha idade pois o pré-conceito completamente equivocado quanto a isso tbém está entre os mais intrínsecos à nossa cultura)
    obs.: perdoe minhas abreviações não usuais.
    (:

    • Giovanna, tive 50 mil acessos nesse texto. Maior sorte do mundo seria se 5.000 tivessem a sua postura, a sua habilidade argumentativa e sua sutileza em se posicionar de forma contrária a uma opinião, não fazendo uso de agressões gratuitas como escapismo para uma informação que incomoda o leitor de alguma forma. Tornei-meu seu fã.

    • Quem dera toda a nova geração fosse esclarecida como vc, Giovanna!

    • Jean disse:

      – Já estudastes o siginifica de “Prolixo”?
      – Meios de comunicação social, isso ainda falta você entender 😉
      – No mais bom discurso.

  193. Flora disse:

    E agora?
    Nem tanto ao mar, nem tanto à Terra, mas acredito que existem mil formas de se fazer humor inteligente; existem mil aspectos que podem ser explorados e é preciso apenas que se tenha muito cuidado com o que se divulga. Vivemos, hoje, debaixo de uma enxurrada de mensagens, reivindicações em favor dos homossexuais em prejuízo de uma orientação que tivemos desde sempre. Até parece que devemos desculpas aos homossexuais por seremos héteros, um exagero! porém quero deixar claro que sou simpatizante dos gays, e tenho muitos como amigos e alguns a quem devoto carinho especial e que sou visceralmente contra a violência que muitos empregam não só contra gays, mas às mulheres, deficientes, o preconceito racial e tantos outros mais.
    Apenas precisamos combater o preconceito e também não exagerarmos vendo coisa onde não existe.
    Entendo a colocação do João e o compreendo, pq sei que existem muitos imbecis que realmente tomam como exemplo não só o q diz o quadro do Zorra, mas personagens nojentos de novelas, como o personagem do Humberto Martins na novela das 9.
    Quer saber? só a misericórdia de Deus neste mundo todo torto.

  194. Alexandre Leal disse:

    O texto é muito coerente, apesar de um tanto extremado.

    O quadro é realmente todo exagerado! O humor do quadro não é refinado, é escrachado mesmo… mas é delicioso!

    Nao acho que a esquete instigue as mulheres a se menosprezarem e depreciarem.
    Acho q ele estimula todo mundo a rir de si mesmo, de nao levar xingamentos e estigmas (o de feia e o de traveca, por exemplo) tão a sério.

    Acho o poder de auto-zoação e de não se levar tão a sério uma das coisas mais divertidas na vida!
    (Coisa que, infelizmente, deve tar faltando pro autor do texto).

  195. Veronica disse:

    Parabens pelo otimo post. Zorra total nao faz so apologia a estupro nao, mas a pedofilia, ou ninguem se lembra dos quadros de mulheres seminuas vestidas de meninas? principalmente aquele (que nem o nome sei) que uma “menina” é desejada por um marmanjo? Fora preconceito de peso, entre outros. Ridiculo.

  196. Thais disse:

    Sinceramente acredito que o tom do comentário de Rafinha Bastos e do programa de humor Zorra Total, mostram conotações diferentes… Pense João! O contexto é diferente… E de qualquer forma, o Sr. Rafinha Bastos ganha o peso maior da culpa porque de fato ele foi explícito e evasivo ao declarar a sua opinião, acho que a tentaiva era de ser engraçado ou até mesmo ‘inovador’ esboçando o comentário, contudo, conseguiu ser apenas um estúpido, ignorante… Entretanto no Zorra Total, em momento algum é citado sobre estupro, ou abuso sexual, até onde sei, a personagem (VEJA BEM, PERSONAGEM) é vítima de algo que todas nós mulher sofremos diariamente, dentro desses coletivos… Agora, acreditar, ou brigar que tudo o que ali (zorra total) esta estampado induz à um comportamento ou ensinamento errôneo é partir para uma ideia HIPÓCRITA… Pois se assim for, devemos lutar contra as telenovelas, filmes, propagandas (possuem sempre msgs apelativas) e tantos outros… Longe de mim defender o grupo Roberto Marinho, sei que eles possuem poderes indescritíveis e que pouco os utilizam para algo produtivo,mas convenhamos não? Nesse caso… Acho que você foi um pouco extremistas…. Olha só para você… Todo moralista pra cima da toda poderosa Globo, todo hipócrita… Mas qual é o seu status ali, logo acima: João, DROGADO, não é mesmo? Se você se preocupa tanto com o que as pessoas podem aprender a partir da televisão… Porque você não se preocupa também com que as pessoas podem aprender a partir do que veem da internet? Ou você acha que só pessoas resolvidas e esclarecidas tem acesso a internet… Posso lhe afirmar que os índices de drogas entre jovens, hoje no Brasil, são bem maiores do que os números por você apresentados referentes às mulheres vítimas de abusos sexuais (o que, JAMAIS, deixa de ser menos importante)… Ou esse seu titulo é apenas uma alusão a obra de Christiane F… Acredito que não, pois a última coisa que você fez, nesse seu texto todo, foi apreciar ou rever o seu conceito do que é a arte e do que é a realidade…
    Só uma opinião, como tantas outras…
    Grata!

  197. “Eu não espero pelo dia
    Em que todos
    Os homens concordem
    Apenas sei de diversas
    Harmonias bonitas
    Possíveis sem juízo final”

    É difícil, pra mim, aceitar um “vá tomar no cu” (como muitos comentaram) como argumento e como uma possível diversa harmonia bonita.

    Alguma coisa (ou tudo) está, realmente, fora da ordem.

  198. Em resposta ao comentário de Carol, queria dizer que ela está enganada. O bullying não é uma simpes zoação. A repetição de insultos que progressivamente se convertem em intimidação e violência física não pode ser considerada simples zoação.

    Uma pessoa que sofre bullying sempre carregará o trauma, embora, graças a Deus, nós, comumente, temos a capacidade de sublimar os traumas, convertendo-os em arte, por exemplo.

    Com relação ao que ela chamou de kit gay, kit gordo e kit negro. Seja ou não na forma de kits, as escolas devem abordar todos os tipos de preconceito nas aulas. Mas ainda estamos engatinhando, pois as abordagens ainda têm soado como um favor que se faz a coitadinhos. E nem os gays, nem os gordos, negros ou qualquer outro cidadão merece ser tratado como coitadinho. O que se espera é respeito, a preservação de um dos fundamentos da Constituição: a dignidade humana, da qual deriva a integridade física e moral.

    Compreendo a indignação de Kamila Alvarenga. E acho que ainda vai haver uma longa disputa entre o politicamente correto e a liberdade de expressão. Esta disputa, espero eu, reflete a tentativa da sociedade brasileira de superar a ferida da falsa cordialidade. Acredito, porém, que a piada e uma certa ridicularização são normais, fazendo parte da crítica ao poder que a seriedade tem de consolidar visões hegemônicas. O problema é quando este sentido crítico é pervertido, tornando-se deixa para impulsos eugenistas reprimidos.

  199. concordo em genero, numero e grau. e pau no cu do brasil que só tem legislação contra preconceito de raça e religião, mas não é capaz de prevenir esse tipo de merda.
    a piada misógina/homofóbica já está tão enrustida na sociedade que explicar pra esse monte de imbecis que isso NÃO TEM GRAÇA é dar murro em prego. isso tem que partir de onde a merda começa: na TV.

    e SIM, O QUADRO DA GLOBO ESTÁ NO MESMO NÍVEL DO QUE A “PIADA” DO BASTOS, pois são sintomas da mesma merda.

  200. Com todo o respeito mas sabe o que você faz com esse moralismo inutil? Enfia na boca e para de falar tanta merda! Não vou me dar o trabalho de entrar no mérito da questão aqui, até porque uma discussão com alguém que comunga desse tipo de opinião não vai me acrescentar em absolutamente nada. Tudo é preconceito, tudo é falta de ética, tudo é falta de respeito. Ja deu essa palhaçada! Viva a espontaneidade! Viva a autenticidade! Viva a sinceridade! Viva o humor inteligente, ácido e negro! PAREM COM ESSE COMPLEXO DE VÍTIMA!

  201. Oi oi
    Primeira vez aqui no blog e curti pra caramba a discussão e o texto. Parabéns.
    Que bafafá heim?? hehe

    Bom, infelizmente vivemos num mundo, nem direi uma sociedade, que considera tudo como inofensivo e banal.

    Infelizmente, ou não; queiramos ou não, TUDO nessa vida possui significado e consequencia… porém a Humanidade parece se voltar contra esses princípios básicos, agarrando-se a aspectos como no caso “diversão!” “é apenas diversão, que mal há nisso?”

    De pouca importância em pouca importância temos coisas como os ladrões de colarinho branco impunes, usuários de drogas que matam a mãe e se tornam famosos, jovens que vendem os rins para comprar eletronicos.. e por ai vai…

    Acho que vc foi muito claro em seus argumentos… agora cabe as pessoas avaliar através disso , nesse e em tantos outros casos NÃO os meios, mas os FINS.

    Fins esses que infelizmente, brincadeiras ou não colocam a mulher numa posição deplorável…. não há ISMO algum nisso -relembrando MAIS UMA VEZ que os atos, as ferramentas e outras ações alteram a nossa cultura e nosso modo de ver a vida.

    Afinal o que é aceitável hoje? O que era aceitável ontem? O que será aceitável amanhã?

    Aonde se escondem os príncipios humanos?

    Ótimo post.
    Ainda mais sucesso no blog

  202. Zé Henrique disse:

    Achei interessante o artigo, parabéns. Realmente é uma questão que deveria ser muito mais ponderada pelos cidadãos (a aparente imunidade legal da emissora citada e seu poder de suprimir qualquer um que a contrarie). Contudo deixo uma pequena crítica e comentário. Acho que o teatro, incluindo o humorístico, como qualquer arte não deve ser limitado aos padrões aceitos e tutelados pela sociedade. Aquilo que é escondido, considerado vulgar, violento etc. Ao contrário, as artes sempre foram revolucionárias, provocativas, críticas, algumas até revoltosas, focando em tabus. Representam a vanguarda da sociedade. Que fique ressaltado que não apoio nem defendo o estupro, claro, é um crime e deve ser tratado como tal.

    Contudo, não creio que uma piada, um comentário, que dependendo do contexto pode até mesmo ser uma crítica passada desapercebida, como o caso do artista citado. Diferente de uma emissora, que pelo o que foi dito, me leva a crer que incentiva a tal prática, afinal, um programa semanal, repetidamente enfatizando uma prática ilícita é uma situação completamente distinta, tem um impacto social, efetivo, muito maior.

    A crítica que deixo é a seguinte: “Cuidado, quando se aponta um dedo, outros três são apontados para você”. Querido autor, você critica a piada em questão. Contudo não hesita em colocar em seu perfil definições como “drogado e prostituído”. Não acho que esse, seguinDo seu ponto de vista, seja um tema muito diferente do criticado no seu artigo, afinal de contas são duas condições reais e comuns na sociedade que são arduamente combatidas e que, imagino eu, geram um sofrimento e preconceito enorme para os envolvidos e familiares.

    Não creio que realmente seja o seu caso. Caso contrário peço perdão. Por isso concluo, é muito fácil criticar os outros, mas nunca olhamos para nossas próprias ações.

  203. Aracy disse:

    João, seu texto está bem fraco e mal fundamentado linkando dois contextos bem diferentes. Gostei dos comentarios do Felipe Voigt e outros aqui. Em geral a gente escreve melhor do que realmente conhece a fundo: do que ama, estuda e se aprofunda…se não fica superficial… e ironicamente, vc deu até um ‘ibope’ maior para os dois contextos citados…Mas gerou boa discussão! Alias, a discussão é mais rica que o seu texto! Qualquer tipo de violencia a mulher é ruim; alguns programas de TV aberta e fechada estão decadentes; os transportes publicos estão pessimos em certos momentos; a educação está pela hora da morte… em fim… Parabéns: blog é isso mesmo! Fomentar a discussão de idéia. Sucesso!

  204. Rafael disse:

    Não assisto a Globo e nenhum canal de TV aberta, até mesmo pq só passam desgraças.
    Mas acho um imbecil um cara que perde tempo escrevendo uma merda dessas.
    Sr. João Márcio será que você não tinha mais o que fazer???
    Isso é um quadro de humor!!!
    Se for assim, vamos mandar prender o DIDI, que é o cara que mais faz sacanagem na televisão.
    Acho que o sr. deveria assistir um programa decente e comentar sobre ele, não sobre um quadro de humor de um programa chamado Zorra Total.

    Desculpe ter aparecido por aqui, mas vim por um link que me mandaram, e nem li os comentários, até pq não me interessam as opiniões a favor ou contra essa matéria imbecil.

    Mas esse é um post totalmente inútil.
    Utilize seu tempo para escrever alguma coisa que preste.

  205. Caros,

    Concordo em dizer que o estupro é uma violência que se deve lutar com todas as forças. Devemos sim conscientizar as pessoas qual real posição do homem e da mulher na sociedade. O mesmo. Porém esse é o dever dos educadores! Família, Escola, Livros para tal.

    Discordo com o Sr. João Márcio ao dizer que também em programas de comédia, pura e clara hora de se rir dos problemas da vida, entre outros, de que isso não possa ser abordado dessa maneira. Ou então que não se risse da Politica, Guerra, de Raças entre outras questões tão sérias.

    Temos que saber diferenciar o sério do cômico. Sempre se brincou com assuntos delicados, mas quem sabe que é pura brincadeira não leva a sério. Quem se importa com estas besteiras, porque são para fazer rir, cria uma forma de censura, o que é pior ainda!

    Uma coisa é EU não quero ouvir e outra não fale pra ninguém!

    Na situação atual da educação brasileira estas brincadeiras ofenderam muita gente, mas porque ainda não há maturidade ou educação para separar a sátira do real.

    Se o problema é estupro, exijam do governo, da escola e de vocês mesmos para que as pessoas não ensinem o que li outro dia: Porque se ensina “Não seja estuprado(a)” ao invés de “Não estupre”?

  206. muito… mas muito além do Cidadão Kane.

    Parabéns pelo artigo.

  207. […] This post was Twitted by LCMarinho […]

  208. Com todo esse patrulhamento ideológico, às vezes me parece que o mundo não está mais sério: está mais sem graça.

  209. Oq dizer, senão

    “Tenho ódio de quem escreve melhor q eu…” hehehe

    Lentos e longos aplausos em pé para este texto…

    Manolo: Posso repostar isso no meu blog?!

  210. Interessante ver uma pessoa do sistema criticar o próprio sistema. Concordo com o seu raciocínio inteiramente. Mas essa é a Globo, defensora de todas causas as quais me oponho e inimiga da família tradicional. Quando assisto já sei o que esperar.
    E os movimentos feministas não enxergaram isso aí? Não é estranho?
    De qualquer forma devo dizer que descobriste uma falha interessante do sistema, que pode ser usada pelos seus inimigos, grupo que faço parte.
    Obrigado.

  211. Pedro disse:

    meucu

  212. Mateus disse:

    O texto começa bem mas acaba entregando-se à tentativa empobrecedora de comparar uma ação a outra, como se o fato da globo cometer o mesmo crime, vitimizasse Rafinha Bastos nas acusações. Isso fica evidente quando ele afirma: “Percebam que é exatamente a mesma piada que saiu da boca de Rafinha Bastos e foi absurdamente pisoteada. Porém na Globo sua projeção é outra, torna-se benéfico”. O fato de um não ser responsabilizado não deve livrar o outro da responsabilidade.

  213. Frederas disse:

    Concordo plenamente com o lance da piada. É totalmente ofensivo. Mas no caso do Zorra Total, acredito que um programa de humor com esse calibre, não seja destinado a ensinar o povo brasileiro a nada, somente a rir com o cotidiano do dia-a-dia, pois a cultura q ele oferece é zero.

  214. Espetacular. Comentário Espetacular…. Você conseguiu encontrar o problema que eu sentia e não via…. foi a fundo…. vou dibulgar seu post e espero que faça alguma diferença nesse mundo de cabeças manipuladas!
    Aprendam meus queridos, TUDO é ensinamento, não existe essa de “é só uma piada”, em algum lugar do país tem alguém aprendendo com isso e tomando isso como verdade, fora a famosa mensagem subliminar que a globo adora usar.
    Obrigada pelo comentário e por abrir nossos olhos. Parabéns pelo blog!

  215. José Neto disse:

    João M., tenho uma grande amiga que foi violentada sexualmente. Sinto-me “estuprado emocionalmente” todos os dias pela pouca vergonha que o PT faz com o Brasil, mas sinceramente, o humor, mesmo fora da globo, mesmo fora do Brasil, em qualquer lugar do mundo, sempre está ligado ao preconceito ou pelo menos está sobre a tênue linha que separa o inteligente do grotesco. Isto é fato. Fato também é que enquanto criança sofri e pratiquei bullying sem saber o que era isso. Como li num texto recentemente: bebíamos água da torneira, andávamos de bicicleta sem capacete, sacaneávamos e éramos sacaneados o tempo todo, apanhávamos de nossos pais, etc. E acredito fielmente que tudo isso me deixou mais forte. Ao contrário do mundo atual que está ficando frouxo, das crianças de hoje que apesar de gritar com os pais, com as empregadas domésticas e com os professores sem nenhum pudor, choram por qualquer coisa. Esses dias eu fui ver meu sobrinho jogar futebol e o goleirinho do time dele (uns oito anos de idade) chorou ao tomar um gol, pois se sentiu o mais impotente dos seres humanos. Não sabe perder. Não sabe que o mundo dá voltas. Não sabe que aquilo era apenas uma brincadeira (assim como o humor – midiático ou não). Putz! Me desculpe, mas sou publicitário e decidi fazer publicidade enquanto criança, justamente por adorar ver aquelas produções feitas pelos extintos comerciais de cigarro (o qual nunca coloquei na minha boca – nunca quis fumaça nenhuma nos meus pulmões), mas durante minha graduação havia debates que uma grande porcentagem de intelectuais dizia que propaganda adestra as pessoas, que a TV adestra as pessoas. Quer saber? Cada um faz o que quer da vida. O livre arbítrio é isso. Claro, respeitando leis, mas lei por lei, o que mesmo você está querendo dizer com EU, JOÃO M., 25 ANOS, DROGADO E PROSTITUÍDO, hein? Não seria uma apologia às drogas e à violência, à fraqueza de espírito? É sempre assim. Nós manifestamos indignação quando algo nos afeta, mas nunca pensamos no que afetamos. Também tive um irmão viciado em drogas e isso não é legal, mas quer saber mesmo… A discussão é polêmica e nunca vai acabar… E eu vou continuar sem fumar (mesmo apaixonado pelas propagandas de cigarro – ou as clássicas cenas de cinema com atores fumando um marlboro, um carlton ou mesmo uma maconha) e principalmente, vou continuar achando que o mundo está muito frouxo. Que as pessoas pensam que tudo é culpa do que acontece na caixinha quadrada chamada Televisão. Bem, é isso. Falei. Yeah!

  216. Victor Nogueira disse:

    Simples cara. muda de canal. para isso que se tem mais opções de canais. se todo mundo muda-se de canal em vez de ficar vendo e dando piti, ja era nao existiria audiencia teria de mudar o quadro 🙂

  217. Santmor disse:

    Um viva p/ Liberdade de expressão, que deixa que publique tal POST neste blog e tal QUADRO no Zorra Total!

    • Obrigado Santmor. Chegou onde eu queria. Bem como a Globo tem liberdade de produzir tal quadro, Rafinha de fazer seu stand-up, eu tenho a liberdade de postar aqui. O problema é que os defensores da liberdade de expressão irrestrita acham que ela deve ser unilateral e inconsequente. Eu comentei sobre o quadro, ele vai continuar a existir, apenas quis dar minha opinião. Quem quiser concorda, quem não quiser não concorda. Não é mais simples assim? Não acho que seja moralismo ou algo retrógrado, basta ver meus outros posts pra perceber que não sou nem um pouco moralista ou conservador. Só acho que criminalizam a opinião, o direito de discordar. Estamos em 2011, uma época onde todo mundo pode ter voz, mas ao mesmo tempo, quem discorda de algo que faz parte do senso comum é agredido. A liberdade então não é para todos?

  218. Vitor Sandes disse:

    Ponto de vista interessante, mas é bom entender que no humor vale tudo, não axo o que o Rafinha Bastos fez uma falta de respeito.

  219. Priscilla Andrade disse:

    TEXTO EXCELENTE!
    De fato não devemos nos calar, conformar ou aceitar facilmente a questão em debate. Entretanto, lembro a todos os que discutiram aqui este assunto tão alarmante, não hajam com comentários agressivos meu queridos, sigam o exemplo do texto corrente, em que um dos pontos defendidos pelo João é exatamente a ‘não agressão’. Como diria nosso querido José Datrino, GENTILEZA GERA GENTILEZA.

  220. Marcus Vinícius disse:

    Estamos partindo para um regularização da vida privada das pessoas muito perigosa. Tratamo-las como incapazes de raciocinar e alguns acreditam piamente que pode por isso dizer o que é certo ou errado no campo humorístico e entre outros, como na telenovela. Humor é humor. O crime de estupro não se torna menos execrável por uma simples piada. Aliás, a piada é um frase, um gesto, que encontra algo dentro do interlocutor que faz este se divertir, não se faz humor sozinho, é um samba a dois. A piada feita pelo humorista acima não me despertou nada, achei sem graça mesmo. Pronto. Assunto encerrado. Quem achou engraçado, tem um senso de humor diferente. estupro é estupro e continuará a sê-lo em qualquer lugar do mundo civilizado, assim como homicídio também é um crime nojento. Acordem, Procuradores, vamos trabalhar pelo o que é sério.

  221. Jana disse:

    Boa tarde,

    gostei bastante do seu texto. Tenho apenas uma ressalva a fazer: acho falsa, senão folclórica, a ideia de que unicamente uma classe que não recebeu educação assista e ria com programas de humor como o Zorra Total. A não ser que por “educação” você não esteja falando de escolarização, mas de engajamento político, social e cultural.
    Conheço muitas pessoas da classe A e B que assistem esses programas e acham divertidíssimos esses quadros e que, com isso, perpetuam uma ideia absolutamente equivocada sobre o papel das piadas no cotidiano e a influência da televisão sobre a vida das pessoas. O discurso é sempre o mesmo: ah, é só uma piada; ah, é só humor do dia-a-dia (como disse um colega em algum lugar nesse comentários aqui).
    Se digo isso é unicamente para que não releguemos exclusivamente às chamadas classes menos favorecidas ou com menor nível de educação uma postura que está, na verdade (e infelizmente), presente em grande parte de nossa população.
    Fico sempre bastante chocada por saber de tantas pessoas que, mesmo criticando programas de humor como o Zorra Total, conhecem todos os seus quadros, sinal óbvio de que assistem assiduamente os programas e, consequentemente, riem deles.
    Uma pena. E com o argumento de que “é só uma piada”, seguimos com as estatísticas altíssimas que você relatou, seja nas classes altas, seja nas classes mais baixas. Mas era para ser apenas uma ressalva.
    Parabéns pelo texto!

  222. Parabens pelo comentario!

  223. Cara, Rafinha Bastos é um babaca e Zorra Total é um lixo. Não entendo pra quê dar tanta repercussão para ambos. E nem quero pagar de cult ou descolado, ambos são realmente terríveis no que fazem.

  224. João, concordo com a sua idéia, também sou contra essa banalização da violência contra a mulher. Nunca vi esse quadro do zorra total, é que o programa é tão ruim que não consigo assistir.
    Acho que piadas devem ter limite sim pois transmitem ideologias, basta ver como as piadas na maior parte das vezes são sobre pessoas discriminadas: negros, mulheres, gays. E essas piadas que incitam e banalizam a violência então, são as piores.
    Será que os humoristas não tem criatividade suficiente para fazer piadas sem incitar ódio ou violência?

  225. tauuumm de DEboche? Aiih ..tem Nada Haver Isso Ai q tu falou
    Na boa AGora Vou v esse quadro Do Zorra COM Outros OLHos .. Mais Vou continuar Rindo ..Msm ..assim ..
    ..kskksskkskskks

  226. Leonardo disse:

    Muita gente parte do princípio que o quadro do Zorra Total “banaliza” o assédio sexual. Mas será que banaliza mesmo? Duvido, duvido mesmo, que alguém vá achar que assédio sexual é normal porque viu um quadro de humor na TV. Isso se o cara já não tem essas idéias na cabeça, porque o cara que já é safado não precisa de TV para sê-lo.

    Pode inclusive acontecer o contrário. Esse assunto é muito escondido, envolto em vergonha. As vítimas têm vergonha de falar. Trazer isso abertamente na TV, mesmo que na forma de humor, pode ajudar. A mulher que era vítima de assédio sexual e tinha vergonha de tomar qualquer atitude pode tomar coragem para reagir por causa do Zorra Total.

    Então sem puritanismos, por favor.

  227. IOANA SCARLAT disse:

    Mas que gente mais metida a politicamente correta!Ah faça-me o favor.Até parece que o Rafinha quis dizer que estupro é algo super normal e aceitável se a mulher for feia.Esse povo tem que aprender a discernir brincadeira de coisa seria.Então a Martha Suplicy quando disse o famosso ”relaxa e goza” quis mandar todo mundo relaxar e gozar literalmente??Mas que porre!!País sub-desenvolvido de gente hipócrita e metida a certinha!!!Ah vão se catar bando de demagogos do K-ralho!!!

  228. realmente, acho lamentavel o tipo d humor q faz o zorra total, pobre, repetitivo. ate chico anisio era melhor, ja q conseguia fazer graça e critica ao mesmo tempo… e uma pena q o zorra total se sustente no ar, como tantas outras produções da globo q nao acrescentam nada, apenas alienando o publico (novelas principalmente). sempre gostei do cqc, embora em algumas ocasioes ache d extremo mau gosto e desrespeitosa a forma como ele abordam e tratam as pessoas, se achando os “donos da verdade”. a opiniao d rafinha bastos…no minimo cretina. minha mae tinha me falado do quadro do metrô, q eu vi e nao achei graça alguma. sei q o humor precisa ser leve e q a liberdade d expressao nao deve ser tolhida, mas sinceramente, nao é piada alguma a mulher falar “ele ta me bolinando” como se fosse a coisa mais normal do mundo, quase como se agradecesse por ser feia, e alguem estar lhe dando esse “privilégio”. esse tipo d piada é tipico d um pais ultra-machista. parabens joão, seu texto é pontual, mas pelo visto, poucos sao capazes d ler as entrelinhas do humor zorra total como vc o fez, ou pior, ate concordam mas ai dizem, “vamos deixar pra la…” afinal o problema ta sempre na casa do vizinho né? é por isso q esse país segue desse jeito…

    abçs

  229. Eu poderia assinar em baixo das suas palavras! Parabéns pela postura e opinião!!

  230. Leonardo disse:

    Muito barulho pra pouca importância.

    Tem um botão da TV que eu uso muito, o OFF. Muito útil. Quando vejo algo que me incomoda, simplesmente ignoro, mudo, vou ler um livro ou consertar alguma coisa em casa.

    Cansa esse papinho esquerdista de que a Rede Globo Capitalista Imperialista Sionista de Direita é isso e é aquilo. Discutir conteúdo de Zorra Total quando o conteúdo de nossos ministérios são dignos de vergonha tem a mesma insignificância que discutir o sexo anal da Sandy.

    Tudo que um esquerdista inrustido ou não quer é justamente procurar essas picuinhas midiáticas pra falar mal da direita. Eles ignoram arbitrariamente tudo de mal que acontece no teto deles, estão preocupados demais com o porão dos outros. É impressionante.

  231. O fato de ninguem interpretar nenhuma das duas piadas seja do Rafinha Bastos ou a da rede globo como sarcasmo e sem nenhum outro proposito alem de fazer rir me deixa triste.

    Ainda hoje ja rolou a noticia do ponei maldito tendo de parar de ser veiculado na tv porque não se pode associar uma imagem infantil com a palavra maldito…

    sinto falta dos trapalhões no barzinho ninguem reclamava deles =/

  232. Gostei da compração e você está certo. Só faço ressalvas quanto ao seguinte trecho logo no início “Além dos ataques no Twitter, o Ministério Público decidiu investigá-lo por conta da piadinha desrespeitosa e de péssimo gosto. Nada mais justo. Estupro ou qualquer outro tipo de abuso sexual é algo nojento e criminoso.”

    A polêmica toda foi gerada porque alguém (e não o Rafinha) pegou a piada que está no DVD dele e postou no twitter, algo do tipo “Mulher feia tem que agradecer se for estupadra. (por Rafinha Bastos)”.
    Retirou todo o contexto que ele prepara para a piada não ser ofensiva, inclusive o contexto de estar em um ambiente onde está apresentando um show de humor e as pessoas estão preparadas para ouvir coisas do tipo.

    É claro que eu não concordo com minimização do crime de estupro, ou de qualquer outro, muito menos sua apologia. Mas não foi o que o Rafinha fez, ele fez simplesmente uma piada, e assim deve ser entendida. E não como atitudes “machistas” ou “misóginas”. Piadas referentes a mulheres todos fazem e não quer dizer que realmente nos achamos superiores, e sim é apenas humor. Assim como cada dia mais as mulheres fazem piadas com os homens.

    O Ministério Público não deveria abrir processo contra o Rafinha pq não é função dele fiscalizar o humor, muito menos limitar a liberdade de expressão. Deveria se preocupar com os milhares de estupradores verdadeiros que estão soltos por mora nas investigações e no encaminhamento do processo ao Judiciário.

    Se o MP vai fiscalizar o humor do Rafinha Bastos, então tem que fiscalizar todas as piadas e expressões que os humoristas, ou qualquer um, diga que podem sugerir apologias ou desrespeito com quem já foi vítima:
    “Se mata!” – apologia ao suicídio
    “Tomara que você morra” – crime de ameaça
    “Eu quero que se exploda” – atentado terrorista

    Aliás, lembrei de uma que se encaixa perfeitamente no exemplo. Os Melhores do Mundo em uma cena que o policial dentro do estádio dá um tiro pra cima e sem querer acerta o Galvão Bueno e todos da platéia comemoram!
    O MP deveria entrar com ação contra eles por incentivar que persigam e matem Galvão Bueno. Ou por dizer que “bala perdida” tem utilidade ao matar quem nos desagrada?
    Da mesma forma que quem já teve algum ente ou mesmo foi vítima de estupro pode se sentir ofendido pela piada, quem já teve alguem querido assassinado poderia. Mas ninguém fala disso. Ou seja a hipocrisia é a mesma.

    Parafraseando o seu título “Não é estupro se for na Globo”, digo o mesmo “Não é desrespeito se for assassinato”???

  233. maria do carmo de santana santos disse:

    Rafinha x Humor inteligente? Uma coisa ou outra. Ou então a inteligência caiu numa extrema relatividade.

  234. IOANA SCARLAT disse:

    Querida ”T”,
    amei o seu comentário e agora sim posso dizer…faço minhas as suas palavras!!!Rsss…lol ao cubo!!e ainda complemento,falta de peerok e de bílcêtch!!!!hahahaha
    Gente,o povo aqui faz um banzé,um je ne sais pas pourquoi a troco de também je ne sais quoi(nossa,eu estudei,sorry).OMG hein povo!!!Tem roupa pra lavar não?filho pra alimentar?Pano de chão pra passar…Eu hein…gente…I’m out.Gente chata,pentelha.Depois de um dia de trabalho fatídico,ainda tenho que ler esse bando de abobrinha.Vão lá pegar o Aurélio pra poder responder usando epitáfios eloqüentes…rsrs……Pfff…feel so sorry 4 you…rs…
    Na boa,isso não é coluna do The New York Times ou do The Sun não,vice?
    Estamos falando de brincadeira,de baboseira,de coisa engraçada,porque vocês deveriam se preocupar com os impostos altíssimos que vocês pagam sem sequer reclamar que vêm embutidos em suas contas politicamente corretas de luz,gás,água…vocês estão bancando ladrões aos montes que vivem comendo e bebendo às custas de vocês(e da minha também),e vocês não se pronunciam!!!Vocês querem descer o malho em um humorista que ralou demais pra(oh meu Deus,eu falo ”pra” ao invés de ”para”-apedrejem-me em praça pública por isso) chegar aonde está,e é SIM engraçadíssimo,e contribui SIM pra(ooops I did it again) que um monte de brasileiros que só tem(nossa,eu sei usar acentuação) uma Tv como diversão,e que mal tem o que comer dentro de casa solte uma sonora gargalhada e por uma fração de segundos esqueça desse país de lixo,de impunidade,de safadeza,de pedofilia,de pais que tacam filhos pela sacada e acorrentam filhos drogados ao pé da cama,e sinta um pouquinho,só um pouquinho de alegria!!!Nossa,o Rafinha é o cramulhão!Nossa!!!Crucifiquem-no também!Ele tem que pisar em ovos pra não desagradar meia-dúzia de pulhas que se sentem ofendidos com uma baboseira que sincera e francamente,não irá influenciar na decisão de um estuprador em potencial,que já nasceu pré-disposto a cometer tal barbárie e que independente da piada de Rafinha,irá estuprar mulheres!!Acordem,povo falso da poha!!!

  235. Aí que eu pensei assim quando há 2 dias vi comentei no twitter sobre esse post em destaque, que esse post daria muito o que falar, pelo conteúdo, pela forma exemplar com que você abordou o assunto, do qual eu concordo com absolutamente tudo. E aí encontro 326 comentários com boa parte deles de pessoas falando do que não sabe e distorcendo aquilo que você disse. Daí eu penso que quanto mais informação, mais preconceituosa e mais ignorante a massa fica, não deveria ser o contrário João Marcio? Deveria, nós sabemos. Mas a gente vê uma total inversão de valores, gente achando estupro normal como a piadinha nada inocente do Rafinha Bastos, a gente se depara com jovens como todo tipo esclarecimento, com pensamento tacanho, preconceituoso que acha bacana agredir os gays, a gente vê pseudo machões que só falam grosso com a mulher e por aí vai.

    Já não sei mais se isso é só um problema educacional ou se é essa eterna mania brasileira de achar humor em suas mazelas, mesmo que isso de forma implícita ou não, insite ainda mais tais violências.

    Abraço

    • Hugo, esse é um dos “perigos” do excesso de informação. Hoje a gente recebe uma tempestade diária de informações e muitas vezes nós ficamos sem saber o que fazer com elas. Há quem diga que qualquer pessoa com menos de 30 anos é um completo imbecil, e eu concordo em alguns momentos. E me incluo nesse grupo, afinal, não tenho maturidade pra tudo aquilo que deveria. O que importa nisso tudo é que o incomodo foi gerado.

  236. Mulu disse:

    Galera, eu não tiro uma vírgula do que foi escrito pelo João.

    ENTRETANTO, a atual conjuntura do humor está tão horrível que eu não resisto ao ” tá no cutuque” da Valéria.

    João, seus textos são fantásticos. É um melhor do que o outro. Parabéns!!!

  237. Karen disse:

    Quanta banalidade ….. tem coisa melhor para se discutir ou debater e vocês preocupados com um quadro de um programa que muitos dizem não assistir, fico sem entender o tamanho da indignação por algo que nem se quer tem audiencia. Ou será que tem? ou será que a indignação também é uma farsa? ….. Não seria melhor ignorar do que fazer um forféu por nada?

  238. Sabrina Zanchin disse:

    Nossa!!! Até que enfim uma pessoa iluminada pelo bom senso escrevendo na internet… Parabéns e obrigada!!!

  239. renan disse:

    Engraçado, vi que as pessoas que se julgam tão sábias descem tanto o nível para falar de quem discorda de suas opiniões, que eu fico pensando no porque de elas se julgarem melhor ou acima das outras, concordo que a piadinha sobre estupro é de péssimo gosto e assim como reclamei do rafinha bastos reclamo da Janete e Valéria , já me conformei de ser tachado de chato, de ser chamado de politicamente correto, mas respeito opiniões alheias as minhas sem precisar chamar a pessoa de pobre, burro, bossal, dizer que falta pau no cú da pessoa, assim como li em muitos comentários por aí, acredito que respondendo a pessoa desta forma, vc está se igualando aquilo que tanto criticam.
    Estas ofensas gratuitas pela televisão afora, muitas das vezes são resultados de violências como estas, pequenas, coisas que deixamos passar a cada dia e cada vez mais e que ao ínvés de serem banidas acabam se tornando parte da cultura da sociedade.
    Fora isso, achei o texto muito legal, concordo com o João. Não é legal ver isso na televisão nossa de cada dia, mas é o que acontece, e acontece pq nós permitimos isso…

  240. Na boa, fiquei surpreso em ver que que escreveu esse texto foi um homem, Quanta bobagem, parece texto de uma mulher extremamente feminista.
    Humor é humor e não importa o tema, sempre existirá alguém que será o motivo dos risos, alguns acham graça outros não. Agora dizer que “fere a dignidade de quem já passou por essa situação e dos seus familiares.” calma lá né, quanta ignorância. Na boa eu fico indignado quando vejo uma coisa dessa. Você deveria ir para uma caverna junto com todos que concordam com isso e na boa o pior de tudo que muitos que dizem concordar na hora de uma piada dessas acha engraçado ai depois de que um fdp expressa sua opiniãozinha medíocre essas mesmas pessoas acham que esta errado. gente que não pensa por si própria. Asqueroso esse texto. Humor é feito para quem sabe diferenciar um texto do mundo real não é porque eles fizeram essa piadinha que eles acreditam nisso ANIMAL.

    Uma garotinha chega pro pai e fala:
    -Papai eu quero ganhar uma bicicleta de presente de aniversario.
    O pai responde:
    -Para que minha filha? Você já não tem uma cadeira de rodas?

    Muito boa, é maldade mas é muito boa.

  241. leonardo disse:

    tem caso de violência sexual entre sua família/amigos/qualquer um? FOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOODA-SE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! a piada do rafael bastos continua sendo boa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Quer defender mulherzinha, quer? VIRA POLÍCIA! ADVOGADO! OU PSICÓLOGO!
    vai à merda por fazer um post tão sem sentido.

  242. Fernando Pistola disse:

    Quanto sensacionalismo, assina uma tv a cabo, me admira que alguem ainda assista a globo aos sabados..

  243. Eu não sou fã destas coisas e odeio quando chega nesta parte, pra mim isto é horrível fere a moral das mulheres. Conheço pessoas que já foram estupradas e não desejo isto para mulher nenhuma. E infelizmente muita gente até mulheres que assistem este programa e acha engraçado, e nem percebe que estão sendo consideradas piores do que animais, sendo normal se alguma delas sofrerem isto. É preciso que as pessoas comecem a parar pra pensar sobre o que estão assistindo e seus filhos também…

  244. Jrborges disse:

    QUANTA PIRA, AMIGO.

    Seguindo a sua lógica:
    Pessoas que sofreram ou tiveram casos de bullying na família, se ofenderiam em ver a imagem da Geisy Arruda sendo ridicularizada no seu blog.
    Pessoas que sofreram ou tiveram casos de vício em drogas na família, se ofenderiam com a sua bio, pois está brincando com uma coisa séria. A própria Christiane F. pode se ofender. Como você é um menino mau.

    HUMOR, É HUMOR. CABÔ.

  245. Patricia disse:

    enquanto vocês fica aqui discutindo a valéria e a Janete ficam ricas,
    quem nun achar que é piada é simples é só não assistir .
    As pessoas podendo pulblicar coisas mais interessantes ,
    fica criticando o que o povo gosta, pq se não gostassem não assistiriam.
    deixa o povo assistir o que quer, é tudo uma questão de gosto e gosto não se discuti ‘
    vamus pulblicar coisas de futuro né.

  246. Gecika Alves disse:

    Concordo com a Kamila, principalmente pq surge aí um ataque a uma determinada emissora de TV. Errado está.. mas … será que o Sr. assiste ao pânico na TV e pensa: “Isso Pode!”
    Nenhuma emissora pode, pois todas atingem a um grande publico e na mnha visão, catar sabonete em banheira, ser ridicularizada em metrô ou posar pra revista estão no memso patamar…

  247. tudo mensagem enquivocada! qual a fonte que quase a metade das mulheres sofrem abuso????

  248. Oliveira disse:

    Leio os comentários e reflito: tenho que viver cada vez a minha vida e me preocupar só com a minha família. Povo Brasileiro burro e ignorante, bitolado, que paga milhões em impostos e riem da impunidade, riem da politicagem que embolsa, rouba o nosso dinheiro. Serviços de saúde e educação sucateados. Idolatram programas como Zorra Total, A Fazenda, BBB… Geisy Arruda é um exemplo de mulher que venceu na vida. TVs que cada vez mais estupram a mente do telespectador colocando a força que é normal se drogar para se divertir, roubar, lograr, se aproveitar das pessoas, desrespeitar as leis, estuprar, tudo é normal nesse país de merda, para se alcançar os objetivos na vida, vale tudo, até matar, não é isso que as novelas transmitem? Cada um faz o que quiser com a sua vida. Apenas não reclamem depois.

  249. Pedroca disse:

    Que lixo de reportagem, por isso que o Brasil ainda não é um país desenvolvido, por que existem pessoas que escrevem esses LIXOS de reportagem e se acham a voz do povo.

    Por favor né, tantos problemas e as únicas pessoas que tentam nos fazer rir são processadas… Hehehe é de cair o cu da bunda mesmo!!!

    Se for assim serão proibidas todas as piadas de gaúchos ( gays ), de loiras, de baixinho, de gordo, de português, japonês ..enfim , deve ser realmente muito difícil passar por uma situação dessa ( estupro ) mas ninguém está querendo ofender ninguém com piadas…são apenas piadas!!!!

    Sem comentários para você!!!

  250. Altamir disse:

    Quanto a este trecho “(as emissoras de TV) passam uma hora semanal fazendo o retrógrado humor da mulher de pouca roupa, erotizando o telespectador”, trata-se de uma das boas observações do autor e complemento: sexo (erotismo, pornografia…) e violência (guerras, trocas de tiro…) são maciçamente difundidos nos meios de comunicação porque vendem; e, para piorar, criticar esse procedimento e recomendar em seu lugar visitas a eventos culturais de qualidade como museus e concertos é dar a cara a tapa para ser chamado de moralista retrógrado e careta.

    Aqui, um ponto interessante, há argumentos de inúmeros cientistas sociais e educadores contestando o incentivo à cultura, refutando-o sob a égide contra a “lavagem cerebral”, o “privilégio da cultura ocidental européia imperialista e opressora em detrimento das outras” e a “descaracterização da identidade original do povo brasileiro”.

    Como se a identidade original do cidadão brasileiro fosse assistir Zorra Total ou dançar “mama eu” e saudar os traficantes de drogas nos bailes “funks”. Esses seres iluminados criam uma confusão infernal sem-fim.

    Os meios de comunicação incentivam a devassidão e a violência, e os sociólogos e pedagogos, que deveriam corrigí-los, mesmo que ingenuamente, acabam também incentivando a devassidão e a violência. A situação do povo brasileiro, desta forma, é desastrosa.

  251. Não conhecia esse tal quadro do Zorra Total até ler esse post. Ouvi apenas o tal bordão “ai, como eu tô bandida” de várias pessoas no Facebook. De fato, disse tudo, muito bom este artigo. Zorra Total sempre foi humor idiota, baseado exclusivamente na ridicularização da cena política e erotização da mulher

  252. Nossa que diridculo esse POST, isso não passa apenas de uma brincadeira, humor, se vc não tem então va pra pqp! se for assim tdo humor com gordo, magro, gay, rico, pobre, feio e bunito tem que ser extinto. isso é apenas uma brincadeira, que se sente constrangido uma pena, vá se tratar, por causa disso não pode haver mais brincadeiras. me polpem.

  253. Teresa disse:

    Ah.. me poupe… Janete só é uma “Caqui” de Fudêncio ou um “Kenny” de South Park… sempre se dá mal. Quanto a Rafinha Bastos foi totalmente diferente, ele disse que mulher feia podia ser estuprada q tava tudo certo, tipo isso.

  254. Tem o modivo da globo estar fazendo isso, eles estão contra o a lei PLC 122 é o kit gay, é cobatem da forma mais chocante possivel a verdade. Mostrando que se a lei for liberada ai tudo vai pro buraco não vai ser uma Valeria mais milhares de Valerias que ninguem podera fazer nada contra elas pq seram intocaveis.

    É como esta logico que os homosexuais intocaveis não vão dar Ibobe ou dinheiro em medio é longo praço a globo pode entrar em enrascada no futuro. Pq piadas sobre gays serão proibidas na televisão, gay será tão normal que não vai dar lugro.

    É claro pelo lado moral da globo.

  255. Ana Gusmão disse:

    Interessante alguns cometários em que as pessoas falam que o quadro apenas retrata o cotidiano e que a diferença entre o comentário do Rafinha Bastos e das personagens do Zorra Total é o contexto. Só eu achei que tais comentários estão fazendo exatamente o que vc diz temer no texto: banalizar a questão do abuso sexual!?

    Não há contexto que diferencie ou que torne a situação do abuso menos absurda. Ambas piadas ecoam que nós mulheres (principalmente se ela for feia!) devemos ser agradecidas se um homem nos tocar sem o nosso consentimento. Já não bastava a sociedade direcionar a culpa pelo estupro à mulher?? [afinal quem mandou ela sair com uma saia tão curta??] Agora, além de culpadas teremos que ser agradecida?? Não, obrigada!

    Me assusta que as pessoas naturalizem essas coisas e ajam como se não fossem nada, argumentando que é apenas piada e que quadro de humor não ensina… Como se não reproduzíssemos muito do que vemos na tv, o próprio bordão do quadro é sucesso! E se é repetido é pq foi aprendido, certo?? Querendo ou não, baseamos nossos valores no que vivenciamos no cotidiano e o que assistimos na tv faz parte disso. Não podemos ignorar que mesmo um quadro de humor é capaz de influenciar na forma que vemos o mundo ou que aceitamos (ou não) as coisas.

    Interessante também ver as pessoas evocando ao direito de liberdade expressão, não sou nem um pouco a favor da censura, mas até isso tem limites que começa quando se denigre alguém. Muita gente falando que humor não é pra ser levado à sério, mas quem gosta ter aquele amigo metido a fanfarrão que vive fazendo piadinha de mal gosto e ofende todo mundo?? Piada ofensiva só é engraçada pra quem não é ofendido!!!

    Mas o que me choca mesmo é que respeitar o próximo é quase um conceito ofensivo, bom mesmo é humilhar, denegrir, degradar…

  256. Hahahaha! Eu ri com a piada do Rafinha Bastos, logo sou machista e quiçá a favor do estupro. Mas poxa, não vejo graça no quadro da globo, logo não sou isso não é mesmo? Me sinto confusa……………………..
    Poxa vida gente, piada não é para ser moral ou politicamente correta, é pra fazer rir e só. Se a pessoa não gosta de zorra total, tomara que não seja por causa das piadas homofóbicas e machistas, e sim porque é um programa feito pra gente que tem QI negativo ou pra negativar ou QI de quem o tem.

  257. Concordo inteiramente com suas palavras e fiquei bastante feliz em ver que nem tudo está perdido…hehe…sério, parabéns pelas palavras e principalmente por não ser “maria vai com as outras”. As vezes eu me acho um “ET” por não achar graça nas coisas que todo mundo acha, por não ter a mesma postura de vida que elas, e por ver que meu mundo é tão particular (idéias, crenças), tão diferente…claro, tem semelhanças, mas…. Eu sofri abusos sexuais na minha infancia / adolescência, tentaram me violentar, mas graças a Deus não se concretizou, passei anos da minha vida traumatizada, frustrada, me sentindo a pior das piores, sofri muito pra me libertar de tudo aquilo, por digo isso? Porque sei mais que ninguém, que esse não é um assunto que se deva levar na piada, esse não é um tema banal, muito ao contrário, quem já viveu sabe do que falo, por isso, todas as vezes que me encontro diante de algum veículo de informação, programa, show ou qualquer coisa que me leve a sentir náuseas, revolta, nojo, eu me retirarei e me colocarei contra. Esse programa a que se refere é a sensação do momento (infelizmente), mas não por mim, e creio que não pelas pessoas que já sofreram desse problema, meu olhos eles não os tem. E olhe, não se preocupe, continue divulgando suas idéias, mesmo sabendo que não irás agradar a todo mundo, especialmente os “maria vai com as outras”. Abração.

  258. Foi no mínimo infeliz, contudo, quem com ferro fere…
    Caiu a envergadura Moral para as críticas alheias no momento em que surgem declarações desse tipo.
    Me pergunto Quem realmente tem Moral para criticar o certo e o Errado, ou a relatividade Moral e a Ética, quando já se é sabido dos prazeres ocultos escondidos nos recantos mais obscuros da Psiquê humana.
    Não quero dar a entender que a crítica do Raphinha Bastos tenha sua potencialidade ofensiva diminuida, até porque problema se restringe à externalização da crítica atingindo ao outro, no caso as vítimas diárias de violência Sexual.
    Contudo Se auto avaliem, buscando os preconceitos e sarcasmos que existem em todos nós e que às vezes são exteriorizados como maneira de satisfação da nossa Natureza Egocêntrica antes de pegar o primeiro que surge para “Judas”. No final ninguém é mocinho nesse Bang Bang.
    O Péssimo exemplo do Rapaz, se reflete em nós também e nem nos damos conta disto, no preconceito, nos olhares fulminantes, nas práticas de exclusão social.

  259. É diferente, no quadro existe um contexto. A Valéria é totalmente escrota com a outra e isso justifica esse comentário em relação a ela.

    O Bastos não, fez um comentário solto em relação a mulheres em geral e com aparência de opinião.

    É bem diferente.

  260. Ranny disse:

    TEM GENTE QUE NÃO SABE O QUE SIGNIFICA HUMOR
    EXISTEM TANTOS TEMAS OS QUAIS SÃO ABORDADOS E
    EXISTEM PIADAS ATÉ COM OS PERSONAGENS DA BÍBLIA
    QUEM DIRÁ COM UM SIMPLES MORTAL

    CRITICAR, CRITICAR, PARECE QUE É SÓ ISSO QUE O SER HUMANO SABE FAZER!
    NÃO EXISTE INFLUENCIA SE VOCÊ TEM PERSONALIDADE, CADA UM SABE
    DO SEU VALOR, E OS AUTORES DO QUADRO ESTÃO GANHANDO SEUS MILHÕES
    ENQUANTO VC ESTÁ AÍ CRITICANDO DE GRAÇA!

    HAHAHA

  261. Aplausos para o autor do Post.

    Examente, a Globo gosta de redicularizar as pessoas com ar de “risos”, para que possamos achar tudo engraçado.

    Parabéns!

  262. Excelente texto. É raro alguém, legitimamente, reclamar de excessivo patrulhamento do “politicamente correto”. Esse tipo de queixa geralmente sai da boca de certos canalhas alinhados a linhas de pensamento tipicamente discriminatórias e até truculentas.

    É interessante como o alvo da “produção cultural” desses “livres pensadores” que se insurgem contra a “ditadura do policitamente correto” é, via de regra, um alvo já fragilizado por natureza. Livrar-se das amarras pra bater em “peixe grande”, ninguém quer, né?

    Só babaquice e hipocrisia mesmo.

  263. Ricardo disse:

    Boa!
    Não tenho televisão em casa justamente para me afastar da imundícia, mesmo assim acho extremamente louvável de alguém se pronunciar a respeito de algo tão sério ser tão banalizado.
    A mídia, de maneira geral, tem me parecido buscar apenas a banalização de tudo. De valores, de costumes, de parâmetros.
    Além do já conhecido ciclo vicioso do lucro infinito, no qual cria toda essa erotização, para depois (ou ao mesmo tempo) vender toda uma linha associada ao que acabou de criar.
    Acho que existem formas menos nojentas de fazer dinheiro do que essa ou explorar no dízimo.

  264. Sandro Bonni disse:

    Acho engraçado como tudo é “piada” até que uma namorada, mãe, irmã de alguém é assediada no transporte público. Aí não é mais piada, tem que matar o fiadapoulta, pregar no poste e atear fogo.

    Excelente texto, tomara que tirem esse quadro nojento e misógino do ar.

  265. Sem palavras para definiri esse texto. Sensacional serve?

  266. Muito boom, realmente é só o que a TV ensina para nós

  267. Luiz Alberto Py disse:

    No meio de toda essa discussão só um reparo. Vocês não acham a afirmação de que 43% da mulheres brasileiras sofrem violência doméstico meio exorbitante? De onde vem uma estatística tão disparatada. Coisas gratuitas assim tiram a credibilidade do debate.

  268. Elton disse:

    “As feias que me desculpem,mas beleza é fundamental.” (Vinícius de Moraes)

    Gente don´t worry be happy! Esse não é o único problema que temos em nossa tv brasileira e nem do mundo isso é cultural! E em momento nenhum no quadro é citado a violência doméstica. Pelo contrário a “feia” (não lembro o nome) se defende do homem e se defende muito bem (haa Janete) sem medo e no DIREITO dela! E Valeria, sua suposta amiga faz uma piada pra ser engraçada. (isso é arte, estão imitando a vida, com uma lente de aumento muito maior para entreter!) Todos nós somos hipócritas, todos! Quem nunca fez uma piadinha maldosa a respeito de uma minoria…

    Se a matéria falasse da tv brasileira e poder que ela tem, tudo bem! Mas só de um quadro, e do comentário de um humorista. (procure os quadros do chico de antigamente!)

    Haaaaa para bonitos agora querem pagar de gatinho na net!

    (Me limitei a matéria e não li comentário de ninguém!

  269. Eu não acho que essas piadas “ensinam” as mulheres a não reagirem ao estupro e ao abuso sexual e a achá-lo bom. Iso é fechar os olhos, tanto no caso do Rafinha quanto n do Zorra, para o contexto óbvio de que é uma piada e ali não há a intenção de ensinar nenhum tipo de conduta a ninguém.

    Agora, compreendo que pessoas que já passaram por essas situações se sintam ofendidas. Nada mais compreensivo e normal. Mas aí vem uma questão que deve ser pensada: piadas sempre desfavorecem alguém, seja a vítima de estupro, portugueses, loiras, pessoas desfavorecidas intelectualmente, atores, times de futebol, profissões em geral; enfim, imagina se todos forem querer espernear devido à “ofensa” que representa a piada. Será o fim do humor. Só estou propondo uma reflexão mais apurada e imparcial desse caso, não to dando razão a um nem outro.

  270. N. Jonas disse:

    Bom cada um tem pensamentos diferentes…porém eu não concordo com vc..
    Zorra Total é um programa de Piada e não tem reportagem onde retrata realidade de certo modo ..vc deveria realizar certos pensamentos sobre isso..todo e qualquer pessooa tem direito de opinar e o programa não está dando apoio ao lema estupro é coisa divina ou algo do tipo!
    E sim eu continuo assistindo, afinal precisamos rir tbm sabe!
    😉
    Fik adik,

  271. Somoz nozes disse:

    Vão tomar no cu todos vocês, puta que pariu. Do que adianta tentar reclamar da globo porra? Mas que perda de tempo, sério, vão arranjar o que fazer ! ;@

  272. só os babuínos e princesinhas do avatar curtiram esse texto.

  273. Carlos disse:

    Vocês que não estão dando “bola” para uma questão muito séria. Tem muita gente que não está nem ai para esses assuntos e sim estão preocupados em que o programa agrade-os. Pelo amor vão se tocar, perde tempo com esses programas que são uma porcaria, ver zorra total é ” para quem não tem nada para fazer e “sim ficar na frente da tv coçando o …”, isso quem faz são os aposentados, vão arrumar o que fazer e tentar ajudar em vez de ficar dando ibope por uma coisa tão inútil.

  274. Ricardo disse:

    excelente texto critico e opinatório, concordo totalmente com tudo dito, porém infelizmente globo faz tudo o que quiser no brasil, mesmo não tendo mais o poder de influencia que tinha a alguns anos ainda é uma potencia no brasil…

  275. Excelente análise! Pena que a sociedade passou a enxergar textos como esses como banais, ridículos, ou “vindo de gente que quer 15 minutos de fama”. Deprorável quem pensa assim. Parabéns ao autor!

  276. Anna Silva disse:

    Nada a ver o q c falou!!

  277. Toda a Rede Globo coexiste entre o texto-de-puro-merchandising e a ladainha de que o-que-fazemos-é-arte-e-portanto-livre. Aí chegamos num local perigoso: o que é a arte? Apenas o que está afastado da grande população? O que é certo é que eles não podem negar o tamanho da absorção que os valores que eles transmitem alcançam no Brasil. Desde seus bordões mais vis até a forma de lidar com uma série de situações.

    Saber que, por exemplo, um beijo gay é proibido pela direção da empresa, enquanto que uma agressão – no mesmo âmbito da homossexualidade – é homologada, é algo de que devemos desconfiar.
    Adorei o post e falo bastante sobre isso em meu blog também aqui: http://soymanjerona.wordpress.com/2011/08/04/por-que-temer-a-minha-femea/

    @paulloazeviche

  278. Isaac disse:

    gostei do que você escreveu acho que as mulheres deveriam fazer uma ação coletiva um protesto ou representação judicial contra tal emissora para que mude essa pratica de desrespeito a dignidade das mulheres e a própria constituição que fala em respeito aos direitos individuais sem discriminação etc….

  279. Amigos, televisão e rafinha bastos são postos em meios livres, vê QUEM QUER. Se o público quer ver uma mulher sendo abusada no metrô ou um cara falando que estupro em mulher feia é válido é direito da PESSOA. Ela provavelmente sabe que isso é errado e ainda assim quer ver a programação; ela pode fazer isso! Princípio da liberdade de expressão. Quem quiser ver assista, quem não quer mude de canal.

    Querer acabar com um tipo de programação por não ir de acordo com sua maneira de pensar é algo inválido. (antes que digam, não vejo programação na televisão a não ser noticiário, que também está sem qualidade hoje). Lembro-me de quando impediram os comediantes de fazer piadas sobre políticos nas vésperas de uma eleição. ME digam se isso foi bom para algum de nós?

    As pessoas estão ficando hipersensíveis a qualquer tipo de humor; sarcasmo hoje em dia é um risco, pois é uma chance grande de virar processo. Não se pode dizer a um gordo que ele está gordo, por exemplo. Palavras machucam, eu sei, porém homens sabem o que e xingamento e o que é uma crítica.

    Se o homem quer mascarar uma crítica como xingamento e atacar o autor por isso, ele pode e vai fazer isso, porque hoje em dia é “moda”. Desde quando ficamos tão frágeis?

  280. Jéssica disse:

    Cara você foi simplesmente brilhante no seu texto, é bom saber que existem pessoas com sua mentalidade em nosso país. Virei fã!

  281. Concordei até o momento em que falou da presidente… independente de ser mulher ela é uma péssima influencia para o país, ou voces já se esqueceram do que ela fez e de onde veio? dilma está apenas esquentando a cadeira para a volta do não menos desprepardo lula…

  282. Perfeito! O texto chama a atençao do público para um fato que somente quem é hopócrita nao nota: piada com mulher feia que tem que agradecer o estupro e o abuso sexual somente nao é crime se a “piada” for veiculada na Rede Globo.

    Nem conhecia esse quadro, mas algumas pessoas já tinham comentado a respeito disso comigo, e que é praticamente a mesma coisa que o Rafinha Bastos fez. Mas o diferencial é a Rede Globo. Aliás, tem uma certa novela, qeu vai ao ar pela mesma emissora, que o autor nao pode mostra beijo gay do casal composto por dois membros do sexo masculino, mas pode mostrar pitboys matando um gay de pancada, em uma cena violenta e desnecessária.

    Agora a Globo presta esse serviço social, mostrando a feia sendo abusada dentro do transporte público como se fosse normal isso. Aliás o roteirista deve achar engraçado a mulherada ser abusada em trens que param na Central do Brasil, o trem que leva tanta trabalhadora de subúrbio para o centro do Rio de Janeiro.
    O roterista deve achar realmente engraçado mulher feia sendo vitima de abuso e ter que ficar caladinha, porque foi um favor.
    Esse serviço social de “pode abusar de mulher em transporte público, pode até ejacular nas calças que achamos engraçado” realmente demonstra como o público brasileiro acata certos absurdos.

    Em outros paises a emissora teria uma enxurrada de cartas reclamando do quadro. Mas como dizem, “ah fazer comparaçao é pegar pesado” ou “fica quietinha porque vc está há muito tempo fora do Brasil, encerro o comentário por aqui mesmo!

  283. Nõ cheguei a pensar nisso, mais serio, Isos e tudo Humor, e uma Mulher deve ter seu estima e nunca se achar feia, entõa não concordo com isso, pos a Valeria da Muito IBOPE e é bem legal, totalizando, é tudo HUMOR.

  284. Carlos A. Junior disse:

    Fato!

  285. Quer dizer que quem ligar a TV pra ver Zorra não tem informação… hurrum. Sei.

  286. Olha, eu li e acho que tu argumentou tudo muito bem, mas um argumento se torna errado quando se usa uma premissa que não é verdadeira.
    Estupro meu amigo? No quadro do Zorra Total que tu está se referindo ela recebe uma “encoxada”, a piada pode até ser de mal gosto, mas tu tá comparando uma encoxada com um estupro. Uma encoxada realmente não é legal, é um problema até de polícia, mas não se compara nenhum pouco a um estupro, a pessoa que é encoxada não vai voltar pra casa querendo morrer. A piada pode ser de mal gosto por brincar com a “feiura”, mas sempre vai existir piada de gordo, de careca, de gente feia, de baixinho, deal with it.
    Sem contar que não é porque fazem uma piada com determinada situação que significa que ela vai se tornar socialmente aceita (Ex.: quantas piadas de bêbado tu já viu? Acredito que alcoolismo é muito mais sério do que encoxadas no trêm).
    A moral é fazer uma sátira do cotidiano de um metrô, se ninguém aceitasse esse tipo de humor iria ter blogueiros reclamando que não há liberdade de expressão e blablabla. Fazendo uma comparação com a tua crítica a Globo, seria a mesma coisa que eu postar num blog dizendo que tu é um mentiroso por ter falado que no Zorra Total tem uma cena de estupro. Entende? Tu fez um titulo super polêmico, e acusou de alienado quem assiste isso e acha engraçado mas tua comparação com a piada do Rafinha foi totalmente incoerente.

  287. Convenhamos, Rafinha Bastos é totalmente sem graça.

  288. João disse:

    “Aos que não sabem: hoje no Brasil, 43% das mulheres brasileiras sofrem violência doméstica; uma mulher é violentada a cada 12 segundos; a cada duas horas uma mulher é assassinada.”
    Qual a fonte da informação? Você joga isso é quer que as pessoas engulam??
    PARA MIM, essa porcentagem está muito alta. Quer dizer de cada 2 casais praticamente 1 sofre violência sexual??!

  289. Teresa disse:

    LIXO de reportagem (2)

    Já já n pode chamar o juiz do jogo de “filho da mãe”… pq compara mãe a p.. ? já já é isso.

    • AH, ENTÃO VOCÊ, TERESA, QUER MESMO LUTAR PELO DIREITO DE XINGAR E OFENDER? ORAS, E QUEM TE DISSE QUE VOCê NÃO TEM ESSE DIREITO? POR QUE VOCÊ ACHA QUE TEM GENTE RECLAMANDO CONTRA ELE? SERÁ QUE É POR QUE SE SENTEM OFENDIDAS?

      Com certeza vocÊ estará lá na Parada do Orgulho Hétero! “PELO LIVRE USO DA GOLA POLO!!!”

  290. Gustavo disse:

    Parabéns pelo texto. Aproveito para divulgar dois textos do PSTU e uma nota das mulheres metroviárias de S. Paulo, sobre o mesmo assunto.

    Abuso sexual não tem graça
    http://pstu.org.br/opressao_materia.asp?id=13094&ida=0

    Enquanto Globo faz piada, aumentam os ataques a mulheres no metrô
    http://pstu.org.br/opressao_materia.asp?id=13138&ida=0

    Chega de sufoco! Basta de violência e agressões às mulheres!
    http://www.metroviarios.org.br/site/index.php?option=com_content&task=view&id=794&Itemid=10

  291. Cara nada a ver, ate por ela nao e estrupad no vagao, e paquerada so por isso
    e outra os dados de varias mulheres sendo agredidas e fato, pura verdade, porem a grande maioria continua por livre vontade com o agressor e retira queixas qd ha o flagrante.

    Cada caso um caso, Rafinha foi escroto mesmo em falar de estrupro a globo so fala de paquera, ela nao e paga a força nao e tocada, o cara apenas encosta nela e ela que viaja na historia, se fosse assim todo contato dentro de onibus e metro seria estupro

    • Yasmine disse:

      Caro Zebedeu,
      Se paquera para você é passar a mão nos outros dentro do metrô, torço pra que um dia alguém te de um tapa na cara bem servido.

  292. Rogerio disse:

    texto perfeito, muitos comediantes estao passando do limite achando que se pode ridicularizar todo tipo de situação tudo isso pq sao comediantes de sucesso

  293. Tá reflexivo, tá chique, tá revolucionário… Não li todo o texto, mas acho que todo mundo tem o direito de expressar a sua opinião sobre determinado assunto.
    Apenas acho que os dois pontos de análise fogem do mesmo contexto, pois não se tratam do mesmo público, tão pouco são expressados da mesma maneira em ambos os objetos.
    Enquanto aquele moço do CQC fala explicitamente de estupro, o quadro do Zorra, concordando em parte, traz à tona o assunto de maneira muito mais velada, além disso, não sei se alguém lembra, mas a Janete inclusive dá um chega pra lá em que está tentando fazer algo com ela…

    Bom, de qualquer forma, o mais importante é se expressar, só acho preciso considerar que nem todo mundo pensa igual.

  294. Julio Baltazar disse:

    E o “politicamente correto” está acabando com o humor. Bons tempos de TV Pirata e Casseta velha-guarda, até mesmo dos Trapalhões. E até hoje nunca ouvi um caso de estupro/assassinato/violência contra mulher que tenha sido influenciada por essas piadas. É o que acontecem com os games, cinema e RPGs atualmente, não o fato de influenciar, mas de ser considerado o único motivo que levam à esses atos.

    O fato é que o povo é burro, n entende a diferença de uma piada sarcástica e/ou crítica (que o próprio autor usou para descrever o Zorra Total), e que hoje na internet todo mundo que pagar de paladino defensor dos bons costumes que eles mesmos não praticam.

    Tô com o Rafinha e não abro. E nunca agredi ou desrespeitei uma mulher.

  295. Jarbas Garcéz disse:

    Gente, quem é que ainda assiste Zorra Total?

  296. Manoel uma pessoa que escreve “se utiliza-se” não merece crédito…
    Mas voltando ao texto, eu de primeiro impacto concordei com o joão, mas depois parei pra pensar e vi que a piada não é a mesma, a janete responde sim aos ataques, na hora que ela fala em inglês (parece bobagem,mas é a resposta dela), se alguém sai ofendido é o homosexual,pois é a valéria que leva pra casa o homem que tenta abusar da janete, como se os gays é que fossem obrigados a aceitar qqr tipo de maluco pois não tem muitas chances…mas tbm cheguei a conclusão de que pensar assim é muita teoria da conspiração…fundi meus miolos agora…liberdade de expressãoxbullyingnização da vidaxrespeitoxsobre o que fazer piadas se não sobre o dia-a-dia? Alguém me ofereça por favor mais pontos de vista?

  297. Oi pessoal!
    Tenho uma notícia muito boa aqui, fizemos uma passeata contra a onda de estupros em Barão Geraldo, pode nos ajudar a divulgar esse vídeo? Isso tem que virar notícia! http://youtu.be/Berttzk8A2A

    Obrigado!

  298. uma boa debate, mas vendo seu ponto de vista, mas e as piadas de nordestino, acha que eles gostam, e as de gay, e de todos os outros discriminados por isso, o Brasil tinha que mudar sua cultura, se não ti atinge você não reage, mas apoio a iniciativa, mas vamos apoiar todos os discriminados, mesmo qu não conheça nenhum deles, todos sabemos que as redes sociais estão com sua força.

  299. “É um humor machista e misógino.” , por um momento pensei que estavam falando da Rede TV com o programa Pânico, que também é um programa de humor RIDICULO, desvaloriza a mulher, fazendo-as parecer um tanto quanto BURRAS, apenas valorizando seus corpos esculturais, enchem a boca para dizer que tem as mulheres mais bonitas da TV brasileira, como se isso fosse algum troféu, eles deveriam encher a boca se for para falarem que tem o programa com o melhor conteúdo e com as notícias mais plausíveis para um acrescimo na inteligente da pessoa que esta assistindo, porém não é o que acontece, não é?

    • Lauren disse:

      Concordo Sherman! Pânico é uma das coisas mais boçais da TV brasileira. É ridículo ver os modismos que lançam a cada programa e o quanto o povão cai nessas baboseiras, vide TT do Twitter. Zorra Total é a mesma coisa. Grande maioria do povo não pensa, não raciocina, e cai em qualquer historinha. E depois leva pra vida, como um ensinamento.

      Meu, enquanto o governo brasileiro não investir muito (ou tudo) em educação, continuaremos nesse mundinho, de mal à pior. E como povo instruído não é de interesse de nenhum político, continuaremos nessa grande merda que vivemos.

      Vamos acordar Brasil, vamos estudar e deixar de ser essa massa manipulável!!!!!!

  300. Estupro na globo = caridade
    Estupro por Rafinha = maldade
    O que uns ibopes não fazem, né verdade?!

  301. Sim, continuarei rindo! =]
    Arrumem o que fazer…

  302. MAS UM COMENTÁRIO, ACHEI INTERESSANTE SEU TEXTO E FICO ENVERGONHADO EM POR TER FEITO PARTE DESSES 25 PONTOS DO IBOPE, CONTRIBUINDO PARA UMA BABAQUICE QUE É O ZORRA TOTAL. REALMENTE HÁ PIADAS QUE CONSTRANGEM E DENIGUREM A IMAGEM DA MULHER, ASSIM COMO MUITAS BANDAS DE FORRÓ E BAILES FUNK QUE CANTAM O “MULHER É UMA VADIA!”. O PROBLEMA MAIOR NISSO TUDO É QUE O POVO BRASILEIRO GOSTA DE TUDO ISSO E ENQUANTO HOUVER IGNORANTES NESTE PAIS, ESSAS COISAS VÃO CONTINUAR, ASSIM COMO A ROUBALHEIRA DOS POLÍTICOS, SEQUESTROS E MAIS……..

    O PROBLEMA DE TUDO ISSO ESTÁ NA SOCIEDADE. ENQUANTO O BRASILEIRO NÃO EVOLUIR, VAI CONTINUAR EXISTINDO ESSE TIPO DE COISA.

    OBRIGADO

  303. MAIS UM COMENTÁRIO, ACHEI INTERESSANTE SEU TEXTO E FICO ENVERGONHADO EM POR TER FEITO PARTE DESSES 25 PONTOS DO IBOPE, CONTRIBUINDO PARA UMA BABAQUICE QUE É O ZORRA TOTAL. REALMENTE HÁ PIADAS QUE CONSTRANGEM E DENIGUREM A IMAGEM DA MULHER, ASSIM COMO MUITAS BANDAS DE FORRÓ E BAILES FUNK QUE CANTAM O “MULHER É UMA VADIA!”. O PROBLEMA MAIOR NISSO TUDO É QUE O POVO BRASILEIRO GOSTA DE TUDO ISSO E ENQUANTO HOUVER IGNORANTES NESTE PAIS, ESSAS COISAS VÃO CONTINUAR, ASSIM COMO A ROUBALHEIRA DOS POLÍTICOS, SEQUESTROS E MAIS……..

    O PROBLEMA DE TUDO ISSO ESTÁ NA SOCIEDADE. ENQUANTO O BRASILEIRO NÃO EVOLUIR, VAI CONTINUAR EXISTINDO ESSE TIPO DE COISA.

    OBRIGADO

  304. Thalita disse:

    Ora, façam como eu, vão assistir uma coisa de futuro!!!!!!!!!

  305. Pasmei ao ver isso: http://www.youtube.com/watch?v=Hctq8mGgibU
    A coisa é mais sério do que se pensa.

  306. Amanda disse:

    Se você pensar por esse lado, há desrespeito não só quando se trata de mulheres estupradas, mas de gordos, feios, pobres, entre outros. Você interpretou mal. Não há comparação entre a piada infeliz do Rafinha Bastos e do quadro. Eu acho que você deveria perder seu precioso tempo analisando coisas mais importantes. Escreve sobre a guerra na Líbia, não sobre a Valéria e a Janete, que por sinal, tem um roteiro mais interessante do que seus textos.

  307. CARLOS ALBERTO DE MATOS disse:

    CONCORDO QUE O QUADRO DO ZORRA TOTAL É MUITO CHATO, DE MAU GOSTO E INCENTIVADOR DO ABUSO SEXUAL. TEM QUE SER CORTADO. QUANTO A PIADA SER MACHISTA, NÃO É DEMÉRITO NENHUM, POIS EXISTEM UM MONTE DE PIADAS FEMINISTAS, OU SEJA, AS MULHERES MALHANDO PUBLICAMENTE OS HOMENS E NINGUÉM FALA NADA. OS DIREITOS SÃO OU NAO IGUAIS? TAMBÉM NÃO SE PODE DEIXAR DE CRITICAR A PRESIDENTE DILMA PELO FATO DELA SER MULHER. ELA É UMA POLÍTICA E UMA PESSOA PÚBLICA E, SENDO ASSIM, É PASSÍVEL DE CRÍTICAS, CASO ALGUÉM NÃO GOSTE DO SEU GOVERNO. AS MULHERES ACERTAM MAS TAMBÉM ERRAM TANTO QUANTO OS HOMENS. NÃO EXISTE ESSA DE DEIXAR DE CRITICAR OU MODERAR AS RECLAMAÇÕES CONTRA UMA PESSOA POR CAUSA DO SEU SEXO.

  308. Eu não sei se posso estar errada, mas são situações diferente.
    Quando a pessoa passa a ser conhecida na mídia precisa ter cuidado com o que fala, nem toda piadinha que a gente conta no bar da esquina vai gerar risos e diversões. Já vi diversas vezes Rafinha Bastos fazer comentários maliciosos (não que isso me faça perder a admiração pelo mesmo), esse comentário e outro que ele disse “Comeria ela e o Bebê(falando de Vanessa Camargo que está grávida)”, são coisas que perdem a graça e acabam virando discussão. Os personagens Valéria e Janete só mostram a realidade do nosso cotidiano, agora me diz a mulher que nunca sentiu um “encocho” no ônibus lotado? a diferença é que os atores usam isso como uma maneira de mostrar pra todo mundo que realmente acontece, e quando Valéria diz “aproveita que não ta podendo escolher” é um cometário zuado* que as vezes usamos esse nível e fazemos com amigos, e não promovendo o “abuso sexual” no entanto a mesma defende a amiga logo em seguida (claro que da maneira dela) rsrsrs.

    Ps. Continuo assistindo os dois.
    Eu, instrumento pra mídia? pode ser que sim, até as pessoas que só assiste canal de notícia e se acham cultos o bastante, também lhes dão audiência. #globalização

  309. Mais uma vez o mestre João Márcio adianta uma discussão que só veio a ser noticiada meses depois… Bom texto!

  310. eu acho que falar da Globo ou do Rafael Bastos é idiotice ser não sitarmos todos, qual todos os programas de humor fazem isso, as novelas mostram sempre as mesma coisase programas de tv só dizem ou apresentam algo para os ricos. Nossa eu não sou tão estudada assim e nem por um minuto passaria pela a minha cabeça me enganar por falsas comédias gente preste atenção qualquer humorista vai ou sempre fez comedia de tudo e de todos, essa que é bem a verdade.denegrir a imagem de um se parar para analisar todos os canais são iguais e de interesses iguais.DINHEIRO…

  311. sabrine disse:

    Existe uma diferença enorme, e no fim o que aparece no programa Zorra Total é pior que a frase dita por Rafinha Bastos. Rafinha está num programa humorístico de “humor inteligente” e fica claro que tudo que ele diz é uma piada, já no Zorra isso fica meio escondido, não é visto como piada e mais facilmente se internaliza. A situação da mulher no Brasil atualmente é um absurdo? Sim! Mas não acho que tirar esse tipo de coisa da televisão vá melhorar, isso é uma questão da cultura que foi pra televisão e não o oposto.

  312. Belíssimo texto. Concordo em 100%. Parabéns pelo ponto de vista e de embasá-lo de forma tão leve e inteligente.

  313. veridiana disse:

    eu estou por fora desses assuntos pois nao assisto essas merdas….fico indignada de ler que esses programas ainda tem audiencia…e de matar qualquer um….vamos acordar povo brasileiro….parem de assistir essas besteiras e vamos prestar mais atencao no que acontece na vida real, no dia dia de cada um e tentar fazer algo para melhorar nosso
    “pobre pais” ….

  314. tem coisa mais importante e séria para se preocupar.

  315. André disse:

    Por que precisam atacar X para defender Y ?

    Tá na hora de rever conceitos sobre jornalismo.

  316. Pedro Ivo disse:

    Muito inteligente e bem observado. Parabéns!

  317. Alexandre disse:

    NOSSA CALA SUA BOCA

  318. Lipeeeh disse:

    DISCORDO: As piadas não são as mesmas, os comediantes também não, a mensagem que o Rafinha passa é que TODAS as mulheres FEIAS devem agradecer por serem violentada sexualmente. Enquanto o outro comediante, ñ atinge ninguém mais que a Janeta a outra personagem, sua parceira. O ponto é… que em nenhum momento, uma outra mulher que foi estuprada se sentiu tão ofendida quanto foi com o comentário do Rafinha Bastos (FATO). O cara manda mal em todos os aspectos, não tem escrupulos, não mede as consequências e na minha opinião é merecidissímo de tudo que ta acontecendo com ele agora, como também a Valéria e a Janete fazem por merecer o sucesso que fazem e o carinho que recebem!

  319. e algum tempo depois….


    sem fazer nada sábado a noite e zapeando pelos canais, adivinha o que eu vi na globo?

  320. kaiser disse:

    Ninguem reparou nessa relação pq vivemos num mundo de hipocrisia! realmente temos coisas mais importante pra nos preocupar, mas temos que ver se realmente estamos nos preocupando ou apenas falando da boca pra fora! temos realmente que nos preocupar com a saude publica lamentavel, com a educação publica lamentavel com so faz incentivar-nos assistir uma merda dessas e com nossos politicos que so fazem nos iludir!

  321. Muito engraçado ver gente falando daquele episódio do BBB, onde dizem que o cara estuprou uma mulher de lá, e como a Globo não quer muito alarde faz pouco caso, e daí ficam esbravejando que a Globo apóia o estupro…

    E ignorarem esse programa… Bom, imagino que se eles assistem BBB, assistem Zorra Total, e aposto que acham esse quadro super engraçado.

  322. João Márcio disse:

    Pois bem, agorao BBB também tem estupro.

    Por isso que o criador do “padrão de qualidade” da globo resolveu sair do canal. O Boni não aguentava mais esse nivel que a globo alcançou de vulgaridade e futilidade.

  323. Veronica disse:

    Ja estou beeeeem atrasada aqui, mas deu vontade de comentar.
    Bom, sobre o Rafinha, ele faz piadas infelizes e sem graça, muitas vezes ofensivas, e isso nao é segredo pra ninguem.
    Sobre o quadro do Zorra, ja adianto que nao gosto de nenhum quadro, exceto o da Valeria e da Janete (antes de começarem a me xingar, me deixem pelo menos tentar explicar).
    É claro que brincar com um assunto tao serio quanto estupro é arriscado, assim como qualquer outro tipo de humor negro. Nunca fui assediada, mesmo porque dificilmente preciso entrar num onibus ou num metro, mas morro de medo que isso aconteça, e é horrivel viver constantemente com medo de algo que nunca deveria acontecer.
    Entretanto, nao acho que o quadro seja ofensivo. A unica que é sempre ofendida é a Janete, e essa é a graça do quadro. Acredito que quase todo mundo ja zuou uma amiga ou amigo e ja foi alvo de zoaçao. Claro que o nivel da Valeria infernizar a coitada da Janete é absurdo, mas a graça esta justamente no fato de que pelo menos alguma vez nos ja fizemos isso com alguem, apesar de que temos que fazer isso de forma que todos levem na brincadeira.
    Quando a Janete diz estar sendo bulinada, a graça nao é o ato odioso de abusar de alguem, e sim o que vem em seguida. Quando ela confirma com a amiga quem esta atras dela, ela se vira e começa a agredi-lo verbalmente (falando palavras aleatorias em ingles, sendo que ela sempre diz ‘don’t touch me’ seguido de palavras sem sentido algum). Normalmente o cara ignora, e entao a Valeria vai em defesa da amiga, depois de falar como a mulher é feia, entre outras ofensas, ela diz que isso nao da o direito do homem trata-la desse jeito. Ou seja, elas nao permitem o abuso. depois disso, apenas para usar a frase ‘ai, como eu to bandida’, a Valeria tenta se dar bem coom o cara.
    Pessoalmente, eu acho que os quadros com mulberes ditas ‘gostosas’, usando pouca roupa, sao muito mais ofensivos, e realmente transmitem a ideia de que a mulher é apenas um pedaço de carne, que so é bom se tiver as medidas certas.
    claro que, pensando apenas na parte da cena em que a Janete é bulinada, o quadro é extremamente de mal gosto, mas nao acho que seja esse o foco principal.
    Quanto ao fato de esse quadro influenciar homens a abusarem de mulheres (coisa que li nos comentarios), tenho de discordar. Um ser humano que consegue praticar tal ato é doente, ou simplesmente mau. Nao é um programa humoristico que vai impedi-lo ou incita-lo a cometer um ato tao repugnante. A pessoa ja tem que ser problematica para ao menos pensar em fazer isso com alguem.
    Nao me julguem como alguem ignorante ou burra por achar o quadro engraçado. Na verdade, eu nem assisto TV na maior parte do tempo, o problema é que qnd vc cansa da internet, de estudar, de ler , de comer, de dormir, ou qualquer outra coisa, assiste TV, e o canal mais comum é a Globo.
    Ah, e me desculpem pelos eventuais erros ortograficos, é que digitar no celular é horrivel!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: